2017/11/18

Atos 6 — Comentário Devocional

Atos 6 — Comentário Devocional

Atos 6 — Comentário Devocional




Atos 6

6.1 - Quando lemos a respeito da Igreja Primitiva, somos informados sobre os milagres, a solidariedade, a generosidade e a comunhão doa cristãos e podemos desejar ter feito parte desta Igreja “perfeita”. Mas, na verdade, a igreja Primitiva tinha problemas, assim como temos hoje. Nenhuma igreja foi ou jamais será perfeita até que Cristo e seus seguidores estejam unidos em sua segunda vinda. Todas as igrejas têm problemas. Se as deficiências da sua igreja o afligem, pergunte a si mesmo: uma igreja per feita permitiria que eu fosse um de seus membros? Então, faça o que puder para tornar sua congregação melhor. Uma igreja não precisa ser perfeita para levar adiante a causa de Cristo.

6.1ss Havia um outro problema interno na igreja Primitiva: os judeus de origem hebraica falavam hebraico; os judeus helenistas falavam grego; estes judeus de outras partes do mundo provavelmente se converteram ao cristianismo no Pentecostes. Os cristãos que falavam grego reclamaram que suas viúvas não eram tratadas de forma justa. Talvez esse favoritismo não fosse intencional; a causa seria a barreira causada pelo idioma. Para corrigir a situação, os apóstolos constituíram sete homens respeitáveis que falavam grego como responsáveis pelo programa de distribuição de alimentos. Isto resolveu o problema e permitiu que os apóstolos mantivessem seu foco no ensino e na pregação das Boas Novas de Jesus.

6.2 - “Os doze” são os 11 discípulos originais e Matias, que foi escolhido para substituir Judas Iscariotes (1.26).

6.2-4 - À medida que a Igreja Primitiva crescia, suas necessidades aumentavam. Uma delas era organizar a distribuição de alimentos para os pobres. Os apóstolos precisavam concentrar-se na pregação; então escolheram diáconos para administrar o programa alimentar. Cada cristão tinha uma função vital a desempenhar na igreja (ver 1 Co 12). Se você já ocupa uma posição de liderança e esta sobrecarrega do por suas responsabilidades, determine quais são as habilidades que lhe foram dadas por Deus e reveja suas prioridades; então procure outras pessoas para ajudá-lo. Se você não faz parte da liderança, saiba que tem dons que podem ser usados por Deus em várias áreas do ministério da igreja. Coloque estes dons a serviço do Mestre.

6.3 - Essa tarefa administrativa não foi tratada de modo inconsequente. Observe os requisitos dos homens que cuidariam da distribuição dos alimentos: deveriam ter boa reputação e ser cheios do Espírito Santo e de sabedoria. As pessoas que têm grandes responsabilidades e que trabalham próximas a outras devem ter estas qualidades. Devemos procurar homens e mulheres espiritualmente sábios e maduros para liderar nossas igrejas.

6.4 - As prioridades dos apóstolos eram corretas. O ministério da Palavra nunca deveria ser negligenciado por causa dos fardos administrativos. Os pastores não devem tentar desempenhar todas as tarefas da igreja, e ninguém deve esperar que o façam. Ao contrário, o trabalho da igreja deve ser dividido entre os membros. 

6.6 - A liderança espiritual é algo sério; não deve ser tratada de modo inconsequente. Na Igreja Primitiva, os homens escolhidos para o diaconato foram comissionados pelos apóstolos, pela oração e imposição das mãos. Impor as mãos sobre alguém, uma antiga prática judaica, era um modo de separar uma pessoa para um serviço especial (ver Nm 27.23; Dt 34.9).

6.7 - Jesus disse aos apóstolos que eles deveriam testemunhar primeiro em Jerusalém (1.8). Em pouco tempo, o evangelho foi divulgado à cidade inteira, a todas as classes sociais. Até alguns sacerdotes se converteram; uma violação óbvia dos ditames do Sinédrio, que traria riscos à posição deles.

6.7 - A Palavra de Deus se expandiu como ondulações em uma lagoa tranquila, onde, de um único centro, cada onda toca a próxima, favorecendo a difusão mais ampla e de maior alcance. As Boas Novas ainda se espalham deste modo hoje. Você não tem que mudar o mundo sozinho; é suficiente ser parte da onda, tocar aqueles que estão ao seu redor, que por sua vez tocarão outros, até que todos sintam o movimento. Nunca pense que sua parte é insignificante ou sem importância!

6.8-10 - O pré-requisito mais importante para qualquer tipo de serviço cristão é estar cheio de fé e do poder do Espírito Santo. Por este poder, Estêvão foi um servo sábio (6.3), um realizador de milagres (6.8), e um evangelista (6.10). Pelo poder do Espírito, você pode colocar em prática os dons que Deus lhe deu.

6.9 - Os libertos era um grupo de escravos judeus libertados por Roma, que formaram sua própria sinagoga em Jerusalém.

6.11 - Tais homens mentiram a respeito de Estêvão, a fim de que fosse preso e levado ao Sinédrio. Os saduceus, o partido dominante do conselho, aceitavam e estudavam apenas os livros de Moisés (de Gênesis a Deuteronômio). Sob o ponto de vista saduceu, blasfemar contra Moisés era um crime. Mas ao examinarmos o discurso de Estêvão (cap. 7), podemos perceber que esta acusação era falsa. Estêvão baseou sua síntese da história de Israel nos textos de Moisés.

6.14 - Quando Estêvão foi levado diante do conselho dos líderes religiosos, a acusação contra ele foi a mesma usada contra Jesus (Mt 26.59-61). O grupo acusou falsamente Estêvão de querer mudar os costumes de Moisés, porque sabiam que os saduceus, que controlavam o Sinédrio, acreditavam somente nas leis de Moisés.


Índice: Atos 1 Atos 2 Atos 3 Atos 4 Atos 5 Atos 6 Atos 7 Atos 8 Atos 9 Atos 10 Atos 11 Atos 12 Atos 13 Atos 14 Atos 15 Atos 16 Atos 17 Atos 18 Atos 19 Atos 20 Atos 21 Atos 22 Atos 23 Atos 24 Atos 25 Atos 26 Atos 27 Atos 28

Nenhum comentário:

Postar um comentário