2018/02/21

Romanos 1 — Comentário Devocional

Romanos 1 — Comentário Devocional

Romanos 1 — Comentário Devocional



Romanos 1

1.1 - Paulo escreveu essa carta à igreja crista que estava em Roma. Nem ele nem os outros líderes da Igreja. Tiago e Pedro, tinham estado anteriormente nessa cidade. É provável que a igreja romana tenha sido fundada por cristãos que haviam estado em Jerusalém por ocasião do Pentecostes (At 2.10) e/ou por viajantes que tinham ouvido as Boas Novas em outros lugares e as levado a Roma, como Priscila e Áquila (At 18.2; Rm 16.3-5). Paulo escreveu a carta aos Romanos durante seu ministério em Corinto (após sua viagem missionária, pouco antes de retornar a Jerusalém; At 20.3; Rm 15.25), a fim de encorajar os irmãos cm Cristo e revelar seu desejo de algum dia ir vê-los (o que aconteceria após três anos). A igreja de Roma não tinha texto algum do NT. Tendo em vista que os evangelhos ainda não tinham a aplicação doutrinária que conhecemos, a carta aos Romanos pode ter sido o primeiro texto da literatura cristã a ser visto pelos cristãos romanos. Escrita por Paulo tanto para os cristãos judeus como para os cristãos gentios, a carta aos Romanos possui uma apresentação sistemática da fé cristã. 

1.1 - Quando Paulo, um zeloso judeu que perseguia os cristãos, tornou-se um crente em Jesus, Deus o usou para divulgar as Boas Novas pelo mundo. Embora estivesse na prisão. Paulo também pregou o evangelho em Roma (At 28). talvez até para o próprio César. Veja o perfil de Paulo em Atos. 

1.1 - Paulo humildemente se intitulou “servo de Jesus Cristo” e “apóstolo” (aquele que foi enviado por outro). Um cidadão romano como Paulo preferir ser um servo era algo inimaginável. Mas ele preferiu depender e obedecer completamente ao seu amado Mestre. Qual é sua atitude em relação a Cristo? Nossa disposição de servir e obedecer a Jesus Cristo faz com que sejamos úteis, servos que Ele pode usar em trabalhos realmente importantes. 

1.2 - Algumas profecias sobre as boas novas em relação a Jesus Cristo são encontradas em Gênesis 12.3; Salmos 16.10; 40.6-10; 118.22; Isaías 11.1ss; Zacarias 9.9-11; 12.10 e Malaquias 4.1-6. 

1.3,4 Paulo afirmou que Jesus Cristo é o Filho de Deus, o Messias prometido e o Senhor ressurrecto. Paulo citou Jesus como descendente do rei Davi para enfatizar que ele se deu o cumprimento das profecias do AT, que anunciavam que o Messias viria da linhagem davídica. Com essa declaração de fé. Paulo demonstrou seu conhecimento das Escrituras e sua concordância com os ensinamentos dos apóstolos de Jesus. 

1.3-5 - Aqui, Paulo apresenta um resumo das Boas Novas sobre Jesus Cristo, que (1) fez-se homem, por meio de sua encarnação, (2) descendia da linhagem real de Davi, (3) morreu e ressuscitou dos mortos, e (4) abriu as portas para que a graça e a bondade de Deus fossem derramadas sobre nós. A carta aos Romanos trata desses temas. 

1.5.6 - Os cristãos têm, ao mesmo tempo, um privilégio e uma grande responsabilidade. Paulo e os apóstolos receberam o privilégio de terem sido chamados por Deus, mas também receberam a autoridade e a responsabilidade de partilhar com os outros aquilo que Deus havia feito. Deus bondosamente perdoa nossos pecados quando cremos em Jesus como nosso Salvador e Senhor. Mas, ao recebermos o perdão de Deus, estamos nos comprometendo a dar início a uma nova vida. A de Paulo incluiu a responsabilidade, atribuída por Deus, de testemunhar ao mundo, como missionário, a respeito das Boas Novas. Deus pode ou não chamá-lo para fazer missões no exterior, mas Ele chama todos os cristãos para serem embaixadores de Cristo e para testemunharem a mudança que Cristo realizou e continua realizando na vida de cada um. 

1.6.7 - Paulo disse que aqueles que se tornam cristãos foram convidados por Jesus Cristo a pertencer à família de Deus e tornar-se seu povo. Que maravilhosa descrição do que significa ser um cristão! Ao renascer na família de Deus, temos o maior amor e a maior herança em Cristo. Em gratidão a tudo que Deus fez por nós, esforçamo-nos para ser seu santo povo. 

1.6-12 - Paulo demonstrou seu amor pelos cristãos romanos ao revelar-lhes o amor de Deus, expressar sua gratidão e fazer orações por eles. Para ter alguma influência sobre a vida das pessoas: você precisa primeiro amá-las e acreditar nelas. A paixão de Paulo por ensinar essas pessoas começou com seu amor por cada uma. Agradeça a Deus por seus irmãos e irmãs em Cristo e faça com que saibam quão profundamente você se preocupa com eles. 

1.7 - Roma era a capital do Império Romano, que se havia estendido por quase toda a Europa, Norte da África e Oriente Próximo. Na época do NT. Roma estava na idade de ouro. A cidade era opulenta, possuía uma vasta literatura e importantes obras de arte. Era um centro cultural, mas moralmente decadente. Os romanos cultuavam muitos deuses pagãos, e alguns imperadores eram idolatrados. Em total contraste com os romanos, os seguidores de Cristo criam em um único Deus e viviam de acordo com elevados padrões morais. 

1.7 - Os romanos depositavam confiança em seu poderio militar. Muitos eram ingenuamente pragmáticos e acreditavam que qualquer meio usado para atingir o objetivo desejado era bom. Para os romanos, nada funcionava melhor que a força física. Confiavam em sua poderosa estrutura militar para protegê-los contra todos os seus inimigos. Mas, diferentemente dos romanos, os cristãos precisam lembrar-se que, em todos os momentos. Deus ó a sua única e permanente fonte de segurança e salvação; Ele é o Pai! 

1.8 - Paulo usou a frase “Dou graças a meu Deus por [mediante] Jesus Cristo” para realçar o aspecto de que Cristo é o único mediador entre nós e Deus. Por intermédio de Cristo. Deus nos envia seu amor e perdão, e nós enviamos a Deus nossos agradecimentos (ver 1 Tm 2.5). 

1.8 - Como os cristãos romanos viviam no centro do poder político do mundo ocidental, ficaram em muita evidência. Felizmente. a reputação deles era excelente; sua sólida fé se tornava conhecida em todo o mundo. Quando as pessoas falam sobre sua congregação ou sua denominação, o que dizem? Será que os comentários são corretos ou você preferia que elas notassem outras coisas? Qual é a melhor forma de fazer com que as pessoas notem a sua fé? 

1.9,10 - Quando você ora continuamente por causa de alguma inquietação, não se surpreenda pelo modo como Deus venha a responder-lhe. Paulo orou, a fim de que pudesse visitar Roma e ensinar os cristãos que lã estavam, mas, quando finalmente chegou àquela cidade, era um prisioneiro (ver At 28.16). Paulo orou por uma viagem segura e. embora realmente chegasse em segurança a Roma, antes foi preso, teve o rosto esbofeteado, naufragou e foi picado por uma cobra venenosa. As formas que Deus usa para responder nossas petições frequentemente são muito diferentes do que esperamos. Quando oramos com sinceridade. Deus responde, mas o faz conforme o seu cronograma e. às vezes, de maneira inesperada. 

1.11,12 - Paulo orou a fim de visitar aos cristãos em Roma e encorajá-los com sua fé e ser por eles encorajado. Como missionário de Deus, Paulo podia ajudá-los a entender melhor o significado das Boas Novas a respeito de Jesus. Como um povo dedicado a Deus, os cristãos romanos podiam oferecer ao apóstolo comunhão e conforto. Quando os irmãos em Cristo se reúnem, todos dão e recebem. A fé em comum proporciona um vínculo entre eles, que é uma bênção e um estímulo para todos. 

