2009/06/23

Comentário de João 15:2

Toda ramo em mim que não dá fruto,... Há dois tipos de ramos em Cristocomentario biblico, evangelho de joão, novo testamento, a videira; um tipo é tal que tem apenas uma fé histórica nele, acredita, mas apenas durante um tempo, e depois é afastado; eles são tais que só professam acreditar nele, como fez Simão, o Mago;[1] só está neles através da profissão; eles se submetem as ordenações externas, se tornam membros da igreja, e assim são considerados estando em Cristo, enquanto estando em um estado de igreja, como as igrejas da Judéia e Tessalônica, e outras, que é dito, em geral, estarem em Cristo; embora não fosse pensado que toda pessoa individualmente nestas igrejas estivesse verdadeira e salvatoriamente nele. Estes ramos são estéreis; qualquer fruto que eles pareciam ter, murcha, e prova que não são nenhum fruto genuíno; o fruto que eles produzem é para eles mesmo, e não para a glória de Deus, não sendo nenhum dos frutos do Espírito[2] dele e graça: e tal ramo o lavrador...

A tira;... Os remove daquele tipo de ser que tiveram eles em Cristo. Por alguns meios, ou outro, ele descobre aos santos serem o que eles são; às vezes, ele faz a perseguição surgir por causa da palavra, e estes homens são rapidamente afastados, e quebram o próprio acordo deles; ou eles entram em princípios errôneos, e estabelecem para si mesmos, e se separam das igrejas de Cristo; ou eles se tornam culpados de pecados escandalosos, e assim são afastados do companheirismo deles através de excomunhão; ou, se nenhum destes deveriam ser o caso, estas palhas deveriam crescer juntas com o trigo até a colheita, sendo os anjos enviados, que juntarão para fora do reino de Deus tudo aquilo que ofende e pratica a iniquidade, e os lançarão em um lago de fogo, como ramos murchos, e próprios para serem queimados.
[3]

E toda ramo que dá fruto, ele limpa, para que possa produzir mais fruto. Este é o outro tipo de ramo que verdadeira e salvatoriamente estão em Cristo; como estão arraigados nele; a quem ele é a árvore abeto verde, de quem toda a sua fruta é achada; que são cheios por ele com todos os frutos do seu Espírito, graça, e retidão. Estes são limpos ou podados, principalmente por aflições e tentações, que são como necessário para o crescimento deles e fertilidade, assim como a poda e o corte das videiras são para o seu; e, embora estes, às vezes, sejam afiados, desagradáveis e dolorosos, contudo, a eles são assistidos com os frutos pacíficos da retidão,
[4] e assim a finalidade de produzir mais fruto é correspondido; pois não é o bastante que um crente exercite a graça, e execute as boas obras para os presentes, mas estes têm que permanecer; ou ele deve ser nisto constante, e ainda produzir fruto, e acrescentar uma virtude a outra, o que pode ficar evidente que ele não é estéril e infrutífero, no que se refere ao conhecimento de Cristo,[5] em quem ele é implantado. Estes atos diferentes do vinicultor, "tirando alguns ramos”, e "limpando" outros, são expressos pelos doutores da Misnic (p) por פיסולה, e זירודה. O anterior, os comentaristas (q) dizem que significa cortar os ramos que estão murchos e mortos, e não serve para nada; e o posterior significa a poda da videira quando tem uma superfluidade dos ramos, e estes se estendem muito longe um do outro; quando alguns são deixados, e outros arrancados.



___________
Notas

(p) Misn. Sheviith, c, 2. sect. 3.
(q) Maimon. & Bartenora em ib.
[1] Cf. Atos 8:13. N do T.
[2] Cf. Gálatas 5:22, 23. N do T.
[3] Cf. Mateus 17:19. N do T.
[4] Cf. Hebreus 12:11. N do T.
[5] Cf. 2 Pedro 1:8. N do T.

Nenhum comentário:

Postar um comentário