2012/02/13

Sacrifício Vivo — Romanos Capítulo 12

Sacrifício Vivo — Romanos Capítulo 12

Sacrifício Vivo

Romanos Capítulo 12

Por Saul K. Watson
Em vista de tudo quanto Deus fez por Seu povo em Jesus Cristo, como Seu povo deve viver? Deve apresentai-se a Deus como “sacrifício vivo”, consagrado a Ele. Os sacrifícios de animais, oferecidos numa época anterior, tornaram-se obsoletos graças à oferta que Cristo fez de Si mesmo. Mas sempre há lugar para o serviço divino prestado por corações obedientes. Em vez de viverem pelos padrões de um mundo em desacordo com Deus, os crentes são exortados a deixar que a renovação das suas mentes, pelo poder do Espírito, transforme as suas vidas harmonizando-as com a vontade de Deus.

A Bíblia nunca ensina uma doutrina para torná-la simplesmente conhecida. Mas ela é ensinada para que seja transferida para a prática. “Se sabeis estas cousas, bem-aventurados sois se as praticardes” (Jo 13:17). Daí, Paulo repetidamente apresenta uma exposição doutrinária, após uma exortação ética, interligando ambas, como aqui, pela conjunção “pois” ou equivalente (ver Ef 4:1; Cl 3:5).

Além disso, é digno de nota que as admoestações éticas desta e doutras epístolas do Novo Testamento, quer sejam ou não de Paulo, têm forte semelhança com o ensino ético de Cristo registrado nos evangelhos. Na verdade, elas se baseiam na “lei de Cristo”, como lhe chama Paulo (Gl 6:2; ver 1 Co9:21).

De maneira particular, pode-se traçar uma impressionante lista de paralelos entre 12:3-13:14 e o Sermão do Monte. Embora não existisse nesse tempo nenhum dos nossos evangelhos canônicos, o ensino de Cristo registrado neles era corrente nas igrejas — certamente em forma oral, e talvez também na forma de sumários escritos.

1. Que apresenteis os vossos corpos. Ver 6:13, 19; o verbo grego aqui é o mesmo que ali é traduzido por “oferecer”. Agora Paulo expõe com mais pormenores aquilo que está envolvido em apresentar-se os cristãos a Deus para serem usados no Seu serviço.

Sacrifício vivo. A nova ordem tem os seus sacrifícios, que não consistem nas vidas de outrem, como os antigos sacrifícios de animais (ver Hb 13:15s.; lPe2:5).

O vosso culto racional. AV e RV: “O vosso serviço racional” ou “razoável”. RVmg. e RSV traduzem: “Vosso culto espiritual”; NEB: “O culto oferecido pela mente e pelo coração” (mg: “O culto que vocês, como criaturas racionais, devem oferecer”). O substantivo é latreia, já usado em 9:4 com referência ao “serviço de Deus” (AV, RV) ou o “culto” (RSV, AA; ver NEB: “o culto do templo”) instituído para os israelitas. O adjetivo é logikos (derivado de logos), que pode significar “razoável”, “racional” (o serviço prestado por vidas obedientes é a única resposta razoável ou lógica à graça de Deus)' ou “espiritual”, como em 1 Pedro 2:2, onde o “leite da palavra” (AV) é expressão traduzida mais apropriadamente por “leite espiritual” em RV, RSV, NEB e AA. Aqui talvez seja preferível “culto espiritual”, em contraste com as exterioridades do culto do templo de Israel.

2. E não vos conformeis com este século. AV: “...com este mundo”. “Este século” (aiõn), como em 1 Coríntios 1:20, 3:18; 2 Coríntios 4:4; Gálatas 1:4, distingue-se de “século vindouro” (como ocorre em Ef 1:21: “não só no presente século, mas também no vindouro”). Conquanto seja chamado “Este inundo perverso” (ou “este presente século mau”) (Gl 1:4, RVmg.), e seja dominado pelo “deus deste século” que cega a mente dos incrédulos (2Co4:4, RVmg. e AA), ainda assim é possível às pessoas pertencer temporariamente a “este século” para viverem como herdeiros do século vindouro, da era de renovação e ressurreição. São aqueles sobre os quais “os fins dos séculos têm chegado” (RV, AA), para os quais, visto que são “uma nova criação” em Cristo, “as cousas antigas já passaram, eis que se fizeram novas” (2 Co 5:17, RSV). É pelo poder do Espírito neles, penhor da sua herança no século vindouro, que podem resistir à tendência de viverem ao nível “deste século”.

Transformai-vos. O verbo é metamorphoõ, traduzido por “transfigurar-se” nas narrativas da transfiguração em Mateus 17:2; Marcos 9:2. O único outro lugar onde aparece no Novo Testamento é 2 Coríntios 3:18, referindo-se aos crentes “transformados” na imagem do Filho “de glória em glória” (ou “de um grau de glória a outro”, RSV) pela operação do “Senhor, o Espírito” — passagem que é útil comentário a este.

2. A Vida Comum dos Cristãos (12:3-8). A marca das obras das mãos de Deus é a diversidade, não a uniformidade. Assim é com a natureza; é assim também com a graça, e em nenhum lugar mais do que na comunidade cristã. Nesta há muitos homens e mulheres das mais diversas espécies de origem, ambiente, temperamento e capacidade. E não só isso, mas, desde que se tornaram cristãos, são também dotados por Deus de uma grande variedade de dons espirituais. Entretanto, graças a essa diversidade e por meio dela, todos podem cooperar para o bem do todo. Seja qual for a espécie de serviço que se deva prestar na igreja, que seja feito de coração e com fidelidade pelos que são qualificados por Deus, quer seja a profecia, o ensino, a exortação, a administração, as contribuições materiais, a visitação aos enfermos, quer a realização de qualquer outra classe de ministério.

Para ilustrar suas palavras, Paulo usa a figura do corpo humano, como já fizera em 1 Coríntios 12:1227. Cada parte do corpo tem sua função característica a desempenhar e contudo, num corpo sadio, todas as partes funcionam harmoniosa e Interdependentemente para o bem do corpo todo. Assim deve ser na igreja, que é o Corpo de Cristo.

3. Pela graça que me foi dada. Isto é, a “graça” ou o dom do apostolado(ver 1:5, 15:15). Conforme o versículo 6, cada membro da igreja recebeu uma “graça” especial neste sentido, a qual deve ser exercida para o benefício de todos. A medida da fé. “Fé” aqui tem sentido bem diferente do que tem na primeira parte da epístola. Aqui indica o poder espiritual dado a cada cristão para o desempenho da sua responsabilidade especial. Ver “segundo a proporção da fé” no versículo 6 (NEB: “em proporção à fé que um homem tem”).

5. Um só corpo em Cristo. Compare-se isto com 1 Coríntios 12:27: “vós sois corpo de Cristo”. Em 1 Coríntios e em Romanos o corpo humano é mencionado simplesmente como uma ilustração da vida corporificada dos cristãos, mas a idéia é levada muito mais longe em Carta aos Colossenses e em Carta aos Efésios. Nestas últimas epístolas dá-se ênfase à relação que a igreja, como corpo, mantém para com Cristo, como a Cabeça. Nelas não há possibilidade de um membro comum da igreja ser comparado com a cabeça, ou com uma parte da cabeça (como acontece em 1 Co 12:16s., 21). Nelas, ainda, deixa-se de falar do corpo como simples símile e se torna deveras o mais eficaz termo que o apóstolo pôde encontrar para exprimir o elo vital que une a vida dos crentes à vida da Ressurreição de Cristo.

8. Com liberalidade. AV: “Com simplicidade”. NEB: “De todo o seu coração”. O que preside. O exercício da administração na igreja é um dom tão verdadeiramente espiritual como qualquer dos outros mencionados. Quem exerce misericórdia. NEB: “Se você dá socorro a outros que estão em aflição.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário