2016/03/27

João 16 — Explicação das Escrituras

João 16 — Explicação de João

João 16  — Explicação de João

 


João 16
16.1 Escandalizeis. Lit. “tropeceis”. Os discípulos não devem perder a coragem ao enfrentar as perseguições Judaicas (executadas “em nome de Deus”, At 22.3, 4)
16.3 Os salvos se distinguem do mundo pelo verdadeiro conhecimento de Deus (17.3) e de Sua vontade.
16.4 Hora (cf. Lc 22.53; Jo 17.1). A hora do Mundo perseguir os santos.
16.7 A conveniência da partida de Jesus para o Pai se percebe na formação do Corpo universal de Cristo por intermédio do Espírito Santo. O Consolador colocará à disposição dos crentes o amor e poder de Cristo como se Ele estivesse em toda parte junto com eles (Mt 18.20; 28.20).
• N. Hom. 16.8-11 A Obra do Espírito é: 1) convencer o: mundo que o pecado fundamental é rejeitar a Cristo; 2) aplicar a justiça imputada pela morte e ressurreição de Cristo ao crente (Rm 4.25); 3) mostrar que o juízo que Cristo sofreu venceu a Satanás, o príncipe do mundo (33; 1 Jo 5.4s).
16.12 Muito que vos dizer. Jesus deu de antemão o seu endosso ao NT. Muitas coisas ainda não foram reveladas (12). Tudo que faltava da revelação, seria suprido pelo Espírito (13) que “vos guiará a toda a verdade”. Cristo menciona os elementos básicos do NT. a) história - “vos fará lembrar de tudo...” (14.26); b) doutrina - “vos ensinará todas as coisas” (14.26; 16.14: cf. Lc 24.27); c) profecia - “vos anunciará as coisas que hão de vir” (16.13).
16.13 Toda a verdade. Autenticidade de doutrina e prática se garantem pela revelação do Espírito por meio das Escrituras.
16.16 Jesus fala aqui de intervalo que passaria no túmulo e também do tempo entre a ascensão e a segunda vinda (17; Ap 3.11; 22.7, 12, 20).
16,20 O mundo se alegraria com a morte de Cristo, mas a ressurreição e a segunda vinda transformarão essa alegria em tristeza (Ap 6.15-17). O contrário se dará com os filhos de Deus.
16.22 Vossa alegria. O gozo inabalável que domina o coração do crente é aquele que o Espírito suscita nesse coração (Gl 5.22).
16.23 Naquele dia se refere ao derramamento do Espírito no dia de Pentecostes. Então os discípulos passariam a depender completamente do Espírito.
16.25 Figuras. Cf. 10.6n. Vem a hora. Refere-se ao ensino de Jesus após a ressurreição (cf. Lc 24.27, 45). Talvez haja também uma indicação para o ensino apostólico e profético do NT.
16.27 Vos amo (gr philei “tem afeição”, “ser amigo”). Cf. 15.13-15; 21.17n. O Pai ama a todos que amam ao Filho. Igualmente o Filho ama aqueles que amam a seus discípulos (Mt 25.31 ss)
16.28 A missão de Jesus foi revelar o Pai e compartilhar a vida eterna. Voltará para reinar sobre Sua Igreja (Ef 47-16).
16.30 Não precisas... pergunte. Cf. 2.25.

16.32 Dispersos. Cf. 6.66ss; Mt 26.31. A dispersão é conseqüência da incredulidade (cf. 14.1) e a falta de vigilância e oração (Mt 26.41; Mc 14.38). Paz vem pela fé (Fp 4.6, 7, 9).

Índice: João 1 João 2 João 3 João 4 João 5 João 6 João 7 João 8 João 9 João 10 João 11 João 12 João 13 João 14 João 15 João 16 João 17 João 18 João 19 João 20 João 21

Nenhum comentário:

Postar um comentário