2009/07/01

Panorama da Carta aos Efésios

Panorama da Carta aos Efésios

Panorama da Carta 
aos Efésios

No começo de 52 EC, o apóstolo Paulo pregou em Éfeso. Esta rica cidade comercial da Ásia Menor era também centro de religião falsa. Mas o cristianismo floresceu ali depois que Paulo retornou a Éfeso, provavelmente antes do inverno de 52/53 EC. Ele proferia discursos diariamente no auditório duma escola e dava testemunho de casa em casa durante sua estada de uns três anos. — Atos 19:8-10; 20:20, 21, 31.

Enquanto esteve preso em Roma por volta de 60-61 EC, Paulo escreveu aos cristãos efésios. União com Jesus Cristo e por intermédio dele é o tema de sua carta. De fato, ela contém 13 referências à ‘união com Cristo’, mais do que qualquer outra carta que Paulo escreveu. Como os efésios, podemos beneficiar-nos das palavras de Paulo sobre o papel de Cristo, evitar a imoralidade e resistir às forças espirituais iníquas.

Primeiro, Paulo explicou como Deus produziria união por intermédio de Cristo. (1:1-23) Deus propôs ajuntar novamente todas as coisas no céu e na terra por meio de “uma administração” (modo de gerenciar assuntos). Por intermédio de Cristo, Deus uniria a si os escolhidos para a vida celestial e outros que viveriam na terra. Hoje, Deus israelitas espirituais e “uma grande multidão”, e o ‘ajuntamento de todas as coisas na terra’ continuará até que aqueles que estão nos túmulos memoriais ouçam a voz de Jesus e saiam. (Apocalipse 7:9; João 5:28, 29) Devemos ser gratos por isso, assim como Paulo orou para que os efésios tivessem apreço pela provisão de Deus para eles.

A seguir, dirigiu-se atenção aos cristãos gentios, outrora mortos no pecado. (2:1-3:21) Por meio de Cristo, a Lei foi abolida, e a base foi lançada para que judeus e gentios fossem unidos e se tornassem um templo no qual Deus habitaria em espírito. A incumbência de Paulo envolvia divulgar o segredo sagrado de que os gentios podem entrar em união com Cristo, por intermédio de quem podem aproximar-se de Deus com franqueza no falar. Paulo novamente orou pelos efésios, desta vez pedindo que Deus os fizesse ficar firmemente estabelecidos pela fé e pelo amor.

Paulo mostrou que Deus forneceu fatores unificadores. (4:1-16) Entre estes está o único corpo espiritual que compõe a congregação. Este corpo opera em união sob a chefia de Cristo. Ele fornece dádivas em homens para ajudar todos a alcançar a unidade na fé.

Deus também possibilita a demonstração de qualidades cristãs que promovem união. (4:17-6:9) Tendo-se revestido da “nova personalidade”, os cristãos evitam impiedades tais como linguagem imoral. Andam sabiamente, mostram respeito por Cristo e manifestam a devida sujeição.

Adicionalmente, Deus habilita os cristãos a resistir às forças espirituais iníquas que procuram romper a nossa união. (6:10-24) A armadura espiritual da parte de Deus fornece tal proteção. Portanto, usemo-la e oremos fervorosamente, incluindo concrentes em nossas súplicas.

Que conselhos excelentes deu Paulo aos efésios! Acatemo-los, evitando a imoralidade e resistindo às forças espirituais iníquas. E tenhamos profundo apreço pela união que usufruímos por intermédio de Jesus Cristo.

Projéteis Ardentes: A armadura espiritual inclui “o grande escudo da fé“ com o qual se podem apagar, ou neutralizar, os “projéteis ardentes” de Satanás. (Efésios 6:16) Alguns projéteis usados pelos romanos eram canas ocas com um receptáculo de ferro sob a ponta, que era enchido com nafta ardente. Eram atirados com arcos frouxos para evitar que o fogo se apagasse, e ensopá-los com água apenas aumentava a intensidade da chama. Mas, escudos grandes protegiam os soldados de tais flechas, assim como a fé em Deus capacita seus servos a “apagar todos os projéteis ardentes do iníquo”. Sim, a fé ajuda-nos a resistir a coisas como ataques de espíritos iníquos, bem como a tentações de fazer o que é errado, de nos empenhar num modo materialista de vida e de ceder ao temor e à dúvida.

2 comentários: