2019/09/02

Gálatas 1 — Explicação das Escrituras

Gálatas 1 — Explicação das Escrituras

Gálatas 1 — Explicação de Gálatas





Gálatas 1
1.1 Paulo não demora em lançar imediatamente o fundamento que indica a propósito da epístola. O evangelho que ele prega não é de origem humana, mas divina. Seu apostolado, posto em dúvida pelos judaizantes (v. 7), é importante para sustentar a veracidade de sua mensagem.
1.2 Galácia. Provavelmente a região ao sul da Ásia Menor incluindo as igrejas de Antioquia, Listra e Derbe (cf. At 13.14-14.24).
1.4 Pelos nossos pecados. A verdade central do evangelho - a morte expiatória de Cristo no nosso lugar - também nos extrai deste mundo corrupto e nos coloca no reino de Deus (Cl 1.13).
1.6 Tão depressa. Paulo admirava a Susceptibilidade dos gálatas aos argumentos dos seus oponentes. Passando. A força do original é inverter, revirar, subverter. Fazendo isto com a graça, o resultado é virar as costas ao Deus “que vos chamou”.
1.7 Outro (gr allos). Do mesmo tipo e valor. “Outro”, no v. 6, é heteros: de tipo diferente.
1.8 Vá além. A exigência de guardar a lei ia além do evangelho e, assim, não deixava de destruí-lo.
1.9 Já dissemos. Não se refere ao v. anterior, mas à segunda visita aos gálatas (At 14.21ss), quando os missionários os advertiram contra essa propaganda insidiosa.
1.10 Agradar a homens e a Cristo ao mesmo tempo é impossível. “Ninguém pode servir a dois senhores”. Portanto, se Paulo é um escravo (gr doulos) de Cristo não pode ambicionar o favor dos homens (cf. 1 Ts 2.4).
1.12 Mediante revelação. É uma referência à visão de Cristo no caminho para Damasco, seguida de muitas outras revelações através do Espírito como veremos nas epístolas (cf. 2 Co 12.7).
1.15,16 O verdadeiro servo de Deus. 1) Reconhece sua separação e preservação por Deus. 2) Reconhece a chamada de Deus pela graça (At 26.16-18). 3) Reconhece o prazer divino em manifestar o Senhor Jesus Cristo por seu intermédio como .também Sua pregação.
1.17 Arábia. Os árabes, sob Aretas, controlavam um território vasto, incluindo a própria Damasco (cf. 2 Co 11.32, 33). Sem ser declarado, podemos concluir que o sou propósito era consultar a Deus, uma vez determinado que o Senhor, e não os apóstolos, seria a fonte da sua mensagem.
1.18 Três anos. É provável que se refere aos anos depois da sua conversão. Subi á Jerusalém. Esta visita corresponde àquela mencionada em At 9.26-30. Cefas. É o aramaico equivalente a Pedro.
1.19 Tiago, filho de Maria e José, e, portanto, meio irmão de Jesus (cf. Tg 1.1).
1.21 Cilícia. Nesta ocasião estava ligada com a Síria e sob a administração romana. A cidade principal da Cilícia era Tarso, onde Paulo foi criado e agora anunciava o evangelho (23).





Um comentário: