2016/07/30

Estudo sobre Levítico 18

Estudo sobre Levítico 18

Estudo sobre Levítico 18



Levítico 18

As leis de castidade (18.1-30)
Uma parte considerável do capítulo (v. 6-18) trata das regras de relações sexuais dentro das famílias ampliadas que eram características da sociedade israelita primitiva. v. 3. O Egito e Canaã são mencionados, porém o primeiro de forma incomum nesse contexto. A licenciosidade é muitas vezes denunciada no AT; a menção do Egito é especialmente adequada nos v. 6-18 à luz da prática comum dos faraós de casar dentro dos “limites proibidos”, v. 5. viverá-, cf. Ex 20.12/Dt 30.15-20; Ef 6.2,3. Foi exatamente em virtude do tipo de irregularidades que estão para ser descritas que os cananeus estavam sob o juízo divino (cf. v. 24-28; Gn 15.16). v. 8. a mulher do seu pai pode refletir uma situação de poligamia, como também um caso de novo casamento por parte de um viúvo. v. 9. Cf. Dt 27.22; 2Sm 13.11,12. tenha ela nascido na mesma casa ou em outro lugar é uma expressão incomum que pode abarcar descendentes legítimos e ilegítimos. O v. 11 trata de meias-irmãs, enquanto o v. 9 trata de irmãs em geral. O casamento de Abraão com Sara (cf. Gn 20.12) não teria sido permitido de acordo com esses padrões posteriores. O v. 16 não está em conflito com a instituição do levirato (cf. Gn 38.7-11; Dt 25.5-10; Mt 22.23-28), visto que ele deve se aplicar enquanto o irmão está vivo. v. 18. Novamente, e por definição, a proibição se aplicava ao tempo de vida da mulher. O casamento de Jacó com Lia e Raquel seria uma contravenção dessa lei se tivesse existido naquele tempo (cf. Gn 29.30). O termo Cesposa) rival (ISm 1.6) sinaliza a infelicidade doméstica que deve ter acompanhado a poligamia; essa infelicidade foi institucionalizada no uso do termo. Os v. 19-23 tratam principalmente das relações e dos atos contrários às leis da natureza, v. 21. Cf. 20.1-5. para serem sacrificados', possivelmente ao passá-los pelo fogo como sacrifício a Moloque, Deus dos amonitas (lRs 11.7; v. 2Rs 16.3; 21.6; Jr 7.31 etc.). Não há menção de fogo (nota de rodapé na NVI) no texto hebraico (cf. NTLH: “Nenhum pai deverá entregar o filho ou a filha para servir o deus Moloque”), mas v. 2Rs 23.10 (e corrija Snaith [NCentB] nesse ponto). Talvez a prática envolvesse algum tipo de perversão sexual; de outra forma, é difícil explicar o presente contexto da proibição. Moloque tem as consoantes da raiz semítica para “rei” e as vogais da palavra hebraica para “vergonha”. No AT, há vários exemplos de desaprovação por parte dos escribas expressa na vocalização do texto hebraico originariamente não vocalizado (e.g., o nome Astarote). v. 24ss. Se os israelitas são culpados dos mesmos pecados que arruinaram a civilização cananeia, que se lembrem do que aconteceu a seus predecessores para que a história não se repita (cf. Rm 11.21).

Índice: Levítico 1 Levítico 2 Levítico 3 Levítico 4 Levítico 5 Levítico 6 Levítico 7 Levítico 8 Levítico 9 Levítico 10 Levítico 11 Levítico 12 Levítico 13 Levítico 14 Levítico 15 Levítico 16 Levítico 17 Levítico 18 Levítico 19 Levítico 20 Levítico 21 Levítico 22 Levítico 23 Levítico 24 Levítico 25 Levítico 26 Levítico 27

Nenhum comentário:

Postar um comentário