2016/06/29

Estudo sobre Apocalipse 10

Índice: Apocalipse 1 Apocalipse 2 Apocalipse 3 Apocalipse 4 Apocalipse 5 Apocalipse 6 Apocalipse 7 Apocalipse 8 Apocalipse 9 Apocalipse 10 Apocalipse 11 Apocalipse 12 Apocalipse 13 Apocalipse 14 Apocalipse 15 Apocalipse 16 Apocalipse 17 Apocalipse 18 Apocalipse 19 Apocalipse 20 Apocalipse 21 Apocalipse 22

Interlúdio antes da sétima trombeta (10.1—11.14)
a) O anjo com o livrinho (10.1-11)
Embora o anjo poderoso que João agora vê descendo dos céus tenha características que lembram a visão de Cristo em 1.13ss, especialmente sua face [...] como o sol (v. 1), ele não deve ser identificado com Cristo. Tendo um livrinho [...] aberto em sua mão (v. 2) — acerca do seu conteúdo e natureza, v. comentário dos v. 8-11 — ele cavalga o mundo estreito como um colosso, e com sua voz, como o rugido de um leão, acorda os sete trovões (v. 3). Os sete trovões (cf. a voz séptupla do Senhor em SI 29) são mais uma série de sete das visitações divinas, como os selos, as trombetas e as taças, mas o que elas transmitem (ao contrário da que está no livrinho) ainda não está pronto para ser revelado, de modo que João recebe a ordem de selar o que disseram e de não escrever o que ouviu (v. 4; cf. Dn 12.4 e contraste com Ap 22.10). (S. H. Hooke sugeriu que o que João foi proibido de escrever nessa ocasião foi mais tarde divulgado em Jo 12.31)
32.) O anjo colossal então jura por Deus que Não haverá mais demora! (v. 6; a NVI traz o verdadeiro sentido do termo gr. chronos aqui, enquanto esse sentido é obscurecido pela tradução da VA: “que não haverá mais tempo”); o propósito de Deus vai agora avançar rapidamente para o seu cumprimento, no toque da sétima trombeta, v. 7. o mistério de Deus: O propósito secreto, “oculto nos tempos passados” (cf. Rm 16.25), tinha sido anunciado aos seus servos, os profetas (cf. Am 3.7), mas mesmo assim o conhecimento do tempo em que isso seria realizado havia sido ocultado deles (cf. Mc 13.32). v. 10. Peguei o livrinho da mão do anjo e o comi: Uma experiência visionária semelhante foi registrada por Ezequiel (Ez 2.8—3.3). Comer o conteúdo do livrinho é assimilar o seu conteúdo; o profeta digere ele mesmo a mensagem profética antes de transmiti-la a outros. O rolo de Ezequiel “era doce como mel” na sua boca (Ez 3.3), embora estivessem escritas nele “palavras de lamento, pranto e ais” (Ez 2.10); João registra de forma semelhante que ele achou o livrinho doce como o mel em minha boca, porque continha a palavra de Deus (cf. SI 19.10; 119.103; Jr 15.16), mas, visto que essa palavra era uma palavra de juízo, percebeu que era amarga na hora de ser digerida, assim como Ezequiel, depois de comer o rolo, foi transmitir, com o “espírito cheio de amargura”, seu conteúdo aos exilados em Tel-Abibe (Ez 3.14). O conteúdo do livrinho de João é evidentemente representado por Ap 11.1-13, originariamente um apocalipse anterior e separado, agora incorporado no registro de João e reinterpretado por ele. v. 11. É preciso que você profetize de novo: Tendo digerido o conteúdo do livrinho, ele agora precisa torná-lo conhecido aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário