2009/06/25

Comentário de João 18:23-24

18:23 - Jesus respondeu-lhe,... Pois o sumo sacerdote não se importou comentario biblico, evangelho de joão, novo testamentocom isso, nem ninguém do Sinédrio, embora a ação fosse tão insolente e indecente, tanto quanto à forma em que foi feita, e a pessoa, um oficial, por quem foi feito; e considerando as circunstâncias disso, no palácio do sumo sacerdote, em sua presença, e diante de um tão grande conselho, e no meio de um caso de julgamento; e era uma ação bárbara, bem como uma ímpia, considerando a pessoa a quem foi feito. Portanto, Jesus responde a ele, sem fazer uso do seu poder divino como o Filho de Deus, ou descobrir algum calor do espírito, e do calor da paixão, como um homem, mas calma e racionalmente argumenta com ele...

Se eu tenho falado mal, dai testemunho do mal: Significado, ou se ele tinha, ao seu conhecimento, emitido qualquer doutrina ímpia no decurso do seu ministério, ou tinha, nesse momento, dito qualquer coisa má do sumo sacerdote, ou qualquer outra pessoa, e deseja que este faça manifesto isso, e dê provas convincentes e evidencia disso:

Mas se não, porque me golpeias? Se ele tivesse dito nada contrária à verdade, razão, e boas maneiras, então ele não deveria ser utilizado e tratado em tal maneira prejudicial. E, além disso, o funcionário deveria ter sido corrigido pelo Conselho, e teria sido obrigado a pagar os duzentos "zuzim", ou denários, devido a tal afronta, de acordo com o cânone judaico, ou mais, de acordo com a dignidade da pessoa abusada (r).

18:24 - Agora Anás enviou assim amarrado,... Como ele o encontrou, quando o capitão, o bando, e os oficiais trouxeram-no a ele; que tendo-se satisfeito com uma visão tão agradável, e perguntou-lhe alguns coisas, e talvez o insultou, e ai o enviou dessa maneira...

Para Caifás, o sumo sacerdote: Seu genro, como a pessoa mais adequada para ser examinado com respeito ao caso, e, sobretudo, como o grande conselho estava sentado em sua casa. Isso foi feito antes da primeira negação Pedro a Cristo, que, é claro, estava no palácio do sumo sacerdote, e não na casa de Anás; embora não pareça existir qualquer razão para colocar estas palavras no final do versículo 13, como são por alguns, uma vez que manifestamente se referem ao tempo passado, e, de forma alguma obscurece, ou dificulta, a verdadeira finalidade da história, como está aqui.


____________
Notas

(r) Misn. Bava Kama, c. 8. sect. 6.

Nenhum comentário:

Postar um comentário