2016/01/11

Arrependimento — Estudo Bíblico

Arrependimento — Estudo Bíblico

Arrependimento

I. Exigência Espiritual

Essa é a principal exigência para que haja perdão de pecados. O arrependimento tem início na conversão, que é o primeiro passo da regeneração. Ver o artigo sobre Conversão.  A conversão ainda não é a “regeneração” propriamente dita; mas antes, faz parte dela, sendo o início do novo nascimento. Sem conversão não há regeneração, embora a conversão não encerre a totalidade da regeneração. É o começo, o ponto em que o pecador abandona o pecado e o seu antigo “eu”, a sua rebeldia contra Deus. A conversão, além disso, é um ato produzido pela influência do Espírito Santo, que não pode suceder sem esse poder, embora existam agitações emocionais que provocam transformações por pouco tempo, que podem imitar a conversão. 

A verdadeira conversão é um a transformação interna da alma, e esse é exatamente o primeiro passo da regeneração. A regeneração completa consiste na total transformação do ser, segundo a imagem de Cristo, de tal modo que alguém chega a “nascer” no reino de Deus, ou seja, nos lugares celestiais, o mundo acima, o outro mundo, que também é chamado de “céu”. O indivíduo totalmente regenerado é uma nova criação, de natureza moral e metafísica semelhante à de Cristo; e isso só pode suceder nos lugares celestiais, em seu grau mais elevado, que inclui a glorificação apesar de que é na esfera terrena que têm começo a conversão e a santificação.

II . Do que Consiste o Arrependimento?

1. É um ato divino que transforma o homem, mas que depende da reação positiva do homem, uma vez inspirado pela fé:

2. É o começo do processo da santificação (ver o artigo a respeito).

3. Juntamente com a fé, perfaz a conversão (ver o artigo).

4. É determinado por Deus (Atos17:30) e é conferido por ele (II Tim. 2:25).

5. Foi determinado por Cristo (Apo. 2:5,16 e 3:3).

6. É uma operação do Espírito (Zac. 12:10).

7. A bondade de Deus nos leva ao arrependimento (Rom. 2:4).

8. A tristeza segundo Deus fomenta o arrependimento (II Cor. 7:10).

9. Conduz à vida eterna (Atos 11:18).

10. É necessário para o perdão dos pecados (Atos 2:38; 3:19 e 8:22).

III. Arrependimento e Fé

Essas duas palavras aparecem frequentemente associadas na chamada aos homens, para que venham a Cristo, a fim de receberem gratuitamente a salvação que ele oferece. O trecho de Atos 20:21 diz, concernente ao ministério de Paulo e à mensagem por ele pregada: “...arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo”. O anúncio feito por Jesus Cristo, em suas primeiras mensagens, logo depois de haver sido batizado por João Batista, era: “...arrependei-vos, e crede no evangelho...” Esses dois atos, na realidade, são apenas aspectos de um a mesma realidade espiritual. A fé provoca o arrependimento, e vice-versa, pois uma coisa revela a natureza da outra. No livro de Atos, Pedro mostrou aos seus ouvintes a verdadeira natureza do Messias, a quem haviam crucificado; e eles exerceram fé nele, o que imediatamente levou-os a sentir profundo golpe em seus corações e resultou em verdadeiro arrependimento.

IV. Requisitos

Quanto aos requisitos para que alguém seja aceito na comunidade cristã, pode-se dizer que era dada tal admissão quando alguém demonstrava arrependimento, sobretudo daquela atitude de rebeldia que havia levado aquela gente a exigir a crucificação de Cristo, o Messias. Como confissão visível de que estavam seguindo ao Senhor Jesus, e como sinal de sua lealdade a ele, tinham de receber o rito do batismo cristão, tal como os prosélitos do judaísmo, que tinham de submeter-se à imersão, ou como João Batista submetia ao batismo no rio Jordão os que se arrependessem através de sua prédica. Formulações completas foram proferidas, especialmente no que tange à morte de Cristo como expiação pelo pecado. Apesar de que tais questões tivessem sido claramente aludidas por Jesus (por exemplo, na cena da última ceia, em que o Senhor fala que estava prestes a dar a sua vida como resgate por muitos) foram mais claramente definidas através das revelações divinas concedidas ao apóstolo Paulo.

Seria mesmo um a tolice esperarmos que o sermão de Pedro, nessa altura dos acontecimentos, ainda tão no começo da igreja cristã, revelasse todas as facetas possíveis da fé em Cristo, que documentos cristãos de épocas posteriores, embora ainda dos tempos apostólicos, enfatizavam. O trecho de I Ped. 1:19 certamente enfatiza a morte de Cristo como um a expiação; e é muito provável que essa ênfase fizesse p arte da teologia cristã mais primitiva, sem importar se isso tenha sido destacado ou não neste sermão do apóstolo Pedro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário