Interpretação de Números 28

Interpretação de Números 28

Interpretação de Números 28


Números 28

IV. Terceira Lista Sacerdotal. 28:1 – 29:40.
Os dois capítulos de Nm. 28 e 29, como Lv. 23, dão o esboço de todo o ritual anual. Mas aqui se trata das quantidades das ofertas, tendo em vista o estabelecimento de Israel na terra. Os meses são numerados, e o ano ainda é dividido pela comemoração de uru festival no começo do sétimo mês (Nm. 29:1). O primitivo calendário religioso hebreu era controlado pelas estações da agricultura, o que se constata do nome Abibe “a primeira cevada amadurecida” (Êx. 13:4) e do Calendário de Gezer, em uma placa israelita do século dez (G.E. Wright, Biblical Archaeology, págs. 180,181). Tal dependência das estações solares (Dt. 16:9) evitou que o calendário dos israelitas se afastasse das estações do ano, como o calendário religioso árabe hoje em dia, pois os hebreus inseriam um mês extra quando fosse necessário. Nestes capítulos, os meses (as luas novas) eram indicadas pelo tocar das trombetas de prata, fornecendo um meio prático de cumprir o ano ritual aqui prescrito.
Em sua rústica simplicidade os hebreus evitavam os complicados problemas do calendário egípcio de 365 dias, baseado na observação das estrelas, o qual, embora sofisticado, perdia um quarto de dia e, no devido tempo, alterava completamente o calendário em relação às estações. Por outro lado, os hebreus, ao que parece, tomaram emprestado o sistema egípcio de numerar os meses, enquanto a maior parte dos semitas davam-lhes nomes. Contudo, Israel não o fazia oficialmente, até depois do Exílio, quando adotaram as designações babilônicas.
Números 28
A. Introdução. 28:1, 2.
2. Minha oferta, do meu manjar para as minhas ofertas queimadas. O manjar de Deus aqui mencionado não era aquele que os sacerdotes recebiam como sua parte, mas antes o alimento que subia na fumaça das ofertas queimadas. O pensamento é que Deus come e bebe com seus adoradores, o qual, longe de ser uma noção primitiva, foi transportado para o N.T. na ordenança paralela da mesa do Senhor, a Comunhão.
B. Ofertas Diárias. 28:3-8.
5. Um efa de flor de farinha . . . um him de azeite batido. A farinha era o solet, farinha fina, e o azeite era de azei, tonas batidas ou esmagadas, muito caro, embora prescritos no Sinai e repetidos aqui, destinavam-se especificamente para aqueles que iam se estabelecer na terra.
C. Ofertas Sabáticas. 28:9, 10.
10. Além do holocausto contínuo. As ofertas eram comutativas, a oferta sabática sendo acrescentada à oferta diária, e assim por diante no demais destes dois capítulos.
D. Ofertas Mensais. 28:11-15.
11. Nos princípios dos vossos meses (luas novas). Uma vez que o ponto destacado são as quantidades das ofertas, a orientação para o tocar das trombetas de prata (cons. 10:10) foi omitida, embora destacada como parte do festival religioso no começo do sétimo mês (29:1). De acordo com 10:10, as trombetas eram regularmente tocadas nas luas novas. O costume foi possivelmente designado com significado civil e também religioso para o povo.
15. Um bode como oferta pelo pecado. Uma oferta pelo pecado era acrescentada pua resolver os pecados que não fossem expiados durante aquele mês.
E. Ofertas Anuais. 28:16 – 29:40.
1) Festa dos Pães Asmos. 28:16-25.
16. No primeiro mês, aos catorze dias do mês, é a páscoa. Nenhuma oferta foi especificada para a Páscoa, porque estas instruções foram dadas para as ofertas pelos sacerdotes. A cerimônia do cordeiro pascal era um negócio familiar (Êx. 12:3-14, 21,22).
17. Aos quinze dias ... haverá festa. A Festa dos Pães Asmos (massot) devia Ser comemorada desde o dia quinze até o dia vinte e um do primeiro mês (Êx. 12:15-17). Os dias primeiro e sétimo deviam ser sábados, quando não se faria nenhum trabalho “servil” (Nm. 28:18, 25 ).
24. O manjar da oferta queimada . . . além do holocausto contínuo se oferecerá isto. Além das ofertas diárias, estas outras festas especiais deviam ser oferecidas diariamente durante a festa.
2) A Festa das Semanas. 28:26-31.
26. Quando trouxerdes oferta nova de manjares (cereais) ao Senhor, segundo a vossa festa de semanas. Levítico 23:16 fornece a chave para se compreender estas palavras. No dia seguinte aos sete sábados depois da Festa dos Pães Asmos (Pentecostes, Gr., “quinquagésimo dia”), o povo devia oferecer uma oferta de cereais das primícias. Os sacrifícios da festa a serem oferecidos nessa ocasião eram iguais aos oferecidos por ocasião dos pães asmos.