2016/10/08

Números 20 — Análise Bíblica

Análise Bíblica de Números 20





Números 20

20:1-21 A ira de Deus contra Moisés e Arão
Uma nova rebelião em grande escala irrompeu no meio do povo. Desta vez, os israelitas se encontravam acampados em Cades-Bameia, onde permaneceram por um longo tempo.
Durante sua estada nesse local, Miriã morreu, e Israel perdeu uma líder importante, profetisa e cantora (Êx 15:20-21). Depois de sua morte, o povo enfrentou uma crise ainda mais séria, provocada pela falta de água (20:2). Os israelitas se voltaram contra Moisés e Arão, dizendo que seria melhor estarem todos mortos junto com seus compatriotas que o Senhor havia ferido em vez de morrerem lentamente de fome e sede no deserto (20:3-4). Queixaram-se de que a comida disponível no deserto não chegava aos pés dos cereais, dos figos, das vides e das romãs do Egito (20:5).
Moisés e Arão apresentaram essa queixa do povo a Deus, que instruiu Moisés a tomar seu bordão, reunir a congregação e falar à rocha que desse água (20:6-8). Moisés seguiu a primeira parte da instrução: tomou seu bordão e, juntamente com Arão, reuniu todo o povo (20:9-10a). Então, os dois desobedeceram a Deus. Primeiro, Moisés falou aos israelitas: Ouvi, agora, rebeldes, porventura faremos sair água desta rocha para vós outros? (20:10&) e, depois, em vez de falar à rocha, Moisés levantou a mão e feriu a rocha duas vezes com seu bordão (20:11a). Apesar de sua desobediência, a rocha verteu uma grande quantidade de água, e o povo e os animais puderam saciar sua sede (20:11&).
Deus castigou Moisés e Arão porque não creram nele e não honraram sua santidade. Disse-lhes: Por isso, não fareis entrar este povo na terra que lhe dei (20:12). Em outras palavras, Moisés e Arão receberíam o mesmo castigo dado ao restante da geração mais velha e desobediente. Talvez Deus tenha se desagradado porque Moisés se dirigiu aos israelitas com raiva, chamando-os de “rebeldes”, quando Deus não estava irado com eles. No entanto, é ainda mais importante observar que a raiva de Moisés o levou a assumir o papel de Deus ao perguntar: “Porventura faremos sair água desta rocha para vós outros?” (20:10). A terceira pessoa do plural se refere a Moisés e Arão, colocando-os no lugar do Deus que opera os milagres. Ao proceder desse modo, os dois líderes incentivaram o povo a ser reverentes a eles e lhes dar glória em vez de glorificar a Deus.
Ademais, Moisés desobedeceu à ordem de Deus: Falai à rocha (20:8) e, em vez disso, feriu-a duas vezes com o seu bordão (20:11). Não creu que a palavra de Deus seria suficiente para fazer a água sair da rocha e tentou “ajudar” Deus. Em Êxodo 14:16,21, Moisés obedeceu a Deus e seguiu suas instruções ao erguer seu bordão sobre o mar. Também agiu corretamente ao ferir a rocha em obediência à instrução de Deus quando o povo se queixou da falta de água (Êx 17:5-6). Desta vez, porém, Deus não lhe disse que ferisse a rocha, mas que falasse a ela. No entanto, Moisés agiu com base em suas experiências anteriores e ignorou a voz de Deus numa situação nova. Podemos não entender por que Deus faz as coisas de forma diferente em ocasiões diferentes, mas ele espera que sigamos sua orientação.
O local onde esse episódio sucedeu foi chamado de Meribá, que significa “contenda” ou “rixa”, por causa do conflito ocorrido ali. Moisés continuou a agir por sua própria iniciativa, sem pedir a orientação de Deus (20:14-21). Enviou mensageiros de Cades ao rei de Edom solicitando permissão para Israel passar pelo território edomita. Na mensagem, chamou Edom de irmão, enfatizando o parentesco próximo entre Edom e Israel (20:14; cf. Gn 25:20-34). Mas, apesar da súplica de Moisés para que o rei de Edom se apiedasse do sofrimento de Israel no Egito (20:15-16), de sua promessa de que os israelitas não causariam nenhum dano às lavouras nem deixariam a estrada real, bem como de sua oferta para pagar pela água que o povo bebesse (20:17,19), Edom recusou dar passagem a Israel (20:18,20). Como resultado, Israel teve de fazer uma longa volta para contornar Edom, fato que provocou uma nova rebelião (21:4).
De acordo com Deuteronômio 2:4-8, era da vontade de Deus que o povo contornasse Edom desse modo. Deus deixou claro que não daria aos israelitas a terra dos edomitas, pois a havia entregue aos descendentes de Esaú. Os edomitas eram parentes dos israelitas, e Israel não devia entrar em conflito com eles. A única coisa que Deus permitiu aos israelitas ao contornar a terra de Edom foi comprar alimento e água dos edomitas.
20:22-29 A morte de Arão
Quando os israelitas chegaram no monte Hor, perto da fronteira com Edom, o Senhor informou a Moisés que era hora de seu irmão morrer. Também lembrou Moisés que Arão não entraria na terra prometida por causa da desobediência de ambos junto às águas de Meribá (20:24; cf. 20:12-13). Assim, Arão faleceu no monte Hor, e foi sucedido no cargo de sumo sacerdote pelo seu filho Eleazar (20:25-28). A geração mais velha que havia vivido no Egito estava desaparecendo, e Deus levantava uma nova geração de israelitas.

Mais: Números 1 Números 2 Números 3 Números 4 Números 5 Números 6 Números 7 Números 8 Números 9 Números 10 Números 11 Números 12 Números 13 Números 14 Números 15 Números 16 Números 17 Números 18 Números 19 Números 20 Números 21 Números 22 Números 23 Números 24 Números 25 Números 26 Números 27 Números 28 Números 29 Números 30 Números 31 Números 32 Números 33 Números 34 Números 35 Números 36

Nenhum comentário:

Postar um comentário