2019/09/11

Estudo sobre Romanos 8:10-11

Estudo sobre Romanos 8:10-11

Estudo sobre Romanos 8:10-11


Romanos 8:10-11

O segundo “se” poderia causar espécie. Apesar da clareza do v. 9, os cristãos, nesse caso, viveriam numa tensa realidade dupla: ao mesmo tempo vivos e mortos! Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito é vida, por causa da justiça. Por um lado, sua existência corporal está subordinada à morte espiritual com Cristo. Rm 6.6-11; 7.6; 8.3b não trata de uma situação já superada. O processo de morrer e ser crucificado com Cristo por causa do pecado prolonga-se por todo o tempo em que vivemos na terra. Constantemente corremos o risco de viver longe da fé. A resposta a esse perigo somente pode consistir em assumir “cotidianamente” a cruz, “amortecer as práticas do corpo” e desse modo morrer “diariamente”e. Nos v. 18-30 Paulo dedicará um longo trecho à condição, ainda não redimida dos que têm o Espírito (!) e que gemem debaixo dela. Por outro lado, porém, o Espírito, ou seja, nesse caso como também no v. 16 o espírito humano, é “vida por causa da justiça”. Ressoa novamente “O justo viverá por fé!” de Rm 1.17. Os versículos 14-17 tratarão desse aspecto.

Por fim, o terceiro “se, porém”: Graças ao Espírito que neles habita, os que creem sabem que estão transferidos para a ante-sala do futuro. Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita. Na Páscoa ele se identificou como o “Espírito da vida” de Ez 37.1-14 (cf o exposto sobre o v. 2). Quando Jesus Cristo voltar, ele não permitirá que sua ação vivificadora se detenha nem mesmo diante do corpo mortal dos fiéis (cf o exposto sobre Rm 6.12). Inundando-os com vida, ele os arrastará para fora da desarmonia exposta no v. 10.

Aprofunde-se mais!
Estudo sobre Romanos 8:10-11

Um comentário:

IRMÃO FERREIRA disse...

muito bom esse ensino me edifica muito,

Postar um comentário