2019/09/02

Estudo sobre Ezequiel 35

Estudo sobre Ezequiel 35

Estudo sobre Ezequiel 35




Livro de Ezequiel 35
A condenação de Edom (35.1-15)
A restauração de Israel tem como sua contraparte a desolação dos seus inimigos, aqui representados por Edom, que já tinha sido alvo de um oráculo denunciatório em 25.1214. O comportamento odioso de Edom nos dias da grande necessidade de Judá foi especialmente repreensível em virtude do parentesco próximo entre os dois povos. Os edomitas (idumeus) ocupavam o sul do reino de Judá, que por consequência se tornou conhecido nos tempos greco-romanos como Idumeia. A sua pátria original, o monte Seir, foi ocupada mais tarde pelos árabes nabateus, que estabeleceram a sua capital em Petra, a antiga fortaleza edomita de Selá (cf. SL 60.9; Jr 49.16; Ob 3). Na época devida, os edomitas (idumeus) e nabateus, junto com outros grupos étnicos daquela área, perderam a sua identidade própria. Cf. J. R. Bartlett, “The Moabites and Edomites”, in: Peoples of OT Times, ed. D. J. Wiseman, p. 229ss.
v. 2. monte Seir. NTLH: “montanhas de Edom” (v. 3), a região montanhosa a leste da Arabá, o território original dos edomitas (cf. Gn 27.39,40; 32.3ss; 36.6ss). v. 3 .farei de você um deserto arrasado: cf. Ml 1.2b-4. v. 10. Estas duas nações e povos serão nossos a referência é às duas monarquias hebreias, Israel e Judá; ao ver o território da segunda despovoado, como o da primeira havia sido quase um século e meio antes, os edomitas planejaram ocupar o “espaço vazio”, o Senhor [...] estava ali e por isso a terra estava à disposição dele, e não dos edomitas (cf. Lv 25.23), e ele reuniria o Norte e o Sul (cf. Ez 37.14ss). v. 14. Enquanto a terra toda se regozija NEB: ”toda a terra vai se alegrar com a sua desgraça”, assim como Edom tinha se alegrado com a queda de Judá e Jerusalém (cf. Ob 12,13).

Nenhum comentário:

Postar um comentário