terça-feira, agosto 13, 2019

Gênesis 27 — Exposição Bíblica

Gênesis 27 — Exposição Bíblica

Gênesis 27 — Exposição Bíblica



Gênesis 27

27.1 ISAQUE ENVELHECEU. O capítulo 27 retrata Isaque e sua família tentando conseguir a bênção de Deus de um modo injusto. A preferência pessoal de Isaque por Esaú, de modo contrário à vontade de Deus, e a manipulação enganosa de Rebeca e Jacó, tomaram o lugar das bênçãos espirituais do concerto de Deus. Sempre que se usar de engano e hipocrisia na realização da obra de Deus, o plano divino é prejudicado e também todas as pessoas envolvidas na obra. 

27.4 PARA QUE MINHA ALMA TE ABENÇOE. No caso da primogenitura, a bênção que a acompanhava, bem como a declaração verbal do pai, eram uma obrigação legal do pai, segundo as antigas leis do Oriente Próximo (cf. Gn 49.28-33). Isaque parece ter se esquecido da mensagem de Deus, de que Esaú serviria a Jacó, o mais novo (Gn 25.23), ou não fez caso dela. Além disso, ele não levou em conta o fato de Esaú ter se casado com duas mulheres incrédulas (Gn 26.34,35). Por fim, Isaque não se preocupou, não se esforçou para saber a vontade de Deus nesse assunto. 

27.6-17 FALOU REBECA A JACÓ. Rebeca e Jacó (mãe e filho) tentaram realizar os propósitos do concerto divino, mediante astúcia e trapaça. Tinham perdido a visão do propósito fundamental da bênção de Deus suscitar um povo piedoso e justo que andasse com Deus, em fé e obediência. Rebeca sofreu grandemente pela sua artimanha enganosa, pois Jacó teve que fugir, e ela nunca mais o viu (v. 43; 28.5). 

27.19 JACÓ DISSE A SEU PAI. Se Jacó tivesse confiado em Deus e entregue ao Senhor o seu caminho, teria obtido a bênção no tempo certo, determinado por Deus. Jacó, porém, mentiu duas vezes a fim de obter a bênção a seu próprio modo (vv. 19,20). (1) Obteve o que queria, mas lhe custou muito caro. Teve que fugir para escapar com vida, privar-se do que possuía e deixar o conforto do lar. Ele colheu em si mesmo a sementeira das fraudes que praticou contra os outros (Gn 29.20-25; 31.7; 37.32-36) e viveu longos anos no exílio (31.41). Durante toda a sua vida, sofreu revés após revés até declarar, finalmente: Poucos e maus foram os dias... da minha vida (47.9). (2) Os atos e experiências de Jacó devem ser ponderados por todos que torcem os fatos e enganam os outros, na obra do reino de Deus. O sucesso espiritual deve ser obtido por meios justos, e não por maquinação e fraude. 

27.38 ESAÚ... CHOROU. De conformidade com Hebreus 12.16,17, Esaú perdeu a sua bênção por ser profano e daí desdenhar da natureza sagrada da bênção (Gn 25.31-34). Agora, mudou de opinião e com lágrimas buscou a bênção, mas suas lágrimas eram de desengano e de raiva, e não de tristeza, pelo caminho pecaminoso que escolhera. A experiência de Esaú nos adverte contra as escolhas erradas na vida, que provocam conseqüências terríveis que não poderão mais ser anuladas (2 Sm 12.7-14).

Nenhum comentário:

Postar um comentário