2019/08/15

Gênesis 48 — Estudo Bíblico

Estudo Bíblico sobre Gênesis




Gênesis 48

ANTECIPAÇÕES DO FUTURO (48.1-50.26)
Os capítulos finais de Gênesis estão fundamentados nas ocorrências de morte no presente ou futuro imediato, e no futuro de longo alcance dos descendentes de Jacó. Sempre é ressaltado que a terra de Egito não é o lar permanente deste povo. Eles têm de ter os olhos voltados para Canaã. Para enfatizar este ponto, Jacó foi enterrado na caver­na sepulcral da família e José foi embalsamado para futuro sepultamento em Canaã.

 Jacó Adota os Filhos de José (48.1-22)
Uma piora na saúde de Jacó levou José (1) e seus dois filhos para o lado da cama do idoso patriarca. Com dificuldade, Jacó se sentou para recebê-los. Tratava-se de uma reunião importante, sobre a qual pai e filho já haviam conversado.
As recordações de Jacó viajaram àquele momento significativo em Luz (3, Betel; ver 28.10-22). Naquela ocasião, o Deus Todo-poderoso lhe apareceu, tornando-se pessoal­mente real e transmitindo-lhe as promessas do concerto. Agora Jacó queria passar estas promessas do concerto, junto com obrigações anexas, para seus descendentes. Já conhe­cia a vontade de Deus concernente a qual filho seria separado para este privilégio, mas não contou a ninguém.
A primeira medida de Jacó foi adotar os dois filhos de José. Colocou-os no mesmo nível que Rúben e Simeão (5), os dois filhos mais velhos.' Jacó nunca esqueceu a perda de Raquel, assim queria honrá-la elevando estes netos à condição de filhos e, por conse­guinte, tribos em Israel. O nome de José seria perpetuado por outros filhos aptos que nasceriam (6). Efrata (7) é um nome antigo de Belém, inserido pelo escritor para tornar o local claro.
Os olhos embaçados de Jacó (10; cf. ARA) notaram duas outras pessoas no quarto. Certificando-se de que eram Efraim e Manassés, passou a fazer os gestos rituais de adoção comuns entre seu povo. O pai recebia os filhos legítimos colocando-os entre os joelhos (12; cf. ARA); foi assim que foram reconhecidos estes filhos adotivos.
O próximo passo era o ato formal de pronunciar a bênção que era irrevogável para o povo de Jacó. Desconhecendo as intenções do pai, José posicionou os filhos de acordo com o costume, ou seja, o filho mais velho em frente à mão direita do pai tribal (13). Anteci­pando este movimento, Jacó cruzou as mãos e pronunciou a bênção do concerto sobre o mais novo, Efraim (14). Daquele momento em diante, Efraim seria o representante do concerto diante de Deus. Descontente com o procedimento do pai, José tentou mudar a posição das mãos de Jacó, mas Jacó lhe disse que a ação foi intencional. Avisadamente (14) seria “conscientemente”. Pela terceira vez, o filho mais novo na linhagem patriarcal tomou o lugar do filho mais velho (ver 17.19,20; 27.27-29).
Na bênção, Jacó testificou do Anjo que me livrou de todo o mal (16). Esta é a primeira vez que a palavra “livrar” (go'el), com o sentido de resgate, aparece nas Escritu­ras. Está baseada na obrigação de um homem da mesma família comprar de volta a propriedade hipotecada de um parente infeliz, ou comprar de volta o próprio parente da escravidão (Lv 25.25-55).
Jacó percebeu que sua desonestidade com Esaú e suas dificuldades com Labão foram um mal que ameaçou prendê-lo. Mas Deus o ajudou a acertar as coisas com Labão e a reconciliar-se com Esaú. Deus também o livrou dos maus caminhos dos seus filhos mais velhos e lhe devolveu José. Estes foram os atos de Deus que lhe deram esperança e alegria ao coração. Na sua opinião, estes eventos eram redentores, porque ele devia tudo ao que Deus havia feito a favor dele. Aquele que agiu tão eficientemente no passado abençoaria os rapazes e produziria a redenção para estes netos.
Além da bênção especial em Efraim (17), Manassés (cf. 27.39,40) também foi aben­çoado. A forma desta bênção: Deus te ponha como a Efraim e como a Manassés (20), ainda é usada entre os judeus. Jacó também prometeu que José voltaria para Canaã (21), pois esta era a vontade de Deus. José teria um pedaço (22) só seu daquela terra. Ficava em Siquém. Não resta outro registro da batalha com os amorreus que esteja relacionado com a propriedade de Jacó desta parte do país. Josué 24.32 declara que o corpo embalsamado de José foi enterrado na parte do campo que foi comprada dos “filhos de Hamor” (ver tb. Jo 4.5,6).

Índice: Gênesis 1 Gênesis 2 Gênesis 3 Gênesis 4 Gênesis 5 Gênesis 6 Gênesis 7 Gênesis 8 Gênesis 9 Gênesis 10 Gênesis 11 Gênesis 12 Gênesis 13 Gênesis 14 Gênesis 15 Gênesis 16 Gênesis 17 Gênesis 18 Gênesis 19 Gênesis 20 Gênesis 21 Gênesis 22 Gênesis 23 Gênesis 24 Gênesis 25 Gênesis 26 Gênesis 27 Gênesis 28 Gênesis 29 Gênesis 30 Gênesis 31 Gênesis 32 Gênesis 33 Gênesis 34 Gênesis 35 Gênesis 36 Gênesis 37 Gênesis 38 Gênesis 39 Gênesis 40 Gênesis 41 Gênesis 42 Gênesis 43 Gênesis 44 Gênesis 45 Gênesis 46 Gênesis 47 Gênesis 48 Gênesis 49 Gênesis 50

Nenhum comentário:

Postar um comentário