2016/10/14

Significado de Números 33

Significado de Números 33

Significado de Números 33


Números 33

33.1 — O capítulo 33 registra a jornada do povo de Israel desde Ramessés, no Egito (v. 3), até as campinas de Moabe (v. 49). Este capítulo é marcado por algumas dificuldades. A maioria dos lugares citados não é conhecida hoje. Isto se dá porque a maior parte deles não eram cidades, mas meros acampamentos no deserto do Sinai.
33.2Escreveu Moisés. Estas notáveis palavras indicam que o próprio Moisés escreveu a passagem a seguir. Curiosamente, usando estudos e resoluções prévias contra o trabalho de autoria de Moisés, alguns estudiosos rejeitam esta expressão, e não a consideram válida. Esta postura que duvida da autoria do Pentateuco por Moisés está tão enraizada para alguns que, mesmo quando o texto diz que o profeta o escrevera, isso é negado! O fato de muitos lugares mencionados neste capítulo não serem conhecidos por nós, ou não estarem em nenhuma outra passagem na Bíblia, é uma marca da antiguidade do capítulo, e uma garantia de sua autenticidade. Enquanto alguns cristãos tendem a considerar que Moisés exercia a profissão de pastor, os judeus defendem que o profeta foi um professor ou um escriba.
33.3-5 — Ramessés é geralmente conectada com Tânis (Gn 47.11; Êx 1.11). Há certa simetria estrutural na listagem dos nomes de lugares neste capítulo. Em essência, esta lista de locais é um cântico de louvor à fidelidade de Deus. Em cada passo e em cada acampamento, Deus conduziu os israelitas triunfantemente à Terra Prometida. Significativamente, há 40 lugares mencionados entre Ramessés e as campinas de Moabe. Algumas das localidades registradas aqui (incluindo muitas outras dos versículos 5-18) são também citadas em Êxodo e Números; outras são relatadas somente nesta passagem (incluindo a maioria listada nos versículos 19-29). Além disso, algumas das áreas mencionadas em Êxodo e Números não são registradas neste trecho bíblico (incluindo Tabe-rá, em Números 11.3).
33.6-37 — Sucote, Etã e Pi-Hairote ficavam a oeste do mar dos Juncos. O resto dos lugares ficava no deserto do Sinai.
33.38-49Monte Hor. Com a menção deste lugar, um breve memorial é feito em homenagem a Arão, o sumo sacerdote, que morreu no último ano da jornada israelita no deserto. A jornada de Ramessés até o monte Hor completou os 40 anos do ciclo de peregrinação após a saída do povo de Israel do Egito rumo à Terra Prometida.
33.50-56 — Na área de parada anterior à invasão da Terra Prometida, Deus deu a Moisés instruções para o povo conquistar Canaã. Israel deveria exterminar os cananeus e tomar posse de sua terra. Há mais de 400 anos, desde o tempo da aliança divina com Abraão em Gênesis 15.17-21, o Senhor avisou que este tempo chegaria e Ele puniria a perversidade dos cananeus. Este povo, por causa de seus contínuos atos pecaminosos, não desfrutaria do direito de viver na terra de Canaã. Deus, o verdadeiro dono da terra, passou o direito de posse para Israel. Então, Suas palavras têm a conotação de uma transferência legal: porquanto vos tenho dado esta terra, para possuí-la. A área deveria ser dividida por sorteio, com as maiores partes indo para as maiores tribos, como já foi descrito em Números 26.52-56.
33.55,56 — As ordens de Deus para que os israelitas erradicassem os cananeus da terra eram consequentes expressões de Sua misericórdia para com Israel: Mas, se não lançardes fora os moradores da terra de diante de vós, então, os que deixardes ficar vos serão por espinhos... Se os cananeus idólatras fossem autorizados a viver entre o povo de Deus, eles se tornariam uma constante fonte de problemas para os israelitas, como farpas nos olhos e espinhos nas costas. Na verdade, se o povo perverso ficasse, os israelitas se tornariam como ele. O resultado seria a necessária expulsão de Israel da terra. Tristemente, a experiência de Israel na terra levou a este desfecho. Este capítulo serve como uma conclusão emocional e lógica de Números. A citação dos lugares e dos encarregados pela conquista dá ao leitor um sentido de encerramento desta fase da existência de Israel, bem como uma antecipação do futuro. Os últimos três capítulos servem de apêndices.

Índice: Números 1 Números 2 Números 3 Números 4 Números 5 Números 6 Números 7 Números 8 Números 9 Números 10 Números 11 Números 12 Números 13 Números 14 Números 15 Números 16 Números 17 Números 18 Números 19 Números 20 Números 21 Números 22 Números 23 Números 24 Números 25 Números 26 Números 27 Números 28 Números 29 Números 30 Números 31 Números 32 Números 33 Números 34 Números 35 Números 36

Nenhum comentário:

Postar um comentário