2019/08/26

Interpretação de Números 16

Interpretação de Números 16

Interpretação de Números 16


Números 16
B. A Rebelião de Coré, Datã e Abirão. 16:1-35.
Qualquer rebelião deste tamanho tem numerosas facetas e várias razões agravantes subjacentes. Críticos têm imaginado que as diferentes correntes de pensamento aqui têm origem nas fontes documentárias hipotéticas JE e P, e que a nossa história representa as narrativas combinadas de diversas rebeliões durante a história de Israel. Contudo, do texto em si, deduzimos que houve o lado eclesiástico e o lado civil nesta rebelião. Coré persuadiu companheiros levitas e outros a se lhe juntarem na busca da função sacerdotal (vs. 9, 10). Ao mesmo tempo, os rubenitas, Datã e Abirão, voltaram-se contra Moisés por causa de seu aparente fracasso em lhes oferecer os campos e as vinhas da Terra Prometida (v. 14). O pensamento de terem de passar o resto de suas vidas no deserto devia lhes fazer parecer que a rebelião era um caminho de escape.
Datã e Abirão recusaram-se a irem ao Tabernáculo para enfrentarem Moisés, mas enviaram-lhe uma queixa amarga (vs, 12-14 ). Coré, por outro lado, e seus 250 “príncipes” (não todos, mas muitos levitas; vs. 7, 8; 27:3) apareceram com incensários nas mãos, para provarem que eram santos e podiam executar esta obrigação sacerdotal. Subitamente a glória do Senhor apareceu à porta do Tabernáculo; e o Senhor apoiou a autoridade de Moisés, abrindo a terra que engoliu os três lideres da rebelião, com suas famílias e propriedades (v. 32). A seguir, o grupo de carregadores de incenso foram devorados pelo fogo.
3. Basta-vos. Ou, “Estamos fartos de vocês”. Moisés, um pouco mais tarde, devolveu-lhes estas mesmas palavras (v. 7). Toda a congregação é santa. Em Êx. 19:6 Deus prometeu fazer de Israel um reino de sacerdotes e uma nação santa. Mas esta promessa tinha uma condição, “se . . . ouvirdes a minha voz, e guardardes a rainha aliança”. Pois a doação e a execução desta aliança designava divinamente os mediadores onde fossem necessários.
11. Pelo que tu e todo o teu grupo juntos estais contra o Senhor. Deus já tinha escolhido o Seu mediador (v. 5). Se Coré e sua congregação duvidasse, duvidaria de Deus. E Arão, que é ele? O direito que Arão tinha de ser sacerdote não se originara nele mesmo.
12. Datã e Abirão . . . disseram: Não subiremos. A cena passa para os rubenitas, cujos motivos de rebelião diferiam dos de Coré, mas cujos propósitos de derrubar Moisés e Arão eram os mesmos.
13. Também queres fazer-te príncipe sobre nós? Ou, Você pretende continuar fazendo o papel de príncipe sobre nós? Estes homens estavam agastados com a perspectiva de gastar toda sua vida no deserto. Acusavam Moisés da derrota em Hormá (14:45). Imaginavam que ele recusara levar a arca com eles naquela ocasião, com medo de perder o controle que tinha sobre eles quando entrassem na terra.
14. Pensas que lançará pó aos olhos destes homens? De acordo com Pv. 30:17, a alusão aqui é aos abutres que arrancariam os olhos dos mortos no deserto. Não dissera Moisés que toda esta geração teria de morrer no deserto?
19. Coré fez ajuntar contra eles todo o povo. O hebraico faz uma diferença entre sua congregação, “grupo”, e a congregação (cons. v. 9). Core apresentava-se como o defensor de toda a congregação: “Toda a congregação é santa” (v. 3 ).
22. Ó Deus, Autor e Conservador de toda vida (O Deus dos espíritos e de toda carne.) O muito evidente dualismo do espírito e da carne revelado nesta frase fornece evidências de que este conceito fazia parte da ideologia religiosa dos hebreus desde os tempos de Moisés. Mestres “liberais”, contudo, inclinam-se a atribuir este conceito à teologia de posteriores documentos “P”.
