2016/05/25

Olho — Estudos Bíblicos

Olho — Estudos Bíblicos

Olho — Estudos Bíblicos



OLHO

No Antigo Testamento é usada uma palavra e, no Novo Testamento, duas, a saber:
1. 'Ayin, “olho”. Esse vocábulo aparece por um pouco mais de setecentas vezes, com esse sentido, pois também pode significar idéias como “cor”, “face”, “fonte”, “aparência”, “presença”, etc. Sua primeira menção fica em Gên. 3:5; e a última, em Mal. 2:17.
2. Ophthalmós, “olho”. Palavra grega usada por noventa e cinco vezes. Para exemplificar: Mat. 5:29,38 (citando Êxo. 21:24); 6:22,23; 7:35; 9:29,30; 13:15 (citando Isa. 6:10); 13:16; 17:8; 18:9; 20:15,33; 21:42 (citando Sal. 118:23); Mar. 7:22; Luc. 2.30; João 4:35; Rom. 3:18 (citando Sal. 36:2); 11:8 (citando Isa. 29:19); 11:10 (citando Sal. 69:24); I Cor. 2:9 (citando Isa. 64:3); I Ped. 3:12 (citando Sal. 34:16); II Ped. 2:14; I João 1:1; Apo. 17:14.
3. Ómma, “vista”, termo grego empregado por apenas duas vezes: Mat. 20:34 e Mar. 8:23.
Usos Literais. O uso literal é o mais frequente. O sentido da percepção visual é considerado dotado de extremo valor. Um ferimento devastador contra um inimigo consistia em cegar-lhe os olhos (Juí. 16:21; I Sam. 11:2), o que serve de horrenda ilustração da ilimitada degradação humana. Os olhos são os órgãos da visão do homem (Gên. 3:6) e dos animais (Gên. 30:41); e, antropomorficamente, até de Deus (Sal. 33:18); e, simbolicamente, de objetos físicos (Eze. 1:18 e Apo. 4:5).
Usos Metafóricos. Esses são os mais variegados: 1. Como símbolo do orgulho, como no caso dos olhares altivos (Isa. 5:15); 2. da piedade (Deu. 7:16); 3. do sono (Gên. 31:40); 4. dos desejos (Eze. 24:16); 5. da constante vigilância de Deus (Sal. 1:6); 6. da medida de juízo e retribuição absoluta, como na expressão “olho por olho”, em Lev. 24:20; 7. de um encontro face a face (“olho com olho”, no original hebraico) (Núm. 14:14); 8. da visão completa (Gên. 42:24); 9. da iluminação espiritual (Sal. 19:8; Luc. 11:34; Efé. 1:18); 10. do cansaço, “amortecidos” (Sal. 6:7; Jó 17:17); 11. da generosidade, como em “olhos bons”, em Luc. 11:34; 12; dos olhos maus, que representam a inveja e o desejo de prejudicar (Deu. 28:54; Pro. 28:22; Mar. 7:22). Ver o artigo separado sobre esse assunto, sob o título Inveja. 13. Da facilidade com que as tentações assaltam um homem, por meio de seus olhos e demais sentidos (Gên. 3:6; I João 2:16); 14. os olhos altivos indicam a arrogância e o orgulho (Sal. 18:27; Isa. 10:12); 15. o olho bom (Mat. 6:22) representa simplicidade e sinceridade; 16. a concupiscência, como no caso dos olhos cheios de adultério (II Ped. 2:14); 17. aquilo que é motivo de profundo deleite, a pupila do olho (Deu. 32:10; Zac. 2:8); 18. a fixação da atenção sobre as coisas apropriadas; os olhos do sábio estão em suas cabeças (Ecl. 2:14); em contraste com isso, os olhos dos tolos vagueiam pelos confins da terra (Pro. 17:24); 19. abrir os olhos é dar toda a atenção a alguma coisa (Núm. 24:3); 20. ter olhos que não vêem é mostrar-se insensível para com as realidades espirituais (Isa. 6:10; Rom. 11:8); 21. arrancas os próprios olhos e dá-los a outrem indica grande amor e sacrifício pessoal (Gál.4: 15); 22. o olho insatisfeito é a ganância que jamais se satisfaz (Ecl. 4:8); 23. ciscos ou traves no olho indicam pecados menores ou maiores, que obstruem a visão espiritual e nos impedem de tratar outras pessoas com a devida justiça (Mat. 7:3).


Nenhum comentário:

Postar um comentário