1.13 - Ao término de sua terceira viagem missionária. Paulo já havia viajado pela Síria, Galácia. Ásia. Macedônia e Acaia. Nessas regiões, as igrejas eram constituídas principalmente por cristãos gentios. 

1.14 - Qual era o dever de Paulo? Depois de encontrar Cristo na estrada para Damasco (At 9), Paulo dedicou toda a sua vida à tarefa de divulgar as Boas Novas de salvação. Assim, a obrigação do apóstolo era para com os povos do mundo inteiro. E ele cumpriu-a ao proclamar Cristo como Salvador às pessoas de todas as etnias, culturas e classes sócio-econômicas, a todos os povos, judeus e gentios. Nós também temos uma obrigação para com Cristo, porque Ele assumiu o castigo que merecíamos por nossos pecados. Embora não possamos retribuir tudo o que Jesus fez por nós, podemos demonstrar nossa gratidão com nosso amor pelos nossos semelhantes. 

1.16 Paulo não se envergonhava porque pregava sobre as Boas Novas a respeito de Cristo, uma mensagem de salvação que tem o poder de transformar vidas e é destinada a todos, sem exceção. Quando você sentir-se constrangido, lembre-se do significado das Boas Novas. Se fixar sua atenção somente em Deus e naquilo que Ele está fazendo, não em sua inaptidão, você não sentirá vergonha de anunciar o evangelho. 

1.16 - Por que o evangelho foi anunciado primeiramente aos judeus? Por mais de dois mil anos tinham a experiência como povo especial de Deus; devido à aliança de Abraão com o Senhor. Ele prometeu grandes bênçãos aos descendentes do patriarca (Gn 12.1-3). O Messias veio dos judeus em cumprimento da promessa a Abraão e porque Deus queria mostrar seu amor e sua misericórdia à toda humanidade. Deus não escolheu os judeus porque mereciam (Dt 7.7.8; 9.4-6). Deus os elegeu não para o papel de favoritos, mas para que contassem ao mundo o plano de salvação. Durante séculos, os judeus aprenderam a respeito de Deus por meio da obediência às suas leis, da celebração de festas e de uma vida de acordo com seus princípios morais. Muitas vezes, esqueceram-se das promessas e das leis de Deus: em várias ocasiões, tiveram de ser castigados, mas, ainda assim, possuíam a preciosa herança: a fé no único e verdadeiro Deus. De todas as pessoas na terra, os judeus deveriam ser os mais ansiosos por receber o Messias e entender a missão e a mensagem dEle, mas apenas alguns conseguiram realmente isso (ver Lc 2.25.36-38). Os discípulos e o grande apóstolo Paulo foram uns dos judeus fiéis, que reconheceram em Jesus a mais preciosa dádiva de Deus à humanidade. 

1.16 - Os judeus e os cristãos se opunham a religiões idólatras dos romanos, por isso, os oficiais romanos muitas vezes confundiam os dois grupos. Também é possível que a igreja crista em Roma fosse originalmente constituída por judeus que se converteram ao cristianismo durante a festa do Pentecostes em Jerusalém em que se deu o derramamento do Espírito (ver At 2.1 ss). Entretanto, na ocasião em que Paulo escreveu sua certa aos romanos, muitos gentios já haviam se juntado à Igreja; o apóstolo percebeu que os judeus e os gentios precisavam conhecer a relação existente entre o judaísmo e o cristianismo. 

1.17 - As Boas Novas revelam como Deus foi justo em seu plano para nos salvar e como podemos estar prontos e adequados para a vida eterna. Ao confiar em Cristo, nosso relacionamento com Deus torna-se perfeito. Do começo ao fim das Escrituras. Deus declara que estamos bem com Ele por causa de nossa fé em Cristo, e somente por esta fé. 

