2016/09/20

Romanos 3 — Explicação de Romanos

Romanos 3 — Explicação de Romanos

Romanos 3 — Explicação de Romanos

3.1-8 Revela algumas grandes realidades divinas. 1) Os oráculos (v. 2) de Deus são privilégios de maior valor entre aqueles concedidos aos homens. 2) A fidelidade de Deus (v. 3). 3) A justiça de Deus (v. 5). 4) O julgamento de Deus (v. 6). 5) A verdade de Deus (v. 7). 6) A glória de Deus (v. 7).
3.9 Não, de forma nenhuma. Refere-se à posição do judeu carecendo da graça salvadora de Deus tanto como ao gentio. Em contraste, o v. 2 responde à pergunta acerca da vantagem do judeu com as palavras: “Muita sob todos os aspectos”, no que se refere aos seus privilégios como povo escolhido.
3.10-18 Estes vv. formam uma cadeia de seis citações do AT. É uma prova da universalidade do pecado. 1) O pecado no caráter humano (vv. 10-12). 2) O pecado na conduta humana (vv. 13-17); a) em palavra (vv. 13, 14);- b) em ação (vv. 15-17). 3) A Fonte do Pecado (v. 18).
3.19 A lei aqui refere-se aos Salmos, Profetas e Provérbios É portanto, uma referência à autoridade igual de todo o AT.
3.20 Termina a seção que começou com 1.18 sobre a necessidade universal do homem. O objetivo desta passagem não é só demonstrar a culpabilidade dos judeus e gentios como também julgar os seus sistemas religiosos, todos incapazes de salvar o homem.
3.21 Justiça de Deus. Esta expressão tem dois sentidos em Romanos: 1) É a justiça que Deus tem e manifesta, sendo perfeitamente consistente com tudo o que Ele mesmo é (3.5). 2) Noutros casos, é um dom que Ele dá (1.17). Nos vv. 21, 22, significa a justiça que Ele nos dá, enquanto o primeiro sentido se encontra no 25. Ambas as ideias estão unidas no v. 26. Salvação pela fé não é coisa nova mas encontra-se em todas as relações entre Deus e os homens.
3.23 Carecem do glória (cf. Is 43.7). Em pecar, o homem se encontra em falta perante o ideal para o qual Deus o criou. Glória significa o esplendor visível irradiando da presença de Deus que veio a simbolizar a perfeição divina. Esta é em parte, comunicada ao homem por Cristo (cf. 2 Co 4.6; 3.18).
3.24 Redenção (gr apolutrõsis). É a compra de um escravo para dar-lhe a liberdade. Há um paralelo na redenção de Israel do Egito (Êx 15.13) e do exílio na Babilônia (Is 41.14; 43.1).
3.25 Propiciação (gr hilasterion). Este termo, na LXX traduz kopporeth (propiciatório), o lugar onde os pecados são expiados ou removidos. Através da morte de Cristo, Deus remove os pecados do Seu povo, não simbolicamente como no ritual em Lv 16, mas realmente, limpando a consciência do homem e eliminando sua culpabilidade perante Deus.
3.26 Jesus Cristo ocupa uma posição única como o representante de Deus com o homem e do homem com Deus.


Nenhum comentário:

Postar um comentário