2015/09/03

Significado de Jó 2

Significado de Jó 2

Significado de Jó 2


Jó 2

2.1-3 — Esses versículos repetem o mesmo conteúdo em Jó 1.6-8, ressaltando que o caráter de Jó permanecia imaculado apesar dos ataques satânicos. O Senhor afirma que ele mantivera sua sinceridade (a mesma raiz hebraica da palavra sincero, em Jó 1.1,8), embora Satanás tenha incitado Deus a destruir Jó sem causa. Esta expressão é a tradução do mesmo termo hebraico que Satanás usara para insinuar que Jó não servia a Deus debalde (Jó 1.9). Agora, o Senhor constrangia o inimigo com esse lembrete.

2.4 — A origem da expressão pele por pele empregada por Satanás é obscura. Alguns acham que pode ter sido originada da prática de extração de peles de animais. Outros acreditam que a frase é semelhante à expressão vida por vida, olho por olho, dente por dente (Ex 21.23-25). Na última parte do versículo, Satanás insinua que Jó, como homem, até aceitaria perder suas posses e sua família, desde que sua saúde fosse poupada. Caso contrário, blasfemaria contra Deus.

2.5 — As palavras ossos e carne indicam que Satanás tinha a intenção de afligir o corpo inteiro de Jó com uma doença terrível, dolorosa e fatal.

2.6 — Quando o Senhor entregou Jó na mão de Satanás, é extraordinário que tenha ordenado que o inimigo poupasse a sua vida. Ironicamente, a palavra poupar em geral se refere ao papel de Deus em zelar por Seu povo com Sua providência (como aparece em Jó 29.2, quando ele relembra os dias em que Deus o guardava).

2.7 — A doença com a qual Satanás afligiu Jó era uma chaga maligna da cabeça aos pés; algo de difícil identificação. O termo para chaga era empregado para descrever a praga de úlceras no Egito (Ex 9.9-11). A mesma expressão, chaga maligna, era uma das maldições (castigos) prometidas para os desobedientes (Dt 28.35), denotando uma doença incurável.

2.8 — Outra vez Jó expressou sua dor de forma usual (Jr 6.26). Pedaço de telha é o mesmo que um pedaço de louça quebrada, e cinza faz referência à pilha de lixo da aldeia.

2.9 — As palavras da esposa de Jó — amaldiçoa a Deus e morre — foram provavelmente a provação mais amarga para ele. Ironicamente, a pergunta que ela faz— ainda reténs a tua sinceridade 1 — apre - senta quase as mesmas palavras utilizadas antes pelo Senhor (Jó 2.3). A repetição dessa sentença ressalta a perseverança de Jó, que sua esposa interpretou de forma equivocada como loucura ou fanatismo religioso. Ela provavelmente pensou que o marido se recusava cegamente a encarar a realidade de sua situação desesperadora.

2.10 — A resposta de Jó ao segundo teste (a perda de sua saúde e o afastamento de sua esposa) foi ainda mais uma vez louvável. A pergunta retórica de Jó, advertindo sua mulher quanto ao dever do homem de aceitar das mãos de Deus tanto o bem como o mal, permite-nos vislumbrar uma das mensagens centrais do livro de Jó: a pessoa que tem fé confiará em Deus tanto na prosperidade como na adversidade, ainda que não consiga entender por que o mal lhe sobreveio [especialmente se for um justo].

2.11 — Elifaz, o temanita, parece ser um edomita de Temã, no norte de Edom (Gn 36.11). O termo suíta pode referir-se à ancestralidade de Bildade, já que os dois outros amigos foram identificados a partir da cidade natal de cada um. Zofar, o naamatita, pode ter vindo de Naamã, uma área montanhosa no noroeste da Arábia.

2.12,13 — Esses amigos se importavam verdadeiramente com Jó, porque choraram e ficaram ao seu lado por sete dias e sete noites [como era o costume antigo]. Contudo, mais tarde, falhariam de modo trágico com Jó por não terem dado ouvidos à defesa e aos argumentos dele (Jó 8.4-6; 13.5-13).

Índice: Jó 1 Jó 2 Jó 3 Jó 4 Jó 5 Jó 6 Jó 7 Jó 8 Jó 9 Jó 10 Jó 11 Jó 12 Jó 13 Jó 14 Jó 15 Jó 16 Jó 17 Jó 18 Jó 19 Jó 20 Jó 21 Jó 22 Jó 23 Jó 24 Jó 25 Jó 26 Jó 27 Jó 28 Jó 29 Jó 30 Jó 31 Jó 32 Jó 33 Jó 34 Jó 35 Jó 36 Jó 37 Jó 38 Jó 39 Jó 40 Jó 41 Jó 42

Nenhum comentário:

Postar um comentário