2016/05/01

Êxodo 36 — Explicação das Escrituras

Êxodo 36 — Explicação de Êxodo

Êxodo 36 — Explicação de Êxodo

36.1 Trabalharam. A habilidade e o material já estão à disposição dos servos de Deus, e o padrão está dado com todos os pormenores. É só pô-lo em prática, a tempo e fora de tempo e viver à altura da sublime vocação, confiando no auxílio de Deus.
36.4 Homens sábios. São aqueles que fazem a obra de Deus, e esta é à verdadeira definição da sabedoria. Meditar na vontade divina e pô-la em prática, segundo a plenitude da sua capacidade.
36.5 Muito mais. Bem-aventuradas são aqueles que, generosamente, dão para a obra de Deus antes de proclamado não haver Mais tempo (Jo 9.4-5).
36.8 Aqui começa a lista das obras feitas para construir o Tabernáculo, que continua até 38.20. Algumas notas já foram colocadas nos capítulos 25 até 30, acrescentando uma visão parcial do significado dos objetos. Tais capítulos devem ser estudados juntamente com os que se seguem daqui para frente.
36.9 Vinte e oito côvados. Cerca de 13 metros. tendo o côvado c. 46 cm.
3.13 Colchetes de ouro. Prendiam os dois conjuntos ou agrupamentos de cinco cortinas cada um. Desta maneira era possível carregar e montar as cortinas do Tabernáculo, sem o empecilho do seu peso, o que haveria se as cortinas fossem juntadas de um modo permanente.
36.14 Tendo sobre o Tabernáculo. Cf. 26.7, nota.
36.15 Cortinas. Esta camada de cortinas grossas servia para proteger as cortinas da cobertura interior do Tabernáculo do sol e do mau tempo. Trinta côvados. Estas cortinas, sendo dois côvados mais longas do que as cortinas internas, podiam cobrir satisfatoriamente o Tabernáculo. A opinião apresentada no “Dictionary of the Bible”, de Smith (vol. III, p 1452-1454), de que havia uma viga colocada no meio do teto, o qual era sustentado em uma posição acima de dez côvados (4,6 m, que era a altura descrita no Êxodo, acerca do Tabernáculo), não pode ser aceita se comparada com as medidas das cortinas.
36.18 Colchetes de bronze. Devemos entender que, provavelmente, o “bronze” seria cobre (Vd o artigo “Tabernáculo” no NDB). Esses colchetes serviam para segurar e unir a cobertura externa. As cortinas internas eram unidas com ouro (26.6).
36.20-22 As tábuas (heb qerashim). É mais do que provável que essas tábuas dispostas em forma de esquadrias de madeira, não eram muito sólidas. Os dois principais sarrafos laterais seriam, nesse caso, os que nossa versão traduz por dois encaixes. Tinham a vantagem de serem mais leves e davam um aspecto estético às cortinas que os cobriam pelo lado de fora.
36.35 O véu. Enquanto o véu estava no templo, o caminho para o Santo dos Santos e a plenitude da comunhão direta com Deus, estava fechado. Quando o véu foi rasgado na hora da morte de Jesus Cristo (Mt 27.51; Hb 10.20), o caminho se abriu. Através de Cristo temos acesso perpétuo ao trono da Graça, tanto agora (Hb 9.24) como na eternidade (Ap 11.19).
36.37 O reposteiro nos lembra de Jesus Cristo, pois ninguém pode entrar no aprisco da Salvação sem passar por Ele (Jo 10.7-9).

Índice: Êxodo 1 Êxodo 2 Êxodo 3 Êxodo 4 Êxodo 5 Êxodo 6 Êxodo 7 Êxodo 8 Êxodo 9 Êxodo 10 Êxodo 11 Êxodo 12 Êxodo 13 Êxodo 14 Êxodo 15 Êxodo 16 Êxodo 17 Êxodo 18 Êxodo 19 Êxodo 20 Êxodo 21 Êxodo 22 Êxodo 23 Êxodo 24 Êxodo 25 Êxodo 26 Êxodo 27 Êxodo 28 Êxodo 29 Êxodo 30 Êxodo 31 Êxodo 32 Êxodo 33 Êxodo 34 Êxodo 35 Êxodo 36 Êxodo 37 Êxodo 38 Êxodo 39 Êxodo 40


Nenhum comentário:

Postar um comentário