2009/06/25

Comentário de João 18:6-7

18:6 - Assim que ele disse-lhes: sou eu ele,… Imediatamente, assim que ele facomentario biblico, evangelho de joão, novo testamentolou-lhes estas palavras, que foram ditas com majestade e autoridade, e foram assistidas com poder divino:

Recuaram, caíram ao chão;... Eles ficaram confusos, surpresos e intimidados, e parecia que teriam optado em ter fugido dele, em vez de prendê-lo, e tal como recuaram e foram para trás, eles caíram aos chão, como foi o caso, quer tenha sido devido a majestade de sua aparência, ou pelo poder de suas palavras, ou ambos, de forma que ele ficaram como homem loucos, caindo ao solo. Às vezes, a majestade de um homem, ou a sua fama, devido as notáveis coisas feitas por ele, ou a inocência e retidão de sua causa, tiveram tal influência sobre os seus inimigos, que eles não foram capazes de executar aquilo que lhe era destinado. É relatado de Caius Maxius, que sendo reduzido a maior miséria, e trancado em uma casa privada em Minturnae, (uma cidade na Itália), um carrasco foi enviado para matá-lo, e como ele era um homem velho, desarmado e nas condições mais miseráveis, o carrasco puxando a espada, não pôde utilizá-la, mas, como o historiador (y) diz que ele foi atacado com a cegueira da glória do homem, fugiu espantado e tremendo. Agora, além das coisas acima, na sua maior perfeição, havia em nosso Senhor algo mais do que humano, ele era Deus, assim como homem, e ele evidenciou a sua divina, majestade, glória e poder. Isso foi feito, não para fazer a sua fuga dos mesmos, mas para dar prova da sua divindade, e uma amostra de seu poder, para o grande dia, e para que eles soubessem que, se ele não tivesse voluntariamente se entregado a eles, apesar dele estar desarmado, eles, com todos os seus homens e armas, nunca poderia ter apanhado ele, e para lhes mostrar, que ele poderia facilmente tê-los matado, assim como lhes fez caírem ao chão: e, por vezes, uma pessoa morta imediatamente, é expressa por esta frase, de “cair ao chão”, e é atribuída a Deus, pelo ministério dos anjos: R. diz Simeão ben Shetach (z), para algumas pessoas em desacordo , “que o Mestre dos pensamentos venha, (ou seja, o abençoado Deus), e tome vingança sobre vós; e Gabriel veio imediatamente, והבטן בקרקע, e “os gopeou ao chão”, e eles morreram imediatamente.”
[1]

Da mesma forma, em outro lugar é dito (a):

“Se transgredires os mandamentos de teu pai, Gabriel vem imediatamente, e o “golpeia ao chão”.”

18:7 - Então, ele perguntou-lhes mais uma vez: a quem procurais vós?... Isto supõe que ele se levantaram e se colocaram de pé outra vez, nenhum mal tendo sido feito a eles; pois Cristo sempre fez o bem, e não faz o mal para os corpos dos homens, ele nunca causou nenhuma dor, ou tirou a vida de alguém: ele só fez isso para mostrar seu poder, e não para fazer-lhes qualquer dano real, e da mesma pessoa divina, que assolou com uma repentina queda, também deu-lhes força e poder para se reerguerem; o que mostrou sua grande clemência e bondade: mas, no entanto, persistiram eles em suas intenções perversas, e ainda estavam procurando por ele, uma simples prova da dureza iníqua do coração do homem, debaixo da qual eles estavam; e também, que nem milagres operados trará pecadores endurecidos ao arrependimento sem poderosa e graça eficaz. Quando Cristo, sem medo deles, mas apenas para mostrar que esta ação não foi projetada para que eles fossem embora, o que ele poderia facilmente tê-lo feito, mas que ele estava disposto a ser detido por eles, coloca novamente a pergunta, e pergunta-lhes a quem eles estavam procurando. Algo assim Josefo (b) relata sobre o profeta Eliseu, mas não repetido como aqui, nem teve o mesmo efeito: ele relata que Eliseu tinha solicitado de Deus que abatesse seus inimigos com cegueira,
[2] e que lhes foi isso concedido, ele passou no meio deles e perguntou:[3] τινα επιζητουντες ηλθον, "a quem procurais vós?" dizem eles: o profeta Eliseu: ele prometeu-lhes entregar-lhe a eles, se eles seguissem-no até a cidade onde ele estava, e assim sendo eles cegados por Deus, tanto em seus olhos e em sua mente, seguiram o profeta.

Eles disseram: Jesus de Nazaré;... Tendo recuperado os seus espíritos, e sendo endurecidos em desesperadas malícia e perversidades, impudicamente tornaram a respondê-lo, nem eles, apesar desta instância de seu poder, reconheceram ser ele o Messias, mas ainda com desdém o chamam de Jesus de Nazaré.


___________
Notas

(y) Valerius Maxim. l. 2. c. 5.
(z) F. Bab. Sanhedrin, fol. 19. 2.
(a) Shemot Rabba, sect. 1. fol. 91. 2.
(b) Antiqu. l. 9. c. 4. sect. 3.
[1] Cf. Atos 12:23. N do T.
[2] Cf. 2 Reis 6:18. N do T.
[3] Citação tirada da LXX. – N do T.

Nenhum comentário:

Postar um comentário