2009/08/24

Comentário Bíblico Online: Judas 1:8

Judas a seguir referiu-se aos “homens ímpios” e disse:

“Da mesma maneira, apesar disso, também estes homens, entregando-se a sonhos, aviltam a carne, e desconsideram o senhorio, e falam de modo ultrajante dos gloriosos.” (Judas 8)

I. “Da mesma maneira” – “Semelhantes também” (ALA) (Gr.: homoios mentoi kai houtoi) estes termos faz-nos voltar ao que aconteceu as cidades de Sodoma e Gomorra (v. 7) Os falsos instrutores poluíam seus próprios corpos (lit.: “carne”) em várias formas de pecados sexuais, que sem dúvida incluía o homossexualismo. Aparentemente, do mesmo modo como os povos degradados de Sodoma e das cidades circunvizinhas poluíram sua carne com relações sexuais desenfreadas e desnaturais, assim os homens mal-intencionados que se infiltraram entre o povo de Deus aviltaram o corpo carnal. Não respeitavam o conselho apostólico de ‘fugir da fornicação’. — 1 Coríntios 6:18-20.

II. “Apesar disso” – Interessante Judas mencionar a expressão, “apesar disso”, porque mesmo sendo tão evidentes e convincentes os relatos dos julgamentos divinais de Yehowah sofre os Israelitas, os demônios e os Sodomitas, mesmo assim eles desconsideravam tudo isso e não só se entregavam as satisfações carnais, como também a incentivava dentro da santa congregação cristã. Por isso que Judas diz que ‘apesar de todas as evidências da desaprovação e punição de Deus sobre os que praticam tais coisas’, mesmo assim estes iníquos, da mesma maneira como os exemplos citados nos versículos 5-7, continuam malevulamente a corromper-se numa vida hipócrita e imoral.

III. Depois de mostrar os exemplos anteriores, Judas mostra que estes homens que estavam ameaçando a pureza moral e espiritual da congregação cristã, “entrevam-se a sonhos” (Gr.: enypniazomenoi TDNT 1797) Esta palavra ocorre apenas duas vezes nas Escrituras Gregas Cristãs (At 2:17; Jud 1:8). Isso talvez porque procurassem apoiar seus conceitos com sonhos proféticos fictícios. (Veja 2 Pedro 2:1; Deuteronômio 13:1-5.)

Outras traduções rezam:

III. a. “Confiando em seus sonhos” (ESV)
III. b. “Tenho visões” (GNB)

Ambas dão a entender claramente que estes falsos instrutores tentavam creditar suas palavras por afirmar ter sonhos ou visões de Deus, a fim de desencaminhar aqueles cristãos. Certa obra comenta:

“Aparentemente sonhavam (imaginavam) que podiam impunemente violar a Palavra de Deus e aviltar a carne na congregação. Isto era um engano, porque inescapavelmente receberiam um julgamento adverso do Juiz Supremo, Javé. (Ju 8; 1Co 6:9, 10, 18-20).”

Portanto, seus sonhos talvez envolvessem fantasias sexuais impuras, ou essa expressão talvez signifique que seus ensinos eram meras ‘alucinações’. (BJ) Embora esta palavra grega se refira basicamente a pretensão de profetizar, é mais provável se referir a seus pecados carnais que os levavam a viver num mundo de sonhos. Eles substituíam o mundo real da verdade e justiça Suprema e Absoluta, por um mundo imaginário, onde todos podiam conduzir suas vidas imoralmente sem serem apanhados pelo castigo do Grande Juiz, Yehowah.

De qualquer modo, aqueles “homens ímpios” procuravam maneiras de levar a cabo suas oportunidades, para imoralidade sexual, e pensavam que podiam safar-se da conduta impura. O fato de “aviltarem a carne” se dá, pelo fato de que, como Jesus explicou, “as coisas procedentes da boca saem do coração, e estas coisas aviltam o homem. Por exemplo, do coração vêm raciocínios iníquos, assassínios, adultérios, fornicações, ladroagens, falsos testemunhos, blasfêmias. Estas são as coisas que aviltam o homem.” – Mt. 15:18-20.

IV. A sua rejeição do “senhorio” (G.: kyrioteta TDNT 2963) dá a entender que, ao agirem assim como estavam fazendo, eles estavam repudiando a Jesus Cristo como Senhor (Gr.: kyrios) sobre suas vidas. A palavra traduzida “senhorio” (Gr.: kyrioteta) ocorre cerca de 4 vezes nas Escrituras Gregas Cristãs: Ef. 1:21; Col. 1:16; 2Pe. 2:10; Jud 1:8.

Tais pessoas ímpias também falavam de modo ultrajante dos “gloriosos” (lit.: de glórias), evidentemente os que tinham certa glória conferida a eles por Deus e Jesus Cristo. (João 17:22; 1 Pedro 4:12-14) Naturalmente, visto que tal glória, ou honra, procedia de Deus, não se devia dar nenhum crédito direto a pessoas na terra que a tivessem. Ao irem de encontro com os santos homens aquém Cristo designou e segura na sua mão poderosa, eles na verdade estão indo contra o próprio Cristo, porque os presbíteros são “embaixadores substituindo a Cristo” (2 Coríntios 5:20) É interessante notar que no versículo 11, Judas relembra o exemplo de Corá, que foi alguém que questionou a autoridade de Moisés e por isso pagou com sua própria vida. Alguns comentaristas aplicam o termo “gloriosos”, mencionados por Judas, aos anjos:

A New Catholic Bible afirma que essa palavra [deve ser “entendida dos anjos”.[1]

Mas, conforme já foi explicado acima, estes gloriosos são os homens a quem Yehowah designou para pastorear o rebanho de Deus. O Erudito Bíblico John Wesley, diz o seguinte:

[Judas] does not seem to speak of worldly dignities. These they had "in admiration for the sake of gain," Jud 1:16; but those holy men, who for the purity of their lives, the soundness of their doctrine, and the greatness of their labours in the work of the ministry, were truly honourable before God and all good men; and who were grossly vilified by those who turned the grace of God into lasciviousness.John Wesley's Explanatory Notes on the Whole Bible, comentário sobre Judas v. 8.

George H. Wells diz:

“Pessoas que ‘desconsideravam o senhorio, e falavam de modo ultrajante dos gloriosos’, ou dos homens responsáveis da congregação.” – Ot. 4 ff. 4:

Werner K. Albert, nos diz também:

“Eram homens imperfeitos, mas que tinham responsabilidades conferidas pelo Espírito Santo de Javé. Por exemplo, as congregações tinham anciãos, encarregados de pastorear o rebanho de Deus. (1 Pedro 5:2) Havia também presbíteros viajantes, tais como o apóstolo Paulo. E o corpo de anciãos em Jerusalém agia como corpo regente eclesiástes, tomando decisões que afetavam a congregação cristã como um todo. (Atos 15:6) Judas ficou profundamente preocupado por certos nas congregações falarem de modo ultrajante ou blasfemo de tais homens.”

Esses ‘sonhadores’ imorais arrogantemente desprezavam a autoridade divinamente constituída. (Provérbios 21:4; 2 Pedro 2:10) Como os anjos desobedientes, esses homens tinham um espírito rebelde e mereciam um julgamento adverso porque realmente não tinham nenhum respeito para com o Soberano Universal e Seu amado Filho.

Aplicação Pessoal – Certamente, aqueles dentre os seguidores de Cristo que servem fielmente quais superintendentes cristãos têm tido glória, ou honra, conferida a eles. Os co-cristãos devem cooperar com eles e apoiá-los no serviço de Deus. Não sejamos como os ‘sonhadores’ aviltadores da carne dos dias de Judas que desprezavam o senhorio e não respeitavam as glórias que procediam dEle, mas falavam de modo ultrajante dos revestidos de tais glórias. (cf. 3 João 9, 10.) Assim, se tivermos nem que seja uma tendência para desrespeitar a autoridade conferida por Deus, procuremos de maneira piedosa a ajuda de Deus para ajustar o nosso ponto de vista.


________________
Notas
[1] New Catholic Bible (New York: Catholic Book Publishing Company, 1949), New Testament, p. 322.

Nenhum comentário:

Postar um comentário