2019/08/12

Gênesis 1 — Comentário Evangélico

Gênesis 1 — Comentário Evangélico

Gênesis 1 — Comentário Evangélico


Gênesis 1 

Vamos nos restringir a algumas ver­dades principais que encontramos nessa importante passagem. O Criador Nenhum cientista ou historiador pode aperfeiçoar esta afirmação: "No princípio, criou Deus...". Essa simples afirmação refuta os ateístas, que dizem que Deus não existe; os agnósticos, que afirmam que não podemos conhecer Deus; os politeístas, que adoram muitos deuses; os panteístas, que dizem que toda a natureza é Deus; os materialis­tas, que declaram que a matéria é eterna, e não criada; e os fatalistas, que ensinam que não há um pla­no divino por trás da criação e da história. Vemos a personalidade de Deus nesse capítulo, pois ele fala, vê, nomeia e abençoa. O cientista pode afirmar que a matéria ape­nas "passou a existir", que a vida "aconteceu por acaso" e que todas as formas complexas de vida "evo­luíram gradualmente" de formas inferiores, mas não pode provar isso. Admitimos que há mudanças em meio às espécies (como o de­senvolvimento do cavalo e do gato doméstico), mas não aceitamos que haja transformação de um tipo de criatura em outra espécie. Por que Deus criou o universo? Com certe­za, não para acrescentar algo a si mesmo, já que ele não precisa de nada. Na verdade, a criação limita Deus, uma vez que agora o Eter­no confina-se a trabalhar no tem­po e na história humana. A Palavra deixa claro que Cristo é o Autor, o Sustentador e o Objetivo da cria­ção (Cl 1:15-17; Ap 4:11). Cristo, a Palavra viva, revela Deus na Pa­lavra escrita e no livro da natureza (Jo 1:1-5; veja também SI 19).

O que a criação revela a respeito de Deus? A criação revela: (1) sua sabedoria e poder Oó 28:23-27; Pv 3:19); (2) sua glória (SI 19:1); (3) seu poder e divindade (Rm 1:18- 21); (4) seu amor pelo insignificante homem (SI 8:3-9); (5) seu cuidado providencial (Is 40:12ss). Nosso Se­nhor, quando estava na terra, viu a mão graciosa do Pai mesmo nas flo­res e nas aves (Mt 6:25ss).

Em Gênesis 1, em hebraico, o nome de Deus é Elohim — o nome de Deus que o liga a sua criação. A raiz básica do nome é El, que sig­nifica "poderoso", "forte", "proe­minente". Em 2:4, temos "Senhor Deus", que é Yahweh Elohim. Jeová é o nome de Deus na aliança e o liga ao seu povo. Este é o nome que ele deu quando falou com Moisés: "Eu Sou O Que Sou" (Êx 3:14-15). Isso significa que ele é o Deus auto- existente, imutável.

Alguns anjos já haviam se rebelado contra Deus, e, com certeza, ele sabia o que o homem faria. Contudo, ele, em sua graça e amor, modelou o primeiro humano sua "imagem" no que se refere à personalidade do homem — mente, emoção, liber­dade — mais que à aparência (Veja Ef 4:24; Cl 3:10.) Deu ao homem o domínio sobre a terra, a posição mais alta na criação. Isso explica o ataque de Satanás, pois ele (Lúcifer) já tivera essa posição e quisera outra mais alta ainda! Se Lú­cifer não podia ter o lugar de Deus no universo, ele podia-tentar pegar, o lugar-de-Deus na vida do homem. ‘E ele foi bem-sucedido! O homem perdeu o domínio sobre o pecado r(SI 8 e Hb 2:5-18); contudo, Cristo, o último Adão, reconquistou esse domínio para nós (veja Rm 5). Je­sus, quando esteve na terra, provou que tinha domínio sobre os peixes (Lc 5; Mt 17:24ss), sobre as aves (Mt 26:74-75) e sobre os animais (Mt 21:1-7).

Originalmente, o homem era vegetariano, mas em Gênesis 9:3-4. isso muda. Foram dadas restrições alimentares aos judeus (Lv 11), mas hoje não há tais restrições (Mc 7:17- 23; At 10:9-16; 1 Tm 4:1-5).

A nova criação
Em 2 Coríntios 4:3-6 e 5:17, se deixa claro que, em Cristo, Deus tem uma nova criação. Paulo utiliza imagens do relato da criação de Gênesis para ilustrar essa nova criação. O homem foi criado perfeito, mas se arruinou por meio do pecado. Ele torna-se pe­cador, "sem forma e vazio", sua vida é sem propósito, vazia e escura.

O Espírito Santo inicia seu mo­vimento de persuasão no coração dos homens (Gn 1:2). Na verdade, a salvação sempre se inicia com o Senhor (Jn 2:9); qualquer peca­dor é salvo pela graça dele. O Es­pírito usa a Palavra para trazer luz (SI 119:130), pois não há salvação sem a Palavra de Deus (Jo 5:24). E Hebreus 4:12 declara que a Palavra tem o poder de "separar", trazendo à lembrança a ocasião anterior em que Deus separou a luz das trevas, e os mares da terra.

Os crentes, como os seres cria­dos em Gênesis, têm a responsa­bilidade de ser férteis e multiplica­rem-se "segundo a sua espécie". Os crentes, em um paralelo à posição de domínio de Adão, fazem parte da realeza sob o governo de Deus e reinam "em vida" por meio de Cris­to (Rm 5:1 7ss).

Exatamente como Adão era o cabeça da antiga criação, Cristo é o cabeça da nova criação; ele é o último Adão (1 Co 1 5:45-49). O Anti­go Testamento "é o livro da genea­logia de Adão" (Gn 5:1) e termina com uma fala sobre uma maldição (Ml 4:6). O Novo Testamento é o li­vro "da genealogia de Jesus Cristo" (Mt 1:1) e termina com esta afirma­ção: "Nunca mais haverá qualquer maldição" (Ap 22:3).

Índice: Gênesis 1 Gênesis 2 Gênesis 3 Gênesis 4 Gênesis 5 Gênesis 6 Gênesis 7 Gênesis 8 Gênesis 9 Gênesis 10 Gênesis 11 Gênesis 12 Gênesis 13 Gênesis 14 Gênesis 15 Gênesis 16 Gênesis 17 Gênesis 18 Gênesis 19 Gênesis 20 Gênesis 21 Gênesis 22 Gênesis 23 Gênesis 24 Gênesis 25 Gênesis 26 Gênesis 27 Gênesis 28 Gênesis 29 Gênesis 30 Gênesis 31 Gênesis 32 Gênesis 33 Gênesis 34 Gênesis 35 Gênesis 36 Gênesis 37 Gênesis 38 Gênesis 39 Gênesis 40 Gênesis 41 Gênesis 42 Gênesis 43 Gênesis 44 Gênesis 45 Gênesis 46 Gênesis 47 Gênesis 48 Gênesis 49 Gênesis 50



Um comentário:

  1. Amei essa explicação glória a Deus. Que o Senhor abençoe todos que lêem a sua palavra e abencoe esse autor que está dedicando sua vida a falar do Amor de Deus

    ResponderExcluir