2016/03/27

João 3 — Explicação das Escrituras

João 3 — Explicação de João

João — Explicação de João





João 3
3.1 Fariseus. Cf. Mc 3.6n. Nicodemos era um “principal”, i.e., membro do Sinédrio, supremo tribunal dos judeus.
3.2 Sabemos. Nicodemos raciocinava que só Deus faria os milagres por intermédio de Jesus (2.23). Queria saber do Seu ensino.
3.3 De novo (gr anõthen) tem três significados: 1) “de cima” (31); 2) “desde o início” (Lc 1.3; At 26.5); 3) “de novo” (CI 4.9). “De cima” é melhor aqui.
3.4,5 Nicodemos, sendo filho de Abraão, observador meticuloso da lei e na opinião sua, súdito do Reino, não entendeu. Cristo declara que sem a implantação da vida do Espírito não há salvação. Água e do Espírito. Cf. Ez 36.25-27 onde Deus promete transformar o coração por água pura e pelo Seu Espírito. Água pode significar a confissão de Cristo e arrependimento realizados normalmente no batismo baseado na fé (At 2.38).
3.6 Jesus ensina que o homem natural não herdará a vida sobrenatural sem a conversão vinda pelo arrependimento e o Espírito (1.12, 13).
3.7 Importa-vos. O plural, (vos) declara a necessidade de todos.
3.8 Vento (gr pneuma “espírito”, “vento”). Tal como o vento atua imprevisível e invisivelmente, mas é percebido em seus efeitos, do mesmo modo o Espírito opera na vida dos filhos de Deus e a controla (Rm 8.14).
3.9-11 Nicodemos não passa de ser um materialista religioso. Nunca experimentara a união interior com Deus (11). Cf. 1.12, 13.
3.13 A revelação da verdade salvadora não depende do homem subir até às alturas, mas da descida (encarnação) do Filho de Deus 8.23, 28; Fp 2.5-8).
3.14 Levantou (gr hupsõsen “elevar”, “exaltar”). O Cristo crucificado tem de ser visto pela fé (tipificado na elevação da serpente no deserto). Ao reconhecer a Jesus como substituto sacrificial, o crente recebe a vida celestial dele (cf. 8.28; 12.32).
3.16 O mundo dos homens, alienado e condenado recebe no dom do amor (agape) de Deus a opção da vida eterna. • N. Hom. Salvação, 1) Sua força motriz - o amor; 2) Seu iniciador - Deus; 3) Seu mediador - o Filho unigênito; 4) Seu destinatário - o mundo; 5) Seu beneficiário - todo aquele que crê; 6) Seu galardão - a vida eterna.
3.17 Ainda que o propósito principal da vinda de Cristo ao mundo era trazer a salvação (cf. Ez 33,11), não é possível escapar ao fato que a vinda da luz (Cristo) julga e condena os homens que mais amam o pecado do que a justiça (19).
3.19 As trevas. Metáfora comum no NT para apontar a vida pecaminosa humana, separada de Deus (1 Jo 1.6).
3.20,21 Quem escolhe a vida sem Deus abafa a convicção de culpa que o pecado traz. Quem se entrega a Cristo aceita de bom grado a revelação de sua própria pecarninosidade. Pela confissão (isto é praticar a verdade) o pecador se aproxima da luz onde alcança a purificação de “todo pecado” (1 Jo 1.9).
3.27 João confirma a verdade que Jesus revelou a Nicodemos. O novo nascimento vem de cima (3n); João foi comissionado por Deus.
3.29 Noivo. Denota os crentes em Cristo (cf. 2 Co 11.2; Ef 5.22-32). Noivo. É Cristo. Amigo do noivo. João Batista. No casamento oriental o “amigo” cuidou dos arranjos da festa e presidiu-a. Chegando o noivo ao quarto nupcial, ele se 'retirava alegremente.
3.31 Quem... alturas. Refere-se a Cristo (13). Da terra. João.
3.34 O enviado corresponde ao “Filho unigênito” que Deus “deu” para salvar o mundo (16). Espírito por medida. Veja vv. 5 e 8.
3.35 Confiado.. coisas. Cf. 1 7.2; Mt 28 1 8.

3.36 Se mantém rebelde (gr apeithõn). Esta palavra está colocada em oposição a “crê” indicando que fé em Cristo inclui obediência (2.23n).

Índice: João 1 João 2 João 3 João 4 João 5 João 6 João 7 João 8 João 9 João 10 João 11 João 12 João 13 João 14 João 15 João 16 João 17 João 18 João 19 João 20 João 21

Nenhum comentário:

Postar um comentário