2019/09/27

Tiago 1 — Explicação das Escrituras

Tiago 1 — Explicação de Tiago



1.1 Às doze tribos. Provavelmente não se refere a judeus como raça, mas a judeus crentes em Cristo que assim se tornaram o verdadeiro Israel de Deus (Gl 6.16; Fp 3.3). Em 1 Pe 1.1, “Dispersão” também se refere a gentios cristãos.
1.2.3 Para o crente, toda provação toca na sua fé que assim é confirmada e produz um homem perfeito (plenamente desenvolvido) em Cristo (1 Pe 1.6-9; Rm 5.3-5). Por isso devemos nos alegrar quando vêm provações pelo lucro espiritual que nos propordonam.
1.3.4 Perseverança (gr hupomone). É a paciência quando não há remédio, constância sob uma prova prolongada (cf. 2 Ts 3.5, “constância”).
1.5 Sabedoria. Nesta epístola é a compreensão cristã que se manifesta numa vida que segue a lei de Deus como sua regra de fé e moralidade.
• N. Hom. 1.5-7 Tema: Oração de petição. 1) A fonte: nasce da necessidade. 2) O alvo: dirige-se a Deus. 3) O requisito: fé sem dúvidas. 4) O resultado: concessão liberal sem repreensão.
1.7 Que o homem vacilante não receberá resposta à sua oração é tão certo quanto o fato de que aquele que pede com fé receberá (5, 6).
1.12,13 Provação... ser tentado representam a mesma palavra no grego. O sentido duplo vem da pressão externa (prova) e do desejo interno (tentação). No v. 12 está em vista a provação externa (senão exigiria opor-se em lugar de suportar), enquanto no v. 13 refere-se à tentação para o pecado. Coroa da vida, lit. “grinalda” (cf. n em Fp 4.1), Não é símbolo real ou régio, mas sinal de aprovação (cf. 1 Ts 2.19 e Mt 25.21).
1.17 Pai das luzes. Em contraste com a idéia corrente na astrologia que as estrelas controlavam fatalmente o destino do homem, Tiago afirma que nosso Pai, perfeito em benevolência, rodeia nosso caminho com dádivas. Também se realça, em contraste com o Sol ou a lua, que variam, a constância de Deus (cf. Hb A 3.8 e Ml 3.6).
1.18 O maior e mais importante de todos os seus dons é a regeneração pela palavra da verdade (o evangelho, cf. Cl 1.5; 1 Pe 1.22, 23).
1.19 Tardio para falar, i.e., não precipitar-se na proclamação do evangelho antes de aceitá-lo e colocá-lo em prática (cf. 3.1).
1.21 A palavra em vós implantado. Em Tiago, o termo “palavra” é mais ou menos equivalente à “graça” nas epístolas de Paulo. Recebida e atendida, esta palavra germina e cresce transformando a vida e dando assim a garantia da salvação final (cf. Jo 15.1-8).
1.22 Ouvintes (gr akroatai). Termo usado especialmente para aqueles que assistiam aulas mas não se tornavam verdadeiros discípulos.
1.25 Lei do liberdade. Todo aquele que cumprir esta lei conhecerá a liberdade (cf. Rm 8.2). “A revelação da Palavra nos vincula a um serviço de amor prático que é ao mesmo tempo voluntário e obrigatório” (Moffatt). É chamada a “lei régia” ou “real” em 2.3. Devemos sempre lembrar que por esta lei seremos julgados (2.12).
• N. Hom. 1.26,27 Religião Verdadeira. A Tríplice responsabilidade: 1) Diante de si mesmo - a língua dominada pelo amor (cf. 3.2-12); 2) Diante do próximo - a miséria compartilhada em amor (2.15, 16; Mt 25.36, 43, onde Jesus usa a mesma palavra, ”visitar”); 3) Diante de Deus o mundo desprezado por amor maior a Deus (4.4; 1 Jo 2.1517).


Índice: Tiago 1 Tiago 2 Tiago 3 Tiago 4 Tiago 5


Nenhum comentário:

Postar um comentário