24. Levantai-vos do redor da habitação (tabernáculo) de Coré, Datã e Abirão. Não parece provável que estes homens tivessem construído um outro tabernáculo. O termo mishkan pode se referir a qualquer tipo de habitação ou tenda (24:5). A simples adição da consoante hebraica “yodh” indicaria o plural, “tendas de”. Os tradutores da LXX, ou viram a dificuldade e deixaram de fora os nomes de Datã e Abirão, ou trabalhavam em um manuscrito hebraico que só mencionava Coré. Nosso atual texto hebraico de 16:32 só menciona Coré, numa expressão abreviada de todos os três rebeldes.
27. Levantaram-se, pois, do redor da habitação (tenda) de Coré. Aqueles que creram em Moisés comprovaram-no agora pela atitude.
Datã e Abirão . . . se puseram à porta das suas tendas, como a desafiar Moisés.
28. Não procedem de mim mesmo. Vemos novamente que a briga não era com Moisés mas com Deus. O hebraico leb, “coração” (E.R.C.), foi corretamente traduzido para mente na AV; pois o coração geralmente indica a capacidade intelectual (cons. Os. 7:11, “entendimento”), enquanto que as entranhas, etc., (“rins” E.R.C. SI. 16:7, e em outras passagens) se referem à capacidade emocional.
30. Mas, se o Senhor criar alguma coisa inaudita. Tanto o verbo como o substantivo são de beirei’, “criar”; portanto a coisa inaudita tinha de ser uma coisa sobrenatural, ou pelo menos fora do comum. E vivos descerem ao abismo (Sheol). No V.T. o termo Sheol raramente significa “o lugar dos mortos”; aqui indica “a sepultura”.
32. E os tragou com as suas casas, como também a todos os homens que pertenciam a Coré, e a todos os seus bens. Beittehem não se refere a suas casas, mas famílias. O restante do versículo diferencia entre propriedades humanas (servos) e não humanas (animais e bens). Era simplesmente a maneira hebraica de dizer “tudo”. Contudo, Nm. 26:11 nos informa que os filhos de Coré não pereceram com ele. Provavelmente a “família” de Coré não incluía seus filhos adultos que tinham suas próprias famílias.
C. Incidentes da Vingança do Sacerdócio Araônico. 16:36 - 17:13.
A esta altura a Bíblia Hebraica começa um novo capítulo. Os escribas judeus consideraram o restante do capítulo 16 e todo o 17 como se fosse uma unidade, abrangendo o tema do direito único de Arão ao sacerdócio. Os incensários de bronze usados pelos rebeldes foram batidos em lâmina para cobertura do altar, como lembrete perpétuo do sacerdócio exclusivo da casa de Arão. As consequências da rebelião aparecem na murmuração que acusava Moisés pela morte dos rebeldes. A ira de Deus se aplacou somente quando Arão usou o seu incensário para fazer expiação pelo povo (v. 46). A vingança da casa de Arão não culminou no teste das varas (cap. 17). Das doze varas escolhidas, uma para cada tribo, só a vara de Levi, com a inscrição do nome de Arão, floresceu sobrenaturalmente e produziu amêndoas diante do Senhor. Esta vara teve de ser guardada na arca como um testemunho contra toda e qualquer tentativa futura de rejeitar a escolha divina da família mediatorial.
37. Porque santos são. Por que os incensários desses homens ímpios foram considerados santos? Porque Deus tinha para eles sagrado propósito. “Porquanto os trouxeram perante o Senhor.. . serão por sinal. . . por memorial. . . para que nenhum estranho, que não for da descendência de Arão, se chegue para acender incenso perante o Senhor” (cons. vs. 37-40).
48. Pôs-se em pé entre os mortos e os vivos. Uma ilustração dramática do ofício mediador de Arão. Não pela virtude dele em si mesmo (16: 5) mas apenas porque Deus o escolhera, o incenso de Arão efetuou a expiação pelo povo e interrompeu a praga (cons. Hb. 5:4-6). 

Índice: Números 1 Números 2 Números 3 Números 4 Números 5 Números 6 Números 7 Números 8 Números 9 Números 10 Números 11 Números 12 Números 13 Números 14 Números 15 Números 16 Números 17 Números 18 Números 19 Números 20 Números 21 Números 22 Números 23 Números 24 Números 25 Números 26 Números 27 Números 28 Números 29 Números 30 Números 31 Números 32 Números 33 Números 34 Números 35 Números 36

Nenhum comentário:

Postar um comentário