2015/12/09

Gênesis 36 — Estudo Bíblico

Estudo Bíblico sobre Gênesis




Gênesis 36

ESAÚ, O HOMEM QUE ACEITOU DE VOLTA SEU IRMÃO
Gênesis 36.1-43

Este capítulo é uma compilação de seis listas antigas relacionadas a Esaú e sua poste­ridade. Estão colocadas aqui para lhe dar uma saída da história do procedimento de Deus com a linhagem de Abraão. Deste ponto em diante, a Bíblia descreve os edomitas de certo modo antagônicos aos israelitas. Os edomitas nunca são retratados genuinamente religio­sos, embora pesquisas arqueológicas revelem que eles possuíam ídolos pagãos.
A primeira lista (36.1-8) trata das esposas de Esaú e seus filhos e é voltada para Canaã. A segunda também inclui os netos, mas está ligada à terra de Edom (Seir, ver Mapa 2), região sudeste do mar Morto, em alguns pontos elevando-se a mais de 900 metros acima do nível do mar. A terceira lista designa os filhos de Esaú como chefes de clã. A quarta oferece a árvore genealógica dos horeus, que significa “moradores das ca­vernas”, que ocupavam a terra antes da chegada da família de Esaú. A quinta genealogia registra um grupo de reis edomitas que precederam o surgimento dos reis em Israel. A sexta lista enumera os descendentes de Esaú de acordo com as regiões geográficas que se tornaram, por aproximação, suas respectivas habitações em tempos antigos. Uma listagem bem parecida com estas seis aparece em 1 Crônicas 1.35-54.

As ESPOSAS DE ESAÚ E SEUS FILHOS (36.1-8)

Os textos de 26.34 e 28.9 registram que as esposas de Esaú eram: Judite, Basemate e Maalate. Levando em conta que as moças do Oriente Próximo tinham o hábito de mudar de nome quando casavam, parece que Basemate (26.34) era igual a Ada (36.2), e que Maalate 28.9) era igual a Basemate de 36.3. A Judite de 26.34 não parece ser a mesma moça Oolibama de 36.2. Obviamente que “Judite, filha de Beeri, heteu” (26.34) ou não teve filhos ou morreu em tenra idade, e que Oolibama foi tomada em seu lugar. Devemos observar que o nome do pai dela, Aná, e do avô, Zibeão, aparecem na lista dos filhos de Seir (36.20). Os textos samaritano, grego e siríaco trazem a leitura “filha de Aná, filho de Zibeão”, a qual é provavelmente correta. É verossímil que o termo heveu deva ser entendido como sinônimo de horeu (36.20), o que ocorre com frequência na Bíblia, ou como variante textual, visto que os caracteres hebraicos para as letras v e r são de forma ligeiramente diferente.
A partida de Esaú para a montanha de Seir (8) parece ter sido uma separação pacífica de Jacó. A frase a terra... não os podia sustentar (7) indica que as pastagens eram insuficientes para suas extensas propriedades de gado.

Os FILHOS E NETOS DE ESAÚ (36.9-14)
Os edomitas estavam agora na montanha de Seir (9) e esta genealogia leva a linhagem para outra geração. Elifaz (12) tinha uma esposa secundária, cujo filho foi Amaleque. Seus descendentes se tornariam inimigos implacáveis do povo de Israel.

A PROEMINÊNCIA DOS DESCENDENTES DE ESAÚ (36.15-19)
Neste registro, é notável a presença do termo hebraico alluf, traduzido por prínci­pes (15). O significado da raiz do termo é “boi”, mas um termo primo próximo, elef, quer dizer “mil”. Este fato levou alguns a suporem que o significado aqui é “líder de mil”.' Outros tradutores preferem “chefe”. Com base na frase que ocorre periodicamente: Na terra de Edom (16), propôs-se que a tradução melhor seria “clãs”.

OS FILHOS DOS MORADORES DAS CAVERNAS (36.20-30)
Esta lista diz respeito aos moradores daquela terra (20) antes da chegada de Esaú. Parece indicar que os descendentes de Esaú e os filhos de Seir, que já habitavam a região, logo se casaram entre si, formando um só povo.
Este povo era descendente dos horeus. O termo horeu significa “troglodita ou mora­dor das cavernas”, que, pelo visto, foi o modo de vida dos primitivos habitantes de Seir. Horeu também é um nome que os hebreus usavam para se referir a uma nação não-semítica conhecida por nós pelo nome “hurrianos”. Este povo dominava a região superior do vale do Tigre, mas teve colonizadores na Palestina (ver comentários do cap. 34). É duvidoso que existisse relação física entre os hurrianos e este povo.'

Os REIS DE EDOM (36.31-39)
O foco de interesse aqui retorna para os edomitas e para o poder que os descenden­tes de Esaú conquistaram. O ofício de rei não era determinado por hereditariedade, mas era concedido a ho­mens que se destacavam como líderes. Durante séculos, esta foi uma característica dos edomitas. Naquela época primitiva, Edom (31) não tinha cidades fundadas.
Há estudiosos que argumentam que a frase antes que reinasse rei algum so­bre os filhos de Israel mostra que Moisés não escreveu o Pentateuco. A suposição diz que essas palavras indicam uma data durante ou depois do período do reino de Israel para a composição do Pentateuco. Mas esta ideia não foi conclusivamente comprovada pelas pesquisas arqueológicas que afirmam o fato de Edom não ter tido reis no tempo de Moisés. Deve-se observar também que, mesmo que esta frase tivesse vindo de perí­odo posterior, pode ser entendida como nota marginal que migrou para o texto sem afetar a autoria mosaica.

As REGIÕES ONDE OS EDOMITAS HABITAVAM (36.40-43)
Se, nesta lista, o nome Elá (41) deve-se entender como forma mais curta da palavra Elate, então todos os nomes registrados aqui seriam designações de regiões geográficas situadas a sudeste e ao sul do mar Morto.
O termo príncipes (40, alluf) aparece aqui de novo, sendo comentado mais extensi­vamente em 36.15-19. É mais bem traduzido pela palavra “chefes” ou “clãs”? Ou é um nome para designar o território governado por estes povos? O assunto não é de fácil solução, e, no momento, não há resposta definitiva para esta questão.

Índice: Gênesis 1 Gênesis 2 Gênesis 3 Gênesis 4 Gênesis 5 Gênesis 6 Gênesis 7 Gênesis 8 Gênesis 9 Gênesis 10 Gênesis 11 Gênesis 12 Gênesis 13 Gênesis 14 Gênesis 15 Gênesis 16 Gênesis 17 Gênesis 18 Gênesis 19 Gênesis 20 Gênesis 21 Gênesis 22 Gênesis 23 Gênesis 24 Gênesis 25 Gênesis 26 Gênesis 27 Gênesis 28 Gênesis 29 Gênesis 30 Gênesis 31 Gênesis 32 Gênesis 33 Gênesis 34 Gênesis 35 Gênesis 36 Gênesis 37 Gênesis 38 Gênesis 39 Gênesis 40 Gênesis 41 Gênesis 42 Gênesis 43 Gênesis 44 Gênesis 45 Gênesis 46 Gênesis 47 Gênesis 48 Gênesis 49 Gênesis 50

Nenhum comentário:

Postar um comentário