2015/09/08

Significado de Josué 1

Significado de Josué 1


Josué 1

1.1 - Josué começa onde Deuteronômio acaba, após a morte de Moisés. Este é a figura central da narrativa que se inicia em Êxodo e vai até Deuteronômio. Ele é chamado de servo do Senhor, um título que lhe fora dado pela primeira vez no fim de sua vida (Dt 34.5). Em Josué, Moisés é designado desta forma 15 vezes. Nas Escrituras hebraicas, tal designação é uma qualificação especial concedida apenas a Moisés, Josué (Js 24.29; Jz 2.8), Davi (SI 18.1; 36.1) e ao Messias (Is 42.19). Josué, filho de Num. Identificar alguém acrescentando o nome do pai era o equivalente hebraico ao uso do sobrenome. Josué foi o auxiliar de Moisés (Êx 24-13; Nm 11.28). A palavra hebraica usada para auxiliar [nvi] geralmente faz referência ao culto de adoração, mas também pode significar o serviço a um indivíduo, como acontece aqui (veja 1 Rs 19.21, para o assistente de Elias). Josué não é identificado como o servo do Senhor neste momento, porque provavelmente ele ainda não tinha exercido completamente o cargo de substituto de Moisés para guiar o povo até Canaã. Josué precisava aprender mais sobre suas funções, o que pode ser conferido em Deuteronômio 34.9b: E Josué, filho de Num, foi cheio do espírito de sabedoria, porquanto Moisés tinha posto sobre ele as suas mãos; assim, os filhos de Israel lhe deram ouvidos e fizeram como o Senhor ordenara a Moisés.

1.2-9 - O discurso de Deus encorajando Josué é alentador e tenro, e garantia Seu cuidado, Sua proteção e Sua presença, além de estimular a obediência à Sua lei. Aquelas palavras do Senhor para Josué serviam como motivação e mostravam a graça de Deus para com Seu servo, algo que continua válido nos dias de hoje. É impossível alcançarmos o verdadeiro sucesso se estivermos distantes da vontade de Deus.

1.2 - Terra que eu dou aos filhos de Israel. Esta expressão fazia referência a Canaã, uma terra que havia sido prometida primeiro a Abraão, centenas de anos antes (Gn 12.7; 13.14,15,17; 15.18-21; 17.8; 22.17). Mesmo que Deus tenha permitido que os descendentes de Abraão se tornassem escravos em um domínio estrangeiro (Gn 15.13), Ele, todavia, prometeu trazê-los de volta à sua própria terra (Gn 15.16). Esta promessa foi repetida muitas vezes (Êx 6.4,8; Dt 1.6-8; 4-38,40; 5.31; 7.13; 8.1-10; 9.4-6; 11.8-12,17; 26.1,9; 32.49,52; 34.4).

1.3 - Vô-lo tenho dado. Este trecho faz referência a toda a nação de Israel. Algumas vezes (como no v. 2), a terra é retratada como ainda estando no processo de ser concedida a Israel (Eu estou para dar aos israelitas - nvi) . Em outras partes da Bíblia, como aqui, ela é descrita como se já tivesse sido dada ao povo. Esta maneira de falar reflete a ideia de que Israel possuía antecipadamente o título de propriedade da terra, mesmo que o povo ainda não tivesse de fato tomado posse do local. Esta também é a linguagem usada por Gênesis 15.18. Como eu disse a Moisés: Deus mantém a Sua promessa.

1.4 - Esta descrição da terra dá um panorama de suas extremidades sul e norte, e da fronteira a oeste. O limite a leste não é mencionado, provavelmente porque se estendia até onde Josué estava, nas planícies de Moabe, a leste do rio Jordão. A terra de Canaã aqui é designada por um de seus proeminentes grupos étnicos, os heteus (Dt 7.1). Um grande reino heteu na Àsia Menor (moderna Turquia), datando de 1800— 1200 a.C., foi identificado. A relação entre os heteus de Canaã e os da Ásia Menor não é clara. O grande mar é o mar Mediterrâneo.

1.5 - A grande promessa de Deus a Moisés, ao dizer: assim serei contigo (Ex 3.12), é agora feita a Josué (1.9; 3.7). Que animador deve ter sido para Josué o fato de que Deus estaria com ele da mesma forma que esteve com Moisés! Josué esteve presente durante as muitas demonstrações da presença de Deus na vida de Moisés e, desta forma, ele sabia quão importante era esta promessa de que o Senhor estaria sempre presente.

1.6 - A ordem esforça-te e tem bom ânimo serviria para o encorajamento de Josué, e Deus repetiu estas palavras três vezes (v. 6,7,9). O povo, mais tarde, respondeu a Josué fazendo exatamente a mesma declaração (v. 18). A mesma expressão também foi usada por Davi, tempos depois, para estimular seu filho Salomão (1 Cr 22.13; 28.20). Farás a este povo herdar. Esta expressão é o primeiro registro dos atuais deveres de Josué, da cessão da terra a Israel em nome de Deus.

1.7 - Esforça-te e tem mui bom ânimo. Estas instruções a Josué não remetem absolutamente às questões militares. Isso pode parecer surpreendente, dada a situação de batalhas se aproximando. Entretanto, o sucesso dependia mais do estado espiritual e do nível de obediência a Deus de Josué do que de qualquer estratégia militar. A comunhão com o Senhor é muito mais poderosa do que qualquer conhecimento de guerra. A lei que meu servo Moisés te ordenou. Ao ler esta expressão subentende-se que a Lei foi dada por Moisés a Israel. Entretanto, alguns estudiosos argumentam que as ordenanças encontradas no Pentateuco vieram de uma época muito posterior. Mas esta passagem, juntamente com outras (Js 8.31-35; Dt 31.24-26), estabelece que Moisés de fato dera a Lei a Israel.

O termo traduzido como bem-sucedido [nvi] significa muito mais do que o mero sucesso financeiro. A expressão inclui o bem-estar espiritual.

1.8,9 - A palavra meditar (medita, no texto) significa muito mais do que uma contemplação. A ideia aqui é a de que um indivíduo deve refletir sobre a Palavra de Deus de uma forma profunda, considerando suas verdades de forma pessoal e aplicando-as à sua vida (SI 1.2,3).

1.10 - Os príncipes do povo eram oficiais que ajudavam na organização dos afazeres de Israel. O faraó egípcio designou alguns oficiais parecidos para predominar sobre Israel (Êx 5.14,15).

1.11 - Provede-vos de comida. Esta expressão mostra que o Senhor proveria o alimento necessário para os próximos dias, visto que os israelitas estavam se preparando para atravessar o Jordão. O trecho dentro de três dias revela que os filhos de Israel separaram um período prévio para se organizar antes de entrar em Canaã. O mesmo tempo de três dias foi gasto pelos espias que ficaram escondidos nas colinas fora de Jericó ao serem enviados tempos antes por Moisés para sondarem como era a Terra Prometida (este fato foi mencionado em Js 2.16,22). Depois que os espias voltaram, os israelitas esperaram outros três dias para cruzar o Jordão (Js 3.2).

1.12-15 - Josué relembrou às duas tribos e meia que estavam assentadas a leste do Jordão que elas prometeram lutar com o resto dos israelitas pela terra do outro lado do rio, ou seja, por Canaã. Nos versículos 13-15, Josué cita praticamente as mesmas palavras que Moisés pronunciou a estas tribos quando este falou sobre a conquista da Terra Prometida (compare Js 1.13-15 com Dt 3.18-20).

Houve apenas uma mudança no discurso, ao analisar o versículo 14 deste capítulo, pois, em Deuteronômio, Moisés fala em cidades, enquanto  aqui Josué fala em banda do Jordão. Isto serve para destacar o especial interesse de Josué na terra. Apesar de estas tribos obterem o direito de tomar posse da terra a leste do Jordão, elas deveriam manter a aliança solidária com seus irmãos e lutar para conquistá-la (Nm 32.1-42; Dt 2.26—3.20). E podemos inferir desta passagem que as tribos mantiveram sua promessa. Por causa da fidelidade das tribos em cumprir esta promessa, elas são abençoadas por Josué, no final deste livro (Js 22.1-9). A história recontada em Josué 22.10-34 ilustra a boa-fé das tribos com relação a esta questão.

1.13-15 - A promessa de descanso ecoa em Números 32.20-22 e em Deuteronômio 3.18-20. Leia a respeito das promessas de descanso em Êxodo 33.14 e Deuteronômio 12.9,10. Este repouso era o presente de Deus para Israel. Em Josué, significa basicamente o descanso dos conflitos contra os inimigos. Outras passagens em Josué fazem menção a Israel ou à terra que tem repouso (Js 11.23; 14.15; 21.44; 22.4; 23.1).

1.14,15 - A palavra hebraica que corresponde a armados está relacionada aos números cinco e 50. E possível que signifique estarem alinhados na formação de batalha em grupos de cinquenta. Todos os valentes e valorosos. Esta expressão faz referência à elite do exército. Josué escolheu 30 mil destes homens para prepararem uma emboscada contra Ai (8.3) e também os levou à batalha em Gilgal (Js 10.7). Grupos de 400 homens poderosos (1 Sm 22.2), e mais tarde de 600 (Js 27.2), também acompanharam Davi. Um pouco depois, lemos que um grupo de elite de 30 ou mais eram guerreiros especiais de Davi (2 Sm 23.8-39).

1.16-18 - O povo respondeu a Josué de forma calorosa, entusiasmada, refletindo os elementos de esforço e ânimo que Deus colocara a cargo de Josué nos versículos 1 a 9. Compare o versículo 5 com o 17, e note também a quarta ocorrência da exortação: esforçaste e tem bom ânimo (v. 6,7,9). O comprometimento de obediência e lealdade a Josué certamente deve ter encorajado grandemente o novo líder.

1.16 - O texto não fala claramente quais pessoas responderam a Josué, se foram os oficiais do povo (v. 10) ou as tribos a leste do Jordão (v. 12). Ao que tudo indica, analisando os versículos 10 e 12, as palavras de Josué aos oficiais no versículo 11 e a declaração às tribos nos versículos 13 a 15 fazem parte de um mesmo evento. A resposta nos versículos 16 a 18 é provavelmente destinada a toda a nação de Israel. Desta forma, todo o povo confirmou a liderança de Josué no início de seu exercício em tal cargo.

De seu acampamento em Moabe, os israelitas se prepararam para entrar na terra que o SENHOR lhes deu para que a possuíssem (Js i.n). Esta foi a terra que Deus prometeu conceder aos descendentes de Abraão (Cn 13.14-1 j). Os limites dela foram cuidadosamente definidos por Moisés (Nm 34.1-12). Agora, sob a liderança dt Josué, o povo deveria partir e tomar posse de Canaã. 1.17,18 - Senhor, teu Deus, seja contigo. Estas palavras dos israelitas mostraram a aceitação do povo em ter Josué como novo líder. O povo usou os mesmos termos que o próprio Deus pronunciou quando prometeu estar com o substituto de Moisés.



Um comentário: