2017/11/28

Atos 17 — Comentário Devocional

17.1 - Tessalônica era uma das cidades mais ricas e influentes da Macedônia. Foi a primeira visitada por Paulo; lá seus ensinamentos atraíram um grande grupo de cidadãos socialmente proeminentes. A igreja que o apóstolo ali fundou cresceu depressa, porém entre 50/51 d.C., Paulo foi forçado a sair de Tessalônica devido a um tumulto (17.5,6,10). Depois, Paulo enviou Timóteo de volta aquela cidade, para verificar como estavam os cristãos. Então. Paulo escreveu duas cartas aos irmãos de Tessalônica (1 e 2 Ts), encorajando-os a permanecerem fiéis e a recusarem-se a ouvir os falsos mestres que tentavam refutar suas convicções cristãs. 

17.1, 2 - Uma sinagoga, composta por um grupo de judeus que se unia para o ensino e a oração, poderia ser estabelecida onde quer que houvesse dez judeus. Era comum a Paulo pregar nas sinagogas, quando os judeus permitiam. Frequentemente, aqueles que não eram judeus iam aos cultos nas sinagogas e ouviam a pregação de Paulo. Para obter mais informações sobre o culto nas sinagogas, ver a nota 13.14.15. 

17.2, 3 - Quando Paulo pregava nas sinagogas, sabiamente começava seu discurso comentando os textos do Antigo Testamento e explicando como o Messias cumpriu a lei e as profecias; Paulo partia do conhecido para o desconhecido. Esta é uma boa estratégia para nós. Quando testemunharmos sobre Cristo, de vemos começar pelo ponto que as pessoas entendem, afirmando a verdade que elas conhecem, então poderemos apresentar Cristo, que é a verdade total. 

17.5 - Os líderes judeus não refutavam a teologia de Paulo e Silas, mas tinham inveja da popularidade destes pregadores itinerantes. As revoltas que causavam eram motivadas pelo ciúme que tinham dos apóstolos, não por pureza doutrinária. 

17.6 - Não sabemos muito sobre Jasom, a não ser que foi o anfitrião e o patrocinador de Paulo e Silas em Tessalônica; por isso, Jasom sofreu o impacto de todos os problemas. Ele é apenas um dos muitos heróis da fé que, fielmente, fizeram sua parte para ajudar a divulgar as Boas Novas. Devido à coragem de Jasom, Paulo e Silas puderam ministrar mas eficazmente. Talvez não recebamos muita atenção neste mundo por nosso serviço a Cristo; de fato, podemos receber somente pesares neste mundo. Mas Deus quer usar-nos. Vidas serão transforma das por causa de nossa coragem e fidelidade a Deus. 

17.6 - Que reputação tinham os primeiros cristãos! O poder das Boas Novas revolucionou vidas, rompeu todas as barreiras sociais, abriu portas de prisões, levou as pessoas a importarem-se profundamente umas com as outras, e as fez adorar a Deus. Nosso mundo precisa ser revolucionado, precisa ser transformado. O evangelho não tem a finalidade de apenas melhorar a sociedade e encorajar a boa conduta; ele tem o poder de transformar as vidas dinamicamente. Tome coragem e pergunte a Deus como você pode ajudar na expansão das Boas Novas em seu mundo! 

17.7 - Os lideres judeus tiveram de forjar as acusações contra Paulo e Silas, que seriam ouvidas pelo governo da cidade. Os romanos não se importavam com as discordâncias teológicas entre os judeus e esses pregadores cristãos. Porém, a traição política era uma ofensa séria no Império Romano. Embora Paulo e Silas não defendessem a rebelião contra a lei romana, a lealda de deles a outro Rei levantava suspeitas. 

17.8, 9 - Jasom pagou a fiança de Paulo e Silas; pagou em dinheiro pela liberdade deles. Ao fazê-lo, prometeu que o tumulto cessaria ou sua propriedade e possivelmente sua própria vida seriam tiradas. 

17.11 - Como você avalia os sermões e ensinamentos que recebe? As pessoas em Bereia conferiam nas Escrituras a mensagem que ouviam. Sempre compare o que você ouve com o que está escrito na Bíblia. Um pregador ou professor que transmite a verdadeira mensagem de Deus nunca cairá em contradição com o que a Palavra de Deus diz. 

17.15 - Atenas, com seus magníficos edifícios e muitos deuses, era o centro da arte, da filosofia e da educação grega. Os filósofos e os homens cultos estavam sempre prontos para ouvir algo novo, por isso convidaram Paulo para falar-lhes no Areopago [conselho de sábios e literatos] (17.18.19). 