1.17 - Paulo citou o texto em Habacuque 2.4. Talvez o profeta tenha entendido a ação de viver pela fé apenas no presente, nesta vida, mas Paulo ampliou o significado, ao apontar para a vida eterna. Somos salvos à medida que confiamos em Deus: nEle, encontraremos vida agora e para sempre. 

1.18 - Por que Deus fica irado com os pecadores? Porque substituem a verdade sobre Ele por uma fantasia fabricada por sua imaginação (1.25). Suprimem a verdade que Deus revelou, a fim de crerem em qualquer coisa que apoie seu estilo de vida egoísta. Deus não pode tolerar o pecado, porque sua natureza é moralmente perfeita. Ele não pode ignorar ou perdoar uma rebelião: Ele deseja eliminar o pecado e restaurar o pecador, e é capaz de fazê-lo, desde que este não distorça ou rejeite a verdade de forma obstinada. Deus demonstra sua ira contra aqueles que persistem no pecado. Então, certifique-se de que você não está adorando uma fantasia, e sim o verdadeiro Deus. Não despreze a verdade a respeito de Deus simplesmente para proteger seu estilo de vida. 

1.18ss - Em Romanos 1.18-3.20, é desenvolvido o argumento de Paulo de que ninguém pode afirmar que, por seus próprios méritos ou esforços, tornou-se agradável aos olhos de Deus. Todos os seres humanos merecem a condenação de Deus pelos pecados que praticam. 

1.18-20 - Será que alguém tem uma desculpa para não crer em Deus? Na Bíblia, há uma resposta bem enfática: não. Deus se revelou de várias maneiras: por meio de sua criação, de sua Palavra e de seu Filho amado. Cada pessoa pode aceitar ou rejeitar Deus e sua verdade. Não se deixe enganar; quando chegar o dia do juízo, desculpas não serão aceitas! Comece hoje mesmo a dedicar sua adoração e devoção a Deus! 

Nesses versículos, Paulo respondeu a uma questão muito comum: como um Deus tão amoroso pode enviar alguém para o inferno, especialmente alguém que nunca ouviu falar de Cristo? Na verdade. Paulo afirmou que Deus se revelou claramente a iodas as pessoas por meio de sua criação. Ainda assim, algumas rejeitam até esse conhecimento básico sobre Deus como o Criador. Além disso, todas possuem um sensor interno, a consciência, que aponta para aquilo que Deus deseja, mas preferem desprezá-la. Em outras palavras, os padrões morais das pessoas sempre são melhores que o seu comportamento. Elas não têm desculpa. Caso suprimam a verdade, a fim de viver como bem entendem, terão de suportar as consequências. 

Alguns podem indagar por que precisamos de missionários, se as pessoas podem saber sobre Deus por meio de sua criação. Porque (1) embora as pessoas saibam que Ele existe, a iniquidade delas as deixa cegas à verdade. É tarefa dos missionários, pela pregação da Palavra, expor os pecados de forma suscetível e encaminhar as pessoas a Cristo. (2) Embora as pessoas possam crer que Deus existe, normalmente se recusam a comprometer-se com Ele. Cabe aos missionários ajudar a convencê-las, partilhando com elas a Palavra de Deus e indicando as perigosas consequências de uma vida sem compromisso com Deus. (3) Os missionários ajudam a Igreja a obedecer ã Grande Comissão de nosso Senhor Jesus (Mt 28.19,20; Mc 16.15; 16). (4) Embora a natureza aponte para a existência de Deus, as pessoas precisam ser informadas sobre Jesus e sobre como, por intermédio dEle, podem ter um relacionamento pessoal com Deus. Saber que Deus existe não é suficiente. Todos devem aprender que Ele é bondoso e que enviou seu Filho para demonstrar seu amor por nós (5.8). Devem compreender como receber o perdão de Deus por seus pecados (10.14.15). 1.20 Que espécie de Deus a criação nos revela? A natureza nos mostra um Deus poderoso, inteligente e detalhista; um Deus com um senso agudo de ordem e de beleza; um Deus poderoso que controla tudo. Essa é uma revelação geral. Mas por meio do uma revelação especial, as Escrituras e a vida de Jesus, aprendemos a respeito do amor de Deus, de sua misericórdia e da promessa da vida eterna. Deus bondosamente nos dá muitas fontes para que possamos crer nEle. 

