2009/06/23

Comentário de João 14:1

14:1 Não se perturbe o vosso coração,... Em algumas cópias este vercomentario biblico, evangelho de joão, novo testamentosículo começa assim: e ele disse aos discípulos dele; e certo é que estas palavras são endereçadas em geral a eles, Pedro, sendo ele a pessoa com quem nosso Senhor estava discursando na parte posterior do capítulo precedendo; mas virando dele, ele se dirige e fala a todos eles. Havia muitas coisas nas quais poderiam fazer seus corações pesados, e grandemente deprimir as mentes dos seus discípulos; a maior delas seria a perda da presença corporal de Cristo, a partida veloz dele dos quais ele tinha lhes dado aviso prévio no capítulo precedendo; também a maneira na qual ele deveria ser removido deles, e as circunstâncias que deveriam assistir o mesmo, e que ele deveria ser traído por um deles, e negado por outro; igualmente a situação pobre e incômoda que eles seriam deixados provavelmente, sem qualquer visão ou esperança daquele reino temporal erguido, o qual eles tinham estado em expectativa;[1] e também o assunto e consequência de tudo isso, que eles seriam expostos ao ódio e perseguições dos homens. Agora na multidão destes pensamentos dentro deles, Cristo os conforta, os licita para que tenham um bom coração, e os exorta a todos, ao exercício de fé em Deus, e nele, como o melhor modo para serem libertados das dificuldades dos seus corações, e terem paz:

Credes em Deus, também crede em mim;... Quais palavras podem ser lidas e podem ser interpretadas de modos diferentes: qualquer um que assim, "crê em Deus, crê também em mim"; e assim são proposições semelhantes a Deus, e expressas de Cristo ser igualmente o objeto da fé deles; e visto que então eles tiveram tão boa fundação para a fé deles e confiança, eles não tinham nenhuma razão para estarem intranquilos: ou assim: "acreditem em Deus, e acreditem em mim"; e ambas são exortações para se exercitar fé semelhantemente neles dois, como sendo o melhor antídoto que eles poderiam fazer uso contra as dificuldades do coração: ou assim, "acreditem em Deus, e vós acreditam em mim"; e assim a anterior é uma exortação, o posterior uma proposição: e o sentido é: ponham a sua confiança em Deus, e vós também confiareis em mim, porque eu sou da mesma natureza e essência com ele; eu e o Pai somos um; de forma que se vós acreditais em um, tendes de acreditar no outro: e assim nossos tradutores vertem: "vós que acreditam em Deus, também acreditem em mim"; e assim a anterior é uma proposição, ou uma afirmação, e a posterior é uma exortação fundamentada nela: vós acreditastes em Deus, como crentes, em todas as suas promessas, embora não o vistes; também acreditem vós em mim, embora eu vá embora, e estarei durante algum tempo ausente; disto vós podeis ser assegurados, que tudo que eu disse será realizado. As palavras consideraram de qualquer modo é uma prova plena da verdadeira deidade de Cristo, visto que ele é representado como igualmente o objeto da fé com Deus o Pai, e põe uma fundação para paz sólida e conforta em vistas das muitas aflições e perseguições no mundo.


_______________
Notas

[1] Cf. Atos 1:6. N do T.

3 comentários:

Anônimo disse...

Eu penso que existe uma consideração a fazer em relação ao verbo "credes", pois este verbo está no presente, na na segunda pessoa do plural do indicativo, que é uma afirmação e não uma ordem, mas sim, uma confirmação da fé que eles já tinham em Deus.
Já no caso do segundo verbo que é "crede" e não "credes", está no afirmativo do imperativo, na segunda pessoa do plural, que siguinifica uma ordem.
Portanto pode se concluir, resumidamente, que jesus disse o seguinte: Vocês ja creem em Deus, então creiam tambem em mim pois não ha diferença, sou Deus...
Grato por ler e pensar um pouco sobre o assunto; Deus te abençoe mais e mais...

Anônimo disse...

Gostei

Unknown disse...

Me ajudou muito, Deus abençoe este blog.

Postar um comentário