17.18 - Os epicureus e os estóicos eram os filósofos em voga na cultura grega. Os epicureus acreditavam que buscar a felicidade ou o prazer era a principal meta na vida. Os estóicos, ao contrário, colocavam o pensamento acima dos sentimentos e tentavam viver em harmonia com a natureza e a razão, suprimindo seu desejo de prazer; eram muito disciplinados. 

17.19 - Certa vez, o Areópago se reuniu em uma colina baixa de Atenas, próximo à Acrópole. Enquanto Paulo falava sobre o verdadeiro Deus, seu público podia olhar para a cidade e ver os vários ídolos representando os deuses que o apóstolo sabia serem desprezíveis. 

17.22 - Paulo estava bem preparado para falar a esse grupo. Ele tinha vindo de Tarso, um centro educacional, e tinha o treinamento e o conhecimento para apresentar suas convicções de forma clara e persuasiva. Paulo era um rabino, ensinado pelo melhor sábio de sua época. Gamaliel; o apóstolo passou muito tempo de sua vida pensando e raciocinando a respeito das Escrituras. Não é suficiente ensinar ou pregar com convicção. Como Paulo, devemos estar preparados para apresentar a razão da nossa fé. Quanto mais conhecemos a Bíblia, o que ela significa e como aplicar sua verdade à nossa vida, mais convincente nossas palavras serão. Isso não significa que devamos evitar apresentar as Boas Novas até que nos sintamos adequadamente preparados. Devemos usar o que aprendemos e sempre procurar saber mais. a fim de sermos testemunhas eficientes e podermos responder às perguntas e aos argumentos das pessoas. 

17.22ss - O modo de Paulo dirigir-se às pessoas é um bom exemplo de como comunicar as Boas Novas. Ele não começou citando a história judaica, como normalmente fazia, pois isso não teria sentido para seu público grego. Paulo preparou uma argumentação favorável ao verdadeiro Deus; falou de coisas que os gregos entenderiam; mencionou a superstição grega, o altar ao deus desconhecido (17.22,23) e até versos de um poeta helenista (17.28) a fim de estabelecer uma base na cultura grega para enfatizar o verdadeiro Deus (17.24-29). Finalmente, direcionou sua mensagem à pessoa de Cristo, focando a ressurreição (17,30.31). Ao testemunhar aos outros, você pode usar o tipo de abordagem de Paulo. Dê exemplos, estabeleça concordâncias, então direcione as pessoas a uma conclusão e decisão por Jesus Cristo. 

17.23 - Os atenienses construíram um altar para o deus desconhecido por medo de esquecer algum ídolo, e perder bênçãos ou receber castigos. O começo do discurso de Paulo aos atenienses foi sobre esse deus desconhecido. Paulo apenas usou a inscrição sobre o altar como ponto de partida para falar-lhes a respeito do verdadeiro Deus. 

17.23 - Paulo ensinou aqueles cultos homens de Atenas a res peito do único Deus verdadeiro; embora eles fossem geralmente muito religiosos, não conheciam a Deus. Hoje. temos uma sociedade “crista”, mas, para a maioria das pessoas, Deus ainda é desconhecido. Precisamos proclamar quem Ele é e tornar claro o que Ele fez por todo o mundo por intermédio de seu Filho. Jesus Cristo. Não podemos presumir que as pessoas religiosas ao nosso redor conheçam verdadeiramente a Jesus ou entendam a importância da fé nEle. 

17.27,28 - Deus pode ser reconhecido por sua criação; Ele está próximo de todos nós. Mas não esta aprisionado na sua criação; Ele é transcendente. Deus é o Criador, não a criação. Isso significa que Ele é soberano e está no comando, ao mesmo tempo, está próximo e é pessoal. Deixe que o Criador do universo governe a sua vida”. 

17.30,31 - Paulo não deixou sua mensagem inacabada. Confrontou seus ouvintes com a ressurreição de Jesus e explicou o significado dela para a humanidade: vida eterna ou castigo eterno. Os gregos não tinham um conceito de juízo divino. A maioria deles preferia adorar muitos deuses em vez de um único; e o conceito da ressurreição era inacreditável e ofensivo para os gregos. Porém Paulo não reteve a verdade, a despeito do que pudessem vir a pensar. Ele frequentemente mudava sua abordagem de acordo com seu público, mas nunca mudou o conteúdo de sua mensagem. 

17.32-34 - O discurso de Paulo provocou reações diversas. Alguns riram, outros quiseram mais informações, outros ainda creram. Não hesite em falar às pessoas a respeito de Cristo por temer que algumas não creiam. Não espere uma resposta unanimemente positiva ao seu testemunho. Mesmo que poucos creiam, o esforço terá sido válido!

Nenhum comentário:

Postar um comentário