Significado de Isaías 65

Significado de Isaías 65

Significado de Isaías 65



Isaías 65

65.1 — Fui buscado significa literalmente permiti ser procurado. Fui achado significa literalmente permitir ser achado. Essa promessa faz uma ligação entre esse oráculo e o lamento de Isaías (Is 64-7). Eis-me aqui (Is 58.9) é repetido para dar ênfase (veja a repetição da palavra consolai em Is 40.1).

A presença gloriosa de Deus garante a salvação. Um povo que se não chamava do meu nome inclui também os gentios (Is 42.1; 49.6,22; 52.15) e o remanescente que buscou a Deus (v. 10). Juntos, constituem os servos que serão chamados por outro nome (v. 15). Paulo entendia seu ministério aos gentios como o cumprimento dessa promessa (Rm 10.20,21). Pedro chama a igreja de nação santa (1 Pe 2.9).

65.2 — Estendi as mãos. Deus convida Israel a corresponder ao Seu amor. Todo o dia sugere a paciência interminável de Deus. O termo rebelde define Israel (Is 63.10). Que, repetido seis vezes nos v. 2-5, introduz uma descrição das práticas religiosas abomináveis de Israel: arrogância (v. 2), atitude desafiadora (v. 3), ritos de fertilidade idólatras (v. 3), adivinhação (v. 4), ingestão de alimentos impuros (v. 4) e uma atitude blasfema de autojustificação (v. 5). Seus pensamentos contrastam com os pensamentos do Senhor em Isaías 55.8,9.

65.3 — Diante da minha face significa abertamente. O povo não disfarçava suas práticas reprováveis, tampouco refreava seus hábitos malignos. Os babilônios ofereciam incenso aos exércitos dos céus nos tijolos, ou seja, nos terraços das casas (2 Rs 23.12; Jr 19.13; S f 1.5).

65.4 — Passando as noites junto aos lugares secretos pode se referir à prática de buscar instrução de um deus ou dos mortos. A lei proibia comer carne de porco (Is 66.17; Lv 11.7; Dt 14-8). Coisas abomináveis são outros alimentos proibidos a Israel (Lv 11). Se o povo de Israel consumia os mesmos alimentos que os povos vizinhos, então não era mais um povo santo.

65.5 — Sou mais santo do que tu. Os idólatras eram como os piores entre os fariseus nos tempos do Novo Testamento. Jesus chamou os fariseus de filhos do diabo (Jo 8.44), porém eles se consideravam melhores que os outros (Lc 18.9-14). Fumaça e fogo representam tudo que provoca a ira de Deus.

65.6 — Está escrito refere-se ao livro celeste que registra os pecados. No mundo antigo, as cortes reais mantinham um registro de crimes impunes. Não me calarei. Veja uma expressão semelhante em Isaías 62.1. Pagarei. Veja referências semelhantes sobre a vingança de Deus em Isaías 33.10-14; 34.8; 59.18.

65.7 — As iniquidades de vossos pais. Veja passagens relacionadas a essa em Êxodo 20.5; Ezequiel 18.20.

E me afrontaram. Os israelitas rejeitaram e ofenderam a Deus ao oferecer sacrifícios aos falsos deuses das outras nações no cume dos montes (Ez 20.27,28). Pelo que. A punição é de acordo com o crime cometido (Is 47.11).

65.8 — O mosto representa os servos (Is 54-17); o cacho de uvas outrora improdutivo representa todo o Israel (Is 5.1,2). A ligação entre o vinho e a bênção é bastante comum nas Escrituras. Nos servos, estão incluídos o remanescente e os estrangeiros (Is 56.6). Não destrua a todos. Veja uma passagem relacionada a essa em Isaías 1.8,9.

65.9 — Produzirei descendência é uma promessa cumprida em Cristo e em todos os que estão nele (013.16,26-29). Jacó e Judá representam todo o Israel. O herdeiro é o Messias (Gn 49.10; Mt 21.38; G 13.16). Meus eleitos. Veja uma passagem relacionada a essa em Isaías 41-8,9 (compare com G13.26-29).

65.10 — Sarom, a planície costeira oeste, e o vale de A cor, próximo de Jericó a leste, representam toda a terra.

