2016/04/30

Êxodo 19 — Explicação das Escrituras

Êxodo 19 — Explicação de Êxodo

Êxodo 19 — Explicação de Êxodo


19.4 Águia. O Êxodo tinha sido um arrebatamento dramático da terra da escravidão, para o povo estar livre para servir a Deus.
19.5,6 Eis o conteúdo da aliança de Deus com os homens - separados, santificados, e salvos para servir, adorar e gozar de eterna graça com Deus.
19.10 Purifica-o. A purificação é um rito específico para sacerdotes, e daí podemos ver a aplicação imediata da promessa de Deus mencionada no v. 6, e abraçada unanimemente pelo povo (8); que os que aceitam às promessas e aos preceitos de Deus, já são sacerdotes i.e., servem a Deus e são veículos para revelar a Palavra a terceiros (Vd as refs. bíblicas).
19.12 Limites. Todos os pormenores e cuidados para evitar que o povo se aproxime do monte, são para inculcar, de maneira bem clara e dramática, na mente do povo presente, que existe uma barreira enorme entre Deus, que é Santo, e o homem pecaminoso. Ninguém pode compreender o sacrifício de Cristo, sem reconhecer que foi feito tudo, nesse, para transpor essa barreira.
19.15 Mulher. Um espírito de castidade, reverência e meditação pode preparar o homem para receber a revelação de Deus. A vida diária precisa ser interrompida, de vez em quando, para um levantamento de nossa condição espiritual.
19.16 Se estremeceu. Qualquer revelação da natureza de Deus faz estremecer nosso pequeno “eu” com seus vícios, seus temores, sua soberba e sua falta habitual de fé e de obediência.
19.21 Não traspasse. Quem viveu em perpétua rebelião contra Deus, como foi o caso desses israelitas, desde a primeira ação de Moisés para libertá-los em nome de Deus, não poderia contemplar Sua glória sem ser consumido. Assim será no Dia do julgamento: os que não amaram a Deus na terra, não O conhecerão como Salvador, mas sim, como Juiz, naquele Dia.
19.22 Também os sacerdotes. Os sacerdotes são humanos, com falhas humanas. Jesus é divino e sem falha (Hb 7.20-28).
19.23 Consagra-o. Moisés não podia consagrar o monte: é a presença de Deus que o torna santo. Mas, como profeta de Deus, pode proclamar essa consagração e colocar limites ao seu redor. • N. Hom. A Epístola aos Hebreus nos ensina que a solenidade e a reverência desta ocasião, não se podem comparar em importância com aquilo que Deus fez para nós no monte, perto de Jerusalém, onde Jesus foi crucificado para fazer uma Aliança de graça, de perdão e de santificação com o ser humano, não baseada na virtude humana (Êx 19.8, 24.3), mas no sangue de Jesus (Hb 12.18-29). Compreendemos, pois, que os trovões (16) representam a ira de Deus, a nuvem protege o homem da luz Eterna, e a buzina é o chifre do carneiro, usado para convocar os adoradores, v. 13.

Índice: Êxodo 1 Êxodo 2 Êxodo 3 Êxodo 4 Êxodo 5 Êxodo 6 Êxodo 7 Êxodo 8 Êxodo 9 Êxodo 10 Êxodo 11 Êxodo 12 Êxodo 13 Êxodo 14 Êxodo 15 Êxodo 16 Êxodo 17 Êxodo 18 Êxodo 19 Êxodo 20 Êxodo 21 Êxodo 22 Êxodo 23 Êxodo 24 Êxodo 25 Êxodo 26 Êxodo 27 Êxodo 28 Êxodo 29 Êxodo 30 Êxodo 31 Êxodo 32 Êxodo 33 Êxodo 34 Êxodo 35 Êxodo 36 Êxodo 37 Êxodo 38 Êxodo 39 Êxodo 40


Nenhum comentário:

Postar um comentário