2015/09/03

Significado de Jó 19

Significado de Jó 19
Significado de Jó 19

Jó 19

19.1,2 — Até quando entristecereis a minha alma...? Jó mostra-se cansado de ouvir as perguntas grosseiras de Bildade e as palavras angustiantes de seus amigos.

19.3-8 — Os amigos de Jó usaram a palavra vergonha associada à doença dele para argui-lo, tentando comprovar que Jó se encontrava em pecado (Jó 10.17; 16.8; 17.3). Com a afirmativa Deus é que me transtornou, Jó reage à insinuação de Bildade (Jó 8.3) de que Deus não subverte a justiça. Ele argumenta que a teoria de Bildade sobre Deus não se encaixa nos fatos. Pelo contrário, afirma que Deus o transtornou por engano como se ele fosse um animal selvagem ou criminoso. Ao descrever que Deus com a sua rede o cercou, Jó dá continuidade à metáfora de caçador divino principiada por Bildade. Essencialmente, Jó acredita que Deus entrincheirou o seu caminho, quando, na verdade, era Satanás quem o atormentava Qó 1.10; 3.23).

19.9,10 — Jó compara a perda de sua posição privilegiada de juiz ou conselheiro da cidade (Jó 29.7-25) ao despojamento que sofre um rei, cuja coroa é retirada de sua cabeça. A esperança de Jó, que certa vez já renascera como uma árvore nova que brota do toco (Jó 14.7-9), agora era completamente arrancada.

19.11-17 — A expressão filhos do corpo é problemática, já que o livro parece documentar a perda que Jó teve de todos os seus dez filhos (Jó 1.2,18,19). Talvez esta seja uma declaração retórica do tipo: “eu era repugnante até para os meus próprios filhos” (compare com o versículo 18).

19.18-20 — O sentido da expressão com a pele dos meus dentes é incerto. Pode ser que seu corpo estivesse tão debilitado pela doença que seus dentes tenham caído, e somente a pele, ou seja, as gengivas, continuavam intactas.

19.21,22 — O fato de Jó acreditar que a mão de Deus o tocou é irônico, pois na verdade, Deus recusou a solicitação de Satanás para que estendesse a Sua mão contra Jó (Jó 1.11; 2.5).

19.23,24 — A ironia destes versículos no contexto do livro de Jó é maravilhosa. Seria melhor que algumas das palavras de Jó não tivessem sido escritas!

19.25,26 — Jó expressa sua confiança em seu Redentor vivo, que, neste contexto jurídico, pode ser traduzido como Resgatador dos direitos de família (SI 119.154; Rute 4.1, onde apalavra é traduzida como remidor). Alguns intérpretes creem que Jó se referia a Deus; uma visão corroborada pelo que está escrito em Jó 17.3 e possivelmente pela citação a Deus no versículo 26. Porém, o contexto do livro — o anseio de Jó por um justo Juiz (Jó 9.33) e seu desejo de que alguém, um Advogado, pleiteasse sua causa junto a Deus (Jó 16.19-21) — talvez sugira que ele estivesse pensando em alguém, um Justo, que não era propriamente Deus. Aqui se entreve uma esperança forte e resoluta em um Intercessor entre Deus e a humanidade. No fim das contas, o anelo de Jó por um
Advogado foi atendido com um anseio pela manifestação de Jesus Cristo (1 Tm 2.5).

19.27 — Mais uma vez, o pronome mim, redundante e enfático no texto em hebraico (como o eu no versículo 25), indica uma forte crença e convicção. Jó ilustra um sofredor expressando com emoção a sua fé sólida mesmo em meio a uma situação terrível.

19.28 — A tradução da expressão em mim feita na Bíblia NKJV (Nova King James) baseia-se no texto massorético. Contudo, diversos manuscritos e versões hebraicas indicam a tradução nele. A diferença é, basicamente, decidir onde termina a citação da primeira parte do versículo.

19.29 — O aviso de Jó aos amigos— temei vós mesmos a espada — pode ter sido sua resposta aos comentários de Elifaz sobre o perverso com medo da espada (Jó 15.22).


Um comentário: