2016/10/18

Êxodo 15 — Comentário de Matthew Henry

Êxodo 15 — Comentário de Matthew Henry

Êxodo 15 — Comentário de Matthew Henry




Êxodo 15

Versículos 1-21: O cântico de Moisés pela libertação de Israel; 22­ 27: As águas amargas de Mara; os israelitas chegam a Elim.

Vv. 1-21. Este cântico é o mais antigo que conhecemos. É um cântico santo para a honra de Deus, para exaltar o seu nome e celebrar o seu, e somente o seu louvor, pois nem mesmo minimamente magnifica a homem algum. A santidade ao Senhor está em cada uma de suas partes. Pode ser considerado como tipo e profecia da destruição final dos inimigos da Igreja.

Felizes são aqueles que reconhecem que só Deus é o Senhor.

Eles têm trabalho para promover tentações com as quais contender, e aflições para suportarem em si mesmos; ainda que sejam fracos, a graça divina é a fortaleza deles. vez por outra estão aflitos, mas nEle encontram o seu consolo; Ele é o cântico deles. O pecado, a morte e o inferno os ameaçam; porém, Ele é e será a salvação deles. O Senhor é o Deus Todo-poderoso, e ai daqueles que lutam contra o seu Criador! Ele é o Deus de incomparável perfeição, grandioso em santidade e glória, Sua santidade mostra-se através do ódio ao pecado, e a sua ira contra os pecadores obstinados. Isto pode ser observado na libertação de Israel, bem como a sua fidelidade à sua própria promessa. Ele é temível em louvores; aquilo que para os servos de Deus foi motivo de louvor, tornou-se para os seus inimigos em algo espantoso. Ele realiza prodígios, coisas que estão fora do curso corrente da natureza, e maravilhas para aqueles a favor de quem são feitas, mesmo sendo indignos. Aconteceram prodígios de poder e prodígios de graça; em ambos, Deus deveria ser adorado humildemente.

Vv. 22-27. Os israelitas não tiveram água no deserto de Sur, e sim em Mara; porém, era tão amarga que não puderam bebê-la. Deus é capaz de tornar amargo aquilo que mais prometemos a nós mesmos e, às vezes, o faz em meio ao deserto deste mundo, para que as nossas carências e desenganos levem-nos ao criador, em cujo favor podemos ter o verdadeiro consolo.

Em seu mal-estar, o povo extravasou o seu afa e pelejou contra Moisés. Os hipócritas podem demonstrar muito afeto e parecer fervorosos nos exercícios religiosos, mas caem no momento da tentação. Até mesmo os verdadeiros crentes serão tentados, em momentos de provas agudas, a darem vazão aos afãs, a desconfiar e a resmungar. Porém, em cada prova devemos lançar as nossas preocupações sobre o Senhor, e derramar os nossos corações perante Ele. Então veremos que uma vontade submissa, uma consciência pacífica e os consolos do Espírito Santo farão com que a prova mais amarga se torne suportável; sim, e até mesmo agradável.

Moisés fez o que o povo havia se descuidado de fazer: ele clamou ao Senhor. Ele dirigiu Moisés até um lenho, que foi lançado nas águas, e estas tornaram-se imediatamente doces. Alguns consideram este lenho um tipo da cruz de Cristo, que adoça as águas amargas da aflição para todos os fiéis, e os capacita para que se regozijem na tribulação. O Senhor promete que não colocará nos israelitas as doenças que pós sobre o Egito, se eles o obedecessem.

Deus é o médico por excelência. Se temos saúde, é Ele que nos mantém; se precisamos de cura, é Ele quem nos recupera. Ele é a nossa vida e a extensão dos nossos dias. Não nos esqueçamos que somos preservados da destruição e livrados dos nossos inimigos com a finalidade de sermos os servos do Senhor.

Em Elim, tiveram água boa e em quantidade suficiente. Mesmo que por um determinado tempo, Deus possa ordenar que o seu povo se acampe ao lado das águas amargas de Mara, esta não será para sempre a sua sorte. Não desfaleçamos em meio às tribulações.

Índice: Êxodo 1 Êxodo 2 Êxodo 3 Êxodo 4 Êxodo 5 Êxodo 6 Êxodo 7 Êxodo 8 Êxodo 9 Êxodo 10 Êxodo 11 Êxodo 12 Êxodo 13 Êxodo 14 Êxodo 15 Êxodo 16 Êxodo 17 Êxodo 18 Êxodo 19 Êxodo 20 Êxodo 21 Êxodo 22 Êxodo 23 Êxodo 24 Êxodo 25 Êxodo 26 Êxodo 27 Êxodo 28 Êxodo 29 Êxodo 30 Êxodo 31 Êxodo 32 Êxodo 33 Êxodo 34 Êxodo 35 Êxodo 36 Êxodo 37 Êxodo 38 Êxodo 39 Êxodo 40

Nenhum comentário:

Postar um comentário