2016/02/03

Apocalipse 1 — Explicação das Escrituras

Explicação de Apocalipse de Apocalipse 1





Apocalipse 1

1.1 Revelação (gr apokalupsis, lit. “tirar o véu”). Indica a revelação de uma mensagem. De Jesus Cristo. A gramática (gr genitivo subjetivo) indica que a mensagem vem de Cristo. Notificou (gr semainõ), “indicar”, “ensinar por símbolos”. A chave da interpretação deste livro já está no primeiro versículo: é ensinamento simbólico. João. O Apóstolo, filho de Zebedeu.
1.3 Lêem. A leitura das Escrituras no culto. Nota-se a ênfase sobre a necessidade de ouvir (2.7, 11, 17; etc.); cf. Lc 4.16; 2 Co 3.15; At 15.21). Guardam. Vivem leais aos ensinamentos do livro. A bênção é para quem o lê para outros escutarem, para os que escutam a leitura com uma mente compreensiva, e para quem observa seus princípios.
1.4 Sete igrejas. Os nomes são dados no v. 11. Igreja (gr.: ekklesia “assembleia”, ”convocação”). No NT são as assembleias do povo de Deus. Ásia. Nome de uma província romana na área ocidental da Turquia moderna. Aquele que é, que era e que há de vir. Um título de Jesus Cristo, que ressalta a eternidade da Sua divina Pessoa, cf. Êx 3.15n. Sete Espíritos. O número “sete” aplica-se ao Santo Espírito para indicar que Seu poder e Sua autoridade são totais, cf. Is 1 1.2.
1.5 Primogênito dos mortos. Jesus, pela ressurreição, recebeu o primeiro corpo celestial, sendo “as primícias dos que dormem” (1 Co 15.20, 48; Cl 1.18). Libertou. libertar a preço de sangue é a redenção como resgate (cf. Hb 9.12).
1.6 Reino. Cristo concede aos que aceitam Sua salvação o privilégio de reinar com Ele (cf. 1 Pe 2.9-10). Sacerdotes. O conceito de uma nação ou povo sacerdotal se vê em Êx 19.6; At 1.6, 1 Pe 2.5, 9. Revela-se o privilégio do crente de ter acesso à presença de Deus.
1.7 Eis que vem. Refere-se à promessa da segunda vinda de Cristo, feita na hora da ascensão, At 1.11 (cf. Mt 24.30),
1.8 Alfa... Ômega. A primeira e a última letra do alfabeto grego, apontando para Cristo como Autor e Fim de todas as coisas.
1.10 Achei-me em espírito. Cristo concedeu a João uma visão da realidade normalmente inacessível aos homens. O Agente desta visão foi o Espírito Santo. Dia do Senhor. Na época de ser escrito este Livro (95 d.C.), o domingo já tinha sido consagrado pela Igreja como o dia especial de cultuar o Senhor Jesus Cristo.
1.14 Brancos. Simboliza santidade, reverência e a eterna deidade de Cristo. A Ele se aplica a descrição de Daniel do Ancião de Dias (cf. Dn 7.9).
1.15 Voz de muitas águas. A voz de Deus (Ez 43.2) soava para Ezequiel assim também, talvez sugerida pelo mar ao quebrar nas rochas da ilha de Patmos. Simboliza a autoridade e a soberania de Deus (cf. Jo 12.29)
1.16 Mão direita. Indica uma posição de grande honra, privilégio e autoridade. Espada. Seria o poder e direito que Cristo tem para julgar e para executar a sentença (cf. Is 11.4, Hb 4.12 - 13).
1.18 Tenho as chaves. Estão em vista autoridade e controle; João está vendo Quem tem domínio sobre mortos e vivos.

Índice: Apocalipse 1 Apocalipse 2 Apocalipse 3 Apocalipse 4 Apocalipse 5 Apocalipse 6 Apocalipse 7 Apocalipse 8 Apocalipse 9 Apocalipse 10 Apocalipse 11 Apocalipse 12 Apocalipse 13 Apocalipse 14 Apocalipse 15 Apocalipse 16 Apocalipse 17 Apocalipse 18 Apocalipse 19 Apocalipse 20 Apocalipse 21 Apocalipse 22

Nenhum comentário:

Postar um comentário