2019/08/15

Gênesis 30 — Estudo Bíblico

Estudo Bíblico sobre Gênesis 30




Gênesis 30 

A Esposa Amada fica Desesperada (30.1-8)
Embora fosse bonita e amada, Raquel (1) logo descobriu que fortes sentimentos de inveja incitavam seu coração contra Léia. Os valores daqueles dias davam elevada im­portância ao fato de ter filhos e ela não tinha nenhum. Irracionalmente, ela exigiu que Jacó lhe desse filhos, diante do que ele respondeu furiosamente: Estou eu no lugar de Deus? (2). Mas Raquel se lembrou, como Sara (16.2), que a lei da região permitia a esposa sem filhos ter posteridade por meio de uma esposa substituta. Impulsivamente, ela deu a Jacó a serva Bila (4), que logo teve um filho — um filho que Bila não podia dizer que era dela, pois legalmente pertencia a Raquel. Quando chamou o menino ( 6), que significa “juiz, justificação ou defesa”, ela não estava pensando que Deus a con­denava, mas que a julgava digna de misericórdia.
O nome que Raquel deu ao segundo filho de Bila, Naftali (8), quer dizer “lutan­do” e está baseado em com lutas... tenho lutado. Pelo fato de a primeira parte da frase ser literalmente “lutas de Deus” (naphtaley elohim), há quem afirme que Ra­quel estava se perdendo em magias. Mas não há razão para crer que ela estava fa­zendo algo que não fosse orar com fervor a Deus, embora suas emoções estivessem tingidas de inveja.

A Contrapartida (30.9-13)
Léia também tinha uma serva, que ela prontamente deu a Jacó como outra esposa substituta. Zilpa, por sua vez, deu à luz dois filhos. Embora o nome Gade (11) queira dizer “tropa”, seu significado mais comum é “boa fortuna”, o que se ajusta muito melhor neste contexto e é aceito na maioria das mais recentes traduções bíblicas. O nome do próximo menino, Aser (13, “feliz ou bendito”), também era exclamação da extrema sa­tisfação de Léia e sua serva estarem gerando mais que Raquel.

Não por Mágica, mas é Deus que dá Vida (30.14-24)
Sendo criança, Rúben (14) inocentemente trouxe mandrágoras dos campos de tri­go para sua mãe. Os bagos amarelos desta planta eram altamente reputados por ter a capacidade mágica de produzir fertilidade. Quando Raquel os viu, ela caiu na tentação de obtê-los para cura de sua esterilidade.' Para isso, fez uma barganha sórdida com a irmã. A tônica que o paganismo dava em superstições mágicas atraía as mulheres em práticas repulsivas. Jacó não contestou, nem resistiu.
Apesar da implicação de valores morais distorcidos, Deus concedeu fertilidade a Léia, e Raquel descobriu que a magia não resolvia seu problema. Léia pelo menos reco­nhecia a atividade de Deus, embora entendesse mal a razão da misericórdia de Deus. Seu equívoco está incrustado no nome do quinto filho, Issacar (18), que significa “alu­guel ou pagamento”. O nome estava baseado no acordo feito entre Léia e Raquel. O sexto filho (19), Zebulom (20, “habitação”), reflete o desejo ardente e permanente que Léia tinha pelo afeto do marido, que nem sequer seis filhos lhe deram. Este nome é o único dos doze filhos que têm paralelo mesopotâmico. O termo acádio zubullu significa “presente de noivo” e, assim, liga-se à expressão boa dádiva (20).
uma filha (21) é atribuída a Jacó. Seu nome é Diná, que significa “julgamento”, mas nenhum testemunho pessoal foi ligado ao nome. Mais tarde, esta moça iria figurar em cena trágica (cap. 34).
Para Raquel (22), as mandrágoras foram inúteis. Quando finalmente deu à luz um filho ela entendeu que foi um ato especial da misericórdia divina. Lembrou-se Deus é termo associado com oração respondida. O nome que ela deu ao garoto foi José (24, que significa “adição, acréscimo”). Pela fé, ela esperava outro filho como presente de Deus. Para ela, a superstição pagã perdeu sua atração.

PASTORES INTELIGENTES (30.25-31.55)
Depois do casamento de Jacó com as duas irmãs, a história se concentrou na luta que elas empreenderam entre si na questão de gerar filhos. Agora, a luta ocorre entre Jacó e Labão, até se separarem em paz apreensiva.

Acordo Obtido com Má-Fé (30.25-43)
Quando Jacó (25) cumpriu o segundo período de sete anos de serviço, ele falou com Labão acerca do futuro. Jacó pediu permissão para que ele tomasse suas mulheres (26) e família e voltasse à sua terra. Mas Labão o convenceu a ficar, pois ele se aproveitava do seu trabalho. Caso esta fosse a atitude de Labão, Jacó havia planejado uma segunda proposta.
Superficialmente, as exigências salariais de Jacó pareciam curiosamente absurdas para Labão. Naquele país, as cabras, em geral, são totalmente pretas ou marrons escuras e a cor normal das ovelhas é totalmente branca, embora ocorressem variações. Jacó quis selecionar as cabras de cor pouco comum e as ovelhas de cor escura para formar seu reba­nho. Ele ficaria somente com as cabras e ovelhas de cor indefinida que aparecessem entre a descendência do rebanho básico. Esta divisão seria modo fácil de evitar engano quanto a quem pertencia determinados animais. Jacó disse: “E a minha honestidade dará testemu­nho de mim no futuro, toda vez que você resolver verificar o meu salário” (33, NVI).
Labão concordou, mas tomou uma precaução. Imediatamente, e em segredo, sepa­rou dos rebanhos os animais das cores que Jacó queria e os enviou para longe (35,36). Este ato era violação do espírito do acordo, mas no momento Jacó não podia fazer nada. Ele tinha seus próprios estratagemas. Exteriormente, seus procedimentos parecem um tipo supersticioso de magia, mas depois ele confessou às suas esposas que foi Deus que o instruiu na procriação seletiva (Gn 31.10-12). Descascou nelas riscas brancas (37) é tra­dução apoiada por Moffatt. Na verdade, ele estava limitando a linhagem da procriação masculina aos carneiros com coloração peculiar, e colocando a descendência em reba­nhos separados. Desta forma, aumentava radicalmente o número de filhotes e cordeiros de cor indefinida de gestação em gestação. Além disso, ele mantinha somente os melho­res animais para a procriação seletiva, e deixava os animais inferiores para os rebanhos de Labão. Esta era a verdadeira razão por que seus rebanhos eram tão numerosos e fecundos (31.9).

Índice: Gênesis 1 Gênesis 2 Gênesis 3 Gênesis 4 Gênesis 5 Gênesis 6 Gênesis 7 Gênesis 8 Gênesis 9 Gênesis 10 Gênesis 11 Gênesis 12 Gênesis 13 Gênesis 14 Gênesis 15 Gênesis 16 Gênesis 17 Gênesis 18 Gênesis 19 Gênesis 20 Gênesis 21 Gênesis 22 Gênesis 23 Gênesis 24 Gênesis 25 Gênesis 26 Gênesis 27 Gênesis 28 Gênesis 29 Gênesis 30 Gênesis 31 Gênesis 32 Gênesis 33 Gênesis 34 Gênesis 35 Gênesis 36 Gênesis 37 Gênesis 38 Gênesis 39 Gênesis 40 Gênesis 41 Gênesis 42 Gênesis 43 Gênesis 44 Gênesis 45 Gênesis 46 Gênesis 47 Gênesis 48 Gênesis 49 Gênesis 50

Nenhum comentário:

Postar um comentário