Significado de João 20

Significado de João 20

Significado de João 20


João 20

20.1 — Sendo ainda escuro. Ao que parece, Maria Madalena chegou antes das outras mulheres (Mt 28.1; Mc 16.1; Lc 24.10). Ela, de quem Jesus havia expulsado sete demônios, foi a última a chegar à cruz e a primeira a chegar ao sepulcro.

20.2 — O outro discípulo a quem Jesus amava era João, o autor desse Evangelho. Levaram o Senhor. Maria Madalena tirou uma conclusão errada. E não sabemos. Havia outras mulheres com ela (Mt 28.1; Mc 16.1; Lc 24.10).

20.3,4 — João provavelmente correu mais apressadamente do que Pedro porque era mais jovem do que ele.

20.5 — Os lençóis. Ninguém iria roubar o corpo e deixar os lençóis enrolados e separados à parte.

20.6 — Viu. Esse verbo no grego descreve um olhar fixo, diferente do olhar comum descrito no versículo 5. Pedro entrou no sepulcro para dar uma boa olhada. Ele examinou meticulosamente o lugar onde o corpo de Jesus havia sido colocado.

20.7 — Enrolado. O lenço que estava na cabeça de Jesus estava à parte, como se um ladrão tivesse feito isso. O lenço foi enrolado e deixado à parte. A explicação para tal detalhe talvez seja o fato de Jesus não estar com pressa alguma para deixar o sepulcro, tendo tempo de deixar Suas roupas bem dobradas.

20.8 — O outro discípulo, que todos creem ser o apóstolo João, viu o sepulcro vazio e as roupas e creu que Jesus havia ressuscitado dos mortos.

20.9,10 — Porque ainda não sabiam a Escritura. Os discípulos creram por causa do que viram no sepulcro (v. 8), não porque conheciam os textos bíblicos do Antigo Testamento que falavam da ressurreição do Salvador (Lc 24.25-27). Jesus havia profetizado Sua morte e ressurreição na presença dos discípulos, mas eles não entenderam o que Ele estava dizendo. Mais tarde, Jesus os ensinou como Sua vida e Sua morte cumpriam as Escrituras (Lc 24.13-27, 44-47).

20.11-13 — Maria deve ter voltado com Pedro e João (v. 3,4), mas ficou chorando fora, junto ao sepulcro, depois que eles foram embora. Anjos (v. 12) são, a princípio, mensageiros de Deus. A mensagem que eles transmitiram a Maria e aos outros se encontra na íntegra em Lucas 24-4-7.

20.14-16 — Mas não sabia. Vencida pela tristeza e cheia de lágrimas nos olhos, Maria não reconheceu Jesus a princípio. Mas quando Ele disse o nome dela, Maria reconheceu a voz. Ela então o chama de Raboni, um termo em aramaico que João traduz para seus leitores gregos. Raboni em aramaico significa meu senhor, embora fosse comumente traduzido por mestre, devido a seu equivalente no hebraico rabi.

20.17,18 — Detenhas significa agarrar ou segurar. Maria queria abraçar Jesus e segurá-lo para jamais perdê-lo novamente. Mas Ele explicou a ela que não podia ficar porque tinha de ir para o Pai.

Meus irmãos diz respeito aos discípulos (v. 18). Jesus a enviou a eles para dar o primeiro testemunho depois da ressurreição. Embora Maria fosse uma mulher, isso não impediu Jesus de encarregá-la para levar as boas-novas aos apóstolos (Mc 16.11).

Meu pai e vosso Pai. Deus é o Pai de Jesus e dos cristãos (1.14,18; 3.16,18).

20.19,20 — Chegou Jesus, e pôs-se no meio. A aparição de Cristo foi milagrosa, pois as portas estavam cerradas. Jesus, por ser Deus, podia realizar muitos milagres sem ter de mudar como homem. O corpo de Jesus aqui era um corpo físico, o mesmo corpo que experimentara a cruz e o sepulcro. O diferencial, agora, é que o corpo de Jesus assumiu a imortalidade e a incorruptibilidade (1 Co 15.53).

20.21 — Assim como o pai me enviou indica que os discípulos foram comissionados para continuar a obra de Cristo, não para começar uma nova.

20.22 — Recebei o Espírito Santo. O ministério para o qual Jesus chamou os discípulos (v. 21; veja também Mateus 28.16-20 e Lucas 24.47-49) requeria poder espiritual. Essa frase se refere a uma preparação especial dos apóstolos que se tornariam o fundamento da Igreja no Pentecostes. Jesus sopra o Espírito Santo em Seus discípulos. No Pentecostes, o Espírito Santo uniu os cristãos em um só corpo espiritual e deu-lhes poder para dar testemunho de Jesus (1 Co 12.13). A maneira com o Espírito Santo foi recebido nos traz à memória o sopro de Deus que deu vida a Adão, segundo Gênesis 2.7. No entanto, o dom aqui não é um espírito humano, mas o Espírito do Deus vivo.

20.23 — A quem perdoardes. Os discípulos sabiam que as palavras de Jesus não lhes davam poder para perdoar pecados (At 8.22). Eles estavam cientes de que somente Deus podia fazer isso (Mc 2.7). Nem os apóstolos ou a Igreja tem poder de perdoar qualquer pecado que seja ou negar perdão a qualquer indivíduo. O que Jesus estava falando, na verdade, era da responsabilidade da Igreja de anunciar o evangelho em todo o mundo, a fim de que todo aquele que crer em Jesus possa encontrar o precioso dom do perdão (Mt 16.19).

20.24,25 — Tomé não estava presente quando Jesus apareceu aos discípulos estando eles escondidos (v. 19-23).

Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos. Quando Jesus apareceu aos outros discípulos, Ele mostrou a eles Suas mãos e Seu lado (v. 20). E eles com certeza contaram isso a Tomé; daí a razão da exigência.

20.26,27 — Apesar da desconfiança, Tomé estava com eles. Ele não deixou o grupo nem foi excluído dele (Rm 14.1).

20.28 — Senhor meu, e Deus meu! Profundamente maravilhado, Tomé não somente acreditou que Jesus havia ressuscitado dos mortos, como também constatou que a ressurreição provava Sua divindade.

20.29 — Os que não viram e creram são todos os que creem em Jesus desde que Ele ascendeu ao Pai (1Pe 1.8,9).

20.30,31 — João aqui explica o objetivo do seu livro. Seu objetivo era convencer seus leitores de que Jesus é o Cristo, o Messias que cumpriu as promessas de Deus feitas a Israel. Jesus é o Filho de Deus, o Deus em carne. É crendo nisso que recebemos a vida eterna (Jo 1.12).

Índice: João 1 João 2 João 3 João 4 João 5 João 6 João 7 João 8 João 9 João 10 João 11 João 12 João 13 João 14 João 15 João 16 João 17 João 18 João 19 João 20 João 21