2009/06/26

Comentário de João 20:21-22

20:21 - Então disse-lhes Jesus novamente,… As palavras que ele havia ditcomentario biblico, evangelho de joão, novo testamentoo antes.

Paz esteja convosco;… Que ele repetiu, para tirar-lhes o medo, devido ao fato de que eles não lhe responderam; e para levantar e prender a atenção deles ao que ele estava para dizer, e para acalmar as suas consciências, tranquilizar a conduta deles para com ele; e com a visão para a paz do Evangelho, ele estava prestes a enviá-los para pegarem:

Assim como o meu Pai me enviou, assim também eu vos envio;... A missão de Cristo aos seus discípulos supõe poder sobre eles, honra feita para eles, a autoridade que lhes são postas, qualificações dadas a eles, consequentemente, o sucesso os assiste; o que eles foram enviados para fazer foi para pregar o Evangelho, converter os pecadores, edificar os santos, plantar novas igrejas, e administrar ordenanças. O padrão de sua missão é a missão de Cristo por seu Pai, que foi para vir a este mundo, para fazer a Sua vontade, pregar o Evangelho, operar milagres, e obter eterna redenção para o seu povo, e cuja missão não supõe inferioridade na sua pessoa divina, nem mudança de lugar, mas harmonia e acordo entre o Pai e o Filho: a semelhança destas missões reside nestas coisas: sua autoridade é simultaneamente divina; ambas são enviadas para o mesmo lugar, o mundo, e em grande medida, a mesmas condições, quer dizer, em estado desprezível, odiado e perseguido, e em parte para o mesmo fim, para pregar o Evangelho, e operar milagres, para a confirmação do mesmo; mas não para obter redenção, ou seja, este é um trabalho realizado exclusivamente por Cristo; no qual ele não tem parceiro, e no qual a glória deve ser atribuída apenas a ele.

20:22 - E quando ele disse isso,… Ou seja, de que ele iria enviá-los assim como seu Pai o enviou:

Ele soprou sobre eles;... Em alusão a Deus dando o sopro da vida
[1] ao homem, na sua criação; ou melhor, o próprio Espírito, que é o sopro de Deus, e procede tanto dele como de seu Pai; e que é soprado tanto sobre as pessoas em regeneração, e na qualificação para o serviço ministerial, a exemplo e da influência de Cristo: e tal opinião os Judeus tinham do Espírito do Messias, que dizem (p) que “o Espírito veio de entre as asas dos querubins, ונשביה, “e soprou sobre ele" (Manassés) através do decreto, ou ordem da Palavra do Senhor.”

E disse-lhes: recebei o Espírito Santo;... Significando não a graça do Espírito Santo na regeneração, que eles já tinham recebido, mas os dons do Espírito, para qualificar-los para a obra a qual eles foram enviados para fazer, e que ainda não tinha sido derramado plenamente; mas este sopro sobre eles, e as palavras que ele transmitiu, foi um símbolo, penhor, e confirmação, de que eles estavam para recebê-lo no dia de Pentecostes: assim, fica evidente que é o Espírito de Deus, que, por seus dons e graça, torna os homens habilitados e qualifica-os como ministros do Evangelho, e nosso Senhor por esta ação, e essas palavras, dá uma grande prova de sua divindade: os Papistas mostram sua impudência e maldade, em imitar a Cristo pela suas insuflações, ou soprando sobre os homens; fingimento, assim, transmitir-lhes o Espírito Santo.


____________
Notas

(p) Targum em 2 Cron. xxxiii. 13.
[1] Cf. Gênesis 2:7. “Fôlego de vida.” Hebr.: nish·máth (de nesha·máh) hhai·yím.

Nenhum comentário:

Postar um comentário