Deus revelou sua divina natureza e qualidades pessoais em sua criação, embora o testemunho da criação tenha ficado comprometido pela queda de Adão e Eva. O pecado de Adão resultou em uma maldição sobre toda a natureza (Gn 3.17-19): os espinhos e os cardos foram o resultado imediato da queda, e os desastres naturais se tornaram muito comuns desde a época de Adão até hoje. Em Romanos 8.19-21. Paulo disse que até a natureza ansiosamente espera ser reparada dos efeitos do pecado (ver Ap 22.3). 1.21-23 - Como pessoas inteligentes podem escolher a idolatria? Esse pecado começa quando elas rejeitam o que sabem sobre Deus. Em vez, de procurá-lo como criador e mantenedor da vida. passam a considerar a si mesmas como o centro do universo. Logo inventam deuses que são convenientes projeções de suas ideias egoístas. Esses dolos podem ser estátuas (de pedra, madeira, metal), objetivos ou outras coisas que elas almejam (como dinheiro, bens, poder, amores). Podem ser até representações falsas do próprio Deus, imaginadas pelo homem, ou as coisas que Deus fez, mas o ponto comum entre todos os tipos de idólatras é que eles não adoram o Deus verdadeiro. Existe algo sem o qual você não pode viver? Você tem algum sonho pelo qual sacrificaria todas as demais coisas? Em sua vida, há alguma prioridade superior a Deus ou Ele ocupa o primeiro lugar? Você adora a Deus ou algum ídolo de fabricação própria? 

1.21-32 - Paulo retratou claramente a inevitável decadência em direção ao pecado. Primeiro, as pessoas rejeitam a Deus; em seguida, elaboram seu conceito de como Ele deveria ser; depois, cedem a toda espécie de iniquidade: ganância, ódio, inveja, crimes. lutas, engano, malicia e mexericos; finalmente, chegam a odiar a Deus e a encorajar os outros a fazerem o mesmo. Mas Ele não é o agente dessa progressão em direção ao mal. Quando as pessoas o rejeitam. Deus permite que elas vivam como desejam. Permite que experimentem as consequências naturais dos pecados que praticam. Uma vez preso nesse movimento descendente rumo ao pecado, ninguém poderá libertar-se por suas próprias forças. Os pecadores devem confiar somente em Cristo para libertá-los da destruição. 

1.23 Quando Paulo disse que as pessoas adoravam ídolos, construídos à semelhança de seres humanos e animais, em vez de adorarem a Deus, parece deliberadamente apontar para a corrupção do homem narrada em Gênesis, na queda de Adão (ver Gn 3.1 -24). Quando as pessoas adoram a criatura, em vez de adorarem o Criador, perdem de vista a própria identidade como seres criados á imagem de Deus. seres superiores aos animais. 

1.24-32 - Tais pessoas preferiram rejeitar a Deus. e Ele permitiu que agissem assim. Geralmente, Deus não nos impede de fazer escolhas erradas; Ele nos deixa livres para escolher, embora saiba que. com o decorrer do tempo, seremos escravos de nosso estilo de vida rebelde e perderemos a opção de não pecar. Será que a vida sem Deus lhe assegura liberdade? Olhe mais de perto. Não existe pior escravidão do que a escravidão pelo pecado! 

1.25 - As pessoas tendem a acreditarem mentiras que reforçam suas crenças egoístas. Atualmente, mais do que nunca, precisamos conhecer a base de nossas crenças Com a televisão, a música, o cinema e o restante da mídia insistindo em um estilo de vida pecaminoso e em valores imorais, encontramo-nos constantemente bombardeados por práticas e crenças que são totalmente opostas à Palavra de Deus. Tome cuidado com aquilo que pode influenciar suas opiniões. E lembre-se: a Palavra de Deus é a única verdade. Avalie todas as outras opiniões á luz de seus ensinamentos. 