65.11 — A palavra que ocorre quatro vezes nesse versículo, na apresentação de outros pecados de Israel (v. 2-5). Entre os pecados de Israel estão: esquecer-se de Deus, esquecer o local de adoração, adorar Gade, a deusa Fortuna, e Meni, o deus Destino.

65.12 — Chamei, e não respondestes contrasta com antes que clamem, eu responderei, no v. 24.

65.13 — Pelo que faz uma conexão lógica dessa situação com as duas primeiras (v. 1-7,8-12).

Eis que[...] mas. O padrão nesse texto lembra a forma das bênçãos e maldições proferidas nos montes Gerizim e Ebal (Dt 27), nas bem-aventuranças (Lc 6.20-26) e na ilustração de Cristo sobre o juízo final (Mt 25.31-46). Comerão[...] beberão. Esse é um banquete acompanhado de muita alegria.

65.14 — Cantarão, aqui, desenvolve a ideia de júbilo do versículo 13 (Is 12.1-6; 35.10; 61.7).

65.15 — Os eleitos (v. 9) usarão o nome dos apóstatas por maldição, invocando o destino terrível dos apóstatas sobre outras vidas. Os escolhidos dirão: Que o Senhor os faça como o Israel apóstata. Veja em Jeremias 29.22 um exemplo de como os cativos na Babilônia utilizaram os nomes de Zedequias e de Acabe em fórmulas de maldição.

Outro nome significa o início de uma nova era (Is 62.2). Esse nome estará associado com a bênção (v. 16), e não com a maldição.

65.16 — Aquele que se bendisser na terra — judeu ou gentio — irá invocar o nome do Senhor, porque ele é o Deus da verdade.

65.17,18 — Eu crio também pode ser traduzido por estou criando, ou estou prestes a criar. Céus novos e nova terra. Assim formou os céus e a terra existentes, Deus irá criar um novo Universo que estará pronto para sua presença e para o desfrute de seu povo. Coisas passadas engloba tudo o que aconteceu até a criação do novo cosmos (Ap 21.4). Folgareis e exultareis significa estar extremamente feliz. Os santos são chamados para celebrar pela fé a vinda da salvação (Is 66.10). Crio para Jerusalém significa que ela será uma cidade totalmente nova, sem nenhuma semelhança com a antiga (Is 62.7). João também faz uma conexão entre o um novo céu e uma nova terra com a nova Jerusalém (Ap 21.1,2). 

65.19 — Meu povo. Esse título, dado os cidadãos de Jerusalém, também é mencionado em Isaías 63.8. Nunca mais se ouvirá[...] choro. Veja conceitos semelhantes sobre a chagada da salvação em Isaías 25.8; 35.10; 51.11.

65.20 — O jovem morrerá de cem anos. Em determinada instância, essas palavras indicam o retorno, no reino por vir, da longa existência humana dos tempos anteriores ao dilúvio (Gn 5). Aparentemente, o povo não será afligido por doenças e nem pelo envelhecimento, como hoje. Pecador também pode significar aquele que não tem uma vida longa.

65.21,22 — Essa passagem denota um trabalho dotado de significado, tanto no novo cosmos quanto no reino por vir, além do cancelamento da maldição (Dt 28.49-52).

Casas [...] vinhas. A vida de bênçãos no reino por vir é apresentada em termos que podem ser facilmente compreendidos pelos contemporâneos de Isaías (Mq 4-4). Os habitantes da nova terra não ficarão limitados a essas duas atividades, mas terão uma vida feliz e abençoada. A expressão como os dias da árvore é símbolo de longevidade e estabilidade (v. 20). Gozarão[...] até à velhice reforça a ideia da longevidade.

65.23 — Não trabalharão debalde. Essas palavras mostram que Deus reverterá a maldição que paira sobre o Universo (Gn 3.17-22) e removerá a maldição proferida nos dias de Moisés (Dt 28.30). A palavra hebraica traduzida por debalde significa vazio.

65.24 — Antes que clamem, eu responderei expressa a verdade de que não haverá período de tristeza entre a petição e o louvor (Is 30.19; 58.9). O louvor será contínuo.