2009/06/26

Comentário de João 20:27-28

20:27 - Então disse ele a Tomé,… Por causa de quem ele veio principalmente, ecomentario biblico, evangelho de joão, novo testamento a quem ele escolheu do restante, e chamou pelo nome da maneira mais amigável, sem repreendê-lo por não acreditarem no testemunho que tinha sido dado a ele:

Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado;... Isto é, faça uso de qualquer forma, por ver, sentir, e examinar as cicatrizes em minhas mãos, e o buraco no meu lado, e satisfaça-te da maneira desejada, o que demonstra a onisciência de Cristo, que sabia o que havia se passado entre ele e os outros discípulos, e as mesmas palavras que Tomé manifestou sobre o assunto, também a sua grande humildade e condescendência em submeter-se a ser examinado na mesma maneira em que ele havia requerido, e também a realidade da sua ressurreição:

E não sejas incrédulo, mas crente. Em cujas palavras Cristo dissuade ele de sua incredulidade, que é muito má na sua própria natureza em si, e nos seus efeitos; é a raiz de todos os males; é inapropriada para a atividade, e torna a palavra inválida, e conduz os homens para fora de Cristo; e é mais agravada no povo de Deus, pelas instâncias, declarações e promessas da graça, as descobertas do amor feitas a eles: e ele também incentiva-o a acreditar. O exercício da graça da fé é bem agradável a Cristo, dá glória a ele, e contribui para o conforto da alma; e uma palavra de Cristo, junta com seu poder, permitirá que os homens venham a crer, como aconteceu com Tomé; pelo que parece como o que se segue.

20:28 - E Tomé respondeu e disse-lhe,… Sem examinar suas mãos e lado, e com admiração pela sua condescendência e graça, e vergonha pela sua descrença:

Meu Senhor e meu Deus;... Ele o considera como Senhor, como ele era tanto pela criação e redenção; e Deus, de que ele foi plenamente assegurado a partir de sua onisciência, que ele havia dado uma prova plena e, a partir do poder que saiu juntamente com as palavras até o seu coração, e de uma plena convicção de que ele agora tinha de sua ressurreição dos mortos. Ele afirma o seu interesse por ele como seu Senhor, seu Deus, o que denota a sua sujeição a ele, o seu afeto por ele, e fé em Cristo; a Palavra divina é posta por Filo o Judeu, κυριος μου, “meu Senhor” (x).

______________
Notas

(x) Lib. Allegor. l. 2. p. 101.

Nenhum comentário:

Postar um comentário