1.26,27 - O plano de Deus para os relacionamentos sexuais representa o ideal dEle para sua criação. Infelizmente, o pecado perverteu o uso natural das dádivas de Deus. Muitas vezes, o pecado significa não só negar a Deus, mas também negar a maneira como fomos criados. Quando as pessoas dizem que qualquer tipo de relacionamento sexual é aceitável, desde que ninguém seja prejudicado, enganam-se. A longo ou a curto prazo, o pecado fere indivíduos, famílias, sociedades inteiras. Como é triste ver pessoas que adoram não o Criador, mas o que Ele criou; normalmente elas distorcem e destroem as mesmas coisas que afirmam valorizar! 

1.26,27 - A homossexualidade (atração e prática sexual com pessoas do mesmo sexo) era tão difundida nos dias de Paulo quanto é atualmente. Muitas práticas pagãs serviam para encorajá-la. Embora hoje seja considerada por muitos como aceitável, até por algumas igrejas, a homossexualidade é totalmente condenada e proibida nas Escrituras (Lv 18.22). Não cabe à sociedade estabelecer os padrões da lei de Deus. Os homossexuais acreditam que seus desejos são normais e que têm o direito de expressá-los, mas Deus não nos encoraja a realizar todos os nossos desejos (nem mesmo os normais). Os desejos que ofendem suas leis devem ser controlados e banidos. Aqueles que têm desejos homossexuais podem e devem resistir e tomar providências contra eles, evitando conscientemente lugares ou atividades que possam incitar às tentações. Não se deve subestimar o poder que Satanás tem para tentar as pessoas ou a possibilidade de as práticas homossexuais acarretarem sérios danos àqueles que continuarem a ceder a elas. É necessário ter em mente que Deus pode e perdoará os pecados sexuais, da mesma maneira que perdoa os demais. Aqueles que têm problemas com homossexualismo e perversões devem entregar-se a Deus, pedir que Ele lhes mostre o caminho distante do pecado e que os conduza à luz da liberdade e do amor cristão. A oração, o estudo da Bíblia e o apoio carinhoso dos cristãos de uma igreja que crê nas Escrituras, poderão ajudar as pessoas a alcançarem a força necessária para resistir a essas poderosas tentações. Aqueles que já estiverem profundamente envolvidos em um comportamento homossexual devem procurar um conselheiro cristão confiável e profissional. Deus está disposto a receber qualquer pessoa que se arrependa de seus pecados e o busque pela fé; e os cristãos devem amar e aceitar a todos a despeito de seu passado! 

1.32 Como essas pessoas sabem sobre o castigo mortal da parte de Deus? Todos os sores humanos foram criados à imagem de Deus, têm uma natureza morai e uma consciência, por isso o castigo pelo pecado é reconhecido além dos círculos religiosos. Os psicólogos dizem que uma pessoa que apresenta problemas de falta de consciência tem um grave distúrbio de personalidade, extremamente difícil de ser tratado. Mas a maioria das pessoas sabe. instintivamente, quando está agindo errado, mas pode não se importar. Outras até se arriscarão à morte precoce, pela liberdade de entregarem-se aos seus desejos imediatos. Dizem: “Eu sei que é errado, mas realmente quero”, ou “sei que é perigoso, mas vale a pena correr o risco”. Para tais pessoas, parte da diversão ó contrariar a lei de Deus, os padrões morais da comunidade, o bom senso ou o próprio senso do que é certo ou errado. Mas, bem no fundo, essas pessoas sabem que o pecado merece ser punido com a morte (6.23).

Índice: Romanos 1 Romanos 2 Romanos 3 Romanos 4 Romanos 5 Romanos 6 Romanos 7 Romanos 8 Romanos 9 Romanos 10 Romanos 11 Romanos 12 Romanos 13 Romanos 14 Romanos 15 Romanos 16


Nenhum comentário:

Postar um comentário