2015/12/24

Biblioteca de Alexandria

Biblioteca de Alexandria
Biblioteca de Alexandria

A biblioteca de Alexandria foi a mais completa e mais famosa do mundo antigo. Foi fundada por Ptolomeu I (c. 300 A.C.), em conjunção com o Museu e a Universidade, com um corpo docente de eruditos sustentados pelo estado. O Museu tinha diversas divisões: uma faculdade de aprendizagem semita e grega, um centro de pesquisa internacional e a biblioteca. As instalações incluíram um número de edifícios e jardins semelhantes aos das Universidades de Oxford e Cambridge.

Os estudiosos mais brilhantes da época a frequentavam para ler os manuscritos e para fazer pesquisa. Ptolomeu atraiu alguns dos homens mais brilhantes da época para trabalhar e lecionar em Alexandria, oferecendo-lhes dinheiro e privilégios. Assim foi, que Alexandria substituiu Atenas como o centro cultural da época. Por cerca de um século, Alexandria não tinha rival. Mais tarde a biblioteca de Pérgamo (A. Menor) ganhou uma reputação admirável como um centro de erudição. O filho de Ptolomeu compartilhava a visão do pai e aumentou imensamente o número dos manuscritos da biblioteca de Alexandria. Seu bibliotecário, Demétrio de Falero, tentou adquirir cópias de todos os livros do mundo.

Quando iniciou seu trabalho, a biblioteca tinha 200.000 manuscritos e ele acrescentou 300.000. Ptolomeu III (247-222 A .C.) estabeleceu um a biblioteca menor no Serâpeo, o templo de Júpiter Serápis, no mesmo local. Sêneca nos informa que 400.000 livros foram queimados na biblioteca na campanha de guerra que César fez na cidade. Mas a biblioteca foi reconstruída e Aulo Géüo, no século II D.C. declarou que, no tempo dele, a biblioteca tinha 700.000 livros. Segundo a tradição judaica, foi para esta biblioteca que a tradução do Antigo Testamento foi feita, sendo chamada de Septuaginta, da tradição de 70 eruditos que produziram a obra. Esta informação foi registrada na Carta de Arísteas. Os manuscritos foram adquiridos de todas as partes do mundo conhecido na época, e em muitas linguagens.

Eruditos e sacerdotes tinham livros e coleções particulares por séculos, mas foi em Alexandria que a primeira grande biblioteca foi estabelecida. Além disso, a biblioteca tomou-se um centro de traduções, fabricação e duplicação de manuscritos. A filologia tomou-se uma ciência. A teoria gramática do grego clássico foi desenvolvida e melhorada em Alexandria. Interpretações criticas sobre muitas obras foram produzidas pelos eruditos da biblioteca. Entre as muitas obras importantes lá produzidas está o tratado de Hipócrates sobre a medicina (460-377 A.C.). A ciência da cartografia também foi lá desenvolvida em cerca de 300 A.C. Euclides, o pai da geometria científica, trabalhou na cidade em cerca de 300 A.C., escrevendo seu livro “Os Elementos da Geometria”. Seus conceitos têm sido ensinados por mais de 2000 anos, e este livro tem sido chamado “o livro texto mais bem-sucedido de todos os tempos”.

Erastóstenes, um dos bibliotecários da biblioteca, no terceiro século A.C. descreveu a forma globular da terra, e falou de terras além do horizonte. Ele usou sombras lançadas pelo sol para calcular a circunferência da terra, e errou em apenas 1100 milhas. Strabo desenvolveu a ciência da geografia em Alexandria, e publicou seu livro “Geografia” em 23 D .C. O grande erudito Ptolomeu de Alexandria (127-151 D.C.), escreveu sobre diversas ciências, geografia, cartografia, matemática, e principalmente sobre astronomia. Seu trabalho sobre a geografia tinha 8000 nomes geográficos e seus livros tratavam sobre a astronomia de todos os planetas e 1022 estrelas. Mas ele cometeu o grande erro de localizar a terra no centro do universo, e só muitos séculos depois este erro foi corrigido.

A leitura de todas as realizações dos eruditos de Alexandria se lê como um livro de “Quem é Quem” do mundo antigo, e os nomes e livros citados aqui são somente representativos da grande atividade daquele centro de erudição e literatura. Os judeus nunca tiveram um homem mais erudito que Filo, nem os cristãos, alguém mais erudito que Orígenes, e ambos foram nativos de Alexandria. Nesta cidade se desenvolveu a célebre Escola de Teologia de Alexandria que tinha alguns entendimentos mais sábios do que aqueles da Igreja Ocidental, sobre um número de assuntos que têm influenciado a teologia cristã, especialmente na Igreja Oriental e na Igreja Anglicana. 

Links Externos

Nenhum comentário:

Postar um comentário