Significado de Isaías 41

Significado de Isaías 41

Significado de Isaías 41


Isaías 41


41.1—42.17 — Nessa profecia, o Senhor leva as nações a juízo para mostrar-lhes que só Ele é Deus porque só Ele pode prever o futuro. O julgamento tem dois ciclos (Is 41.1-20; 41.21—42.9) seguidos de um hino de louvor (Is 42.10-17). Em cada ciclo do julgamento, há três elementos:

(1) convocação às nações para o julgamento (Is 41.1,21-24);
(2) previsão da vinda de Ciro (Is 41.2-7,25-29);
(3) comemoração das vitórias do Servo (Is 41.8-20; 42.1-9).

41.1 — Calai-vos. As ordens de silêncio provenientes de Deus geralmente anteveem o juízo (Sf 1.7). As ilhas incluem a Lídia, na Ásia Menor, que foi conquistada por Ciro (Is 51.5). Renovem as forças é uma ordem que induz à comparação entre a força que resulta da fé e a força humana, que age independentemente.

41.2 — Foi Ciro, rei da Pérsia (559—530 a.C), quem Deus suscitou do Oriente (Is 46.11). Por causa do pacto que fez com Abraão (v. 8), Deus libertará todo exilado justo, sinônimo de salvação em Isaías (Is 45.8; 46.13; 51.6; 56.1). Deus, que tem autoridade sobre as nações, deu as nações a Ciro como resgate por Israel (Is 43.3).

41.3 — Ciro avançará tão rápido que será como se seus pés não tocassem o chão.

41.4 — O primeiro [...] os últimos. Veja referências semelhantes a respeito da supremacia de Deus por toda a eternidade em Isaías 44.6,10; Hebreus 13.8; Apocalipse 1.8,17. O Senhor é eterno não só pelo fato de não estar restrito ao tempo, mas também por ser o Senhor do tempo. Eu mesmo. Veja aplicações semelhantes dessa expressão em Isaías 43.13; 46.4.

41.5 — O pronome o refere-se às conquistas de Ciro (v. 2,3).

41.6 ,7 — Esse versículo ironiza a confiança nos ídolos em detrimento da ajuda certa que provém do Deus verdadeiro (v. 10-16). O ourives trabalhava no ídolo que ele imagina ser capaz de salvar o povo. Veja uma referência a uma profissão semelhante em Isaías 40.19. Aqui, a palavra coisa e o pronome o referem-se a um ídolo (Is 2.8).

41 .8 — O servo é uma pessoa honrada pelo Senhor. Não há posição mais alta que o ser humano possa desejar. O título foi concedido à pessoa eleita para administrar e fazer prosperar o Reino de Deus (Êx 14.31; 2 Sm 3.18). Nos capítulos 40—55, o título de servo é dado implicitamente a Ciro (Is 45.1-4) e explicitamente aos profetas de Deus (Is 44.26), à nação de Israel (Is 44.21; 45.4) e em especial ao Senhor Jesus Cristo (Is 42.1-4; 52.13). O Senhor chama Abraão de amigo (Gn 18.17,18; 2 Cr 20.7; Tg 2.23).

41.9 — A expressão os confins da terra provavelmente é uma alusão à Mesopotâmia (Gn 11.31; 12.1) ou ao Egito (Gn 15.13). O termo indica o reinado soberano de Deus sobre a terra (v. 4). O Senhor castigou Israel (v. 18-25), mas não o rejeitou (Is 29.22-24).

41.10 — A ordem do Senhor aos israelitas, não temas, contrapõe-se à ameaça dos pagãos nos v. 5,6. Deus mostrou Sua destra no primeiro êxodo quando destruiu o poder do faraó (Ex 15.6). A expressão indica Sua supremacia e poder sobre todos os que se opõem a Ele (Is 40.10).

41.11,12 — O povo de Deus recebe nova garantia de que os poderosos inimigos serão reduzidos a nada (Is 40.17,23).

41.13 — O Senhor segurará a mão direita do exilado (Is 42.6), assim como segurou a mão de Moisés (Is 63.12). O Senhor é com eles; nada têm a temer.

41.14 — O Israel exilado parece tão frágil e espezinhado quanto um bichinho (Jó 25.6; Sl 22.6). O redentor era o protetor dos parentes desamparados, que vingava os assassinatos (Nm 35.19) e resgatava os escravos temporários (Lv 25.47-49). O redentor também podia comprar terras para um parente ou casar com a viúva cujo primeiro marido não tivesse tido filhos (papel de Boaz, no livro de Rute). Para o Senhor, o título de Redentor ressalta Seu empenho em defender, proteger e resgatar Seu povo e trazê-lo para junto de si (Is 49.26).

41.15 — O bichinho insignificante (v. 14) será transformado em trilho novo (Is 28.27), capaz de moer os montes, símbolo de oposição, onde eram construídos os templos pagãos e os palácios (Mq 1.3-5).

41.16 — Fadejarás. Assim como o cereal malhado é jogado para o ar a fim de ser separado da casca, o povo vitorioso de Deus terá total controle sobre os inimigos.

41.17 — Os aflitos e necessitados são os exilados que atravessam o deserto em direção à terra natal. Deus saciará as necessidades mais elementares do povo, como a sede. Veja outra referência a esse assunto em Isaías 44-3.

41.18 — Rios[...] fontes[...] tanques de águas[...] mananciais. No primeiro êxodo, o povo de Israel vivia preocupado com o abastecimento de água (Ex 17.1; Nm 20.2). Os exilados, durante o retorno, o segundo êxodo, também precisarão de água (v. 17), mas a provisão de Deus será abundante.

41.19 — O abundante suprimento de água no deserto levará o Senhor a plantar várias espécies de árvores e vegetais (Is 35.1,2).

41.20 — A principal preocupação é a recepção do povo ao poder e ao zelo de Deus. A mão de Deus representa Seu poder (Is 40.10; 41.10). Criou. Só Deus pode criar verdadeiramente (Is 4-5; 40.26).

41.21 — Rei de Jacó é um título de Deus que ilustra um relacionamento especial com Seu povo (Is 43.15).

41.22 — As coisas passadas são, provavelmente, as profecias de juízo anunciadas por antigos profetas e alguma das profecias de Isaías registradas nos cap. 1—35. (Is 42.9,21-25; 43.9,10; 46.8,9; 48.3). O fim delas também poderia ser traduzido como seu futuro glorioso. A expressão as coisas futuras pode ser uma referência aos poderosos atos que Deus operará por meio de Ciro. Em última análise, as coisas futuras culminam na reunião do povo de Deus e no estabelecimento do reino de Cristo na terra. A mensagem é de que os ídolos não conseguem ver o passado nem o futuro, mas Deus pode.

41.23 — Sois deuses. Trata-se de uma ironia, como nos versículos 21,22. Fazei bem ou fazei mal é uma forma de dizer: Fazei o que quer que seja.

41.24 — O advérbio eis alude a um período de silêncio entre o versículo 23 e o 24. Os supostos deuses são mudos. Abominação é algo que causa repulsa.

41 .2 5 ,2 6 — A um do Norte [...] desde o nascimento do sol. A conquista da Média por Ciro (550 a.C.) deu-lhe o domínio todos os territórios ao norte de Babilônia. Ciro, apesar de não conhecer a Deus pessoalmente (Is 45.4), evocou o nome de Deus ao libertar os exilados (2 Cr 36.23; Ed 1.1-4).

41.27 — O verbo estão trata das coisas passadas e das coisas futuras (v. 22). O anunciador de boas-novas é o profeta Isaías.