2009/06/23

Comentário de João 14:13-15

14:13 - E o que quer que ele peça em meu nome,… Que seja para ajudacomentario biblico, evangelho de joão, novo testamentor na pregação do Evangelho; ou para a realização de operações milagrosas a fim de confirmar a autenticidade das boas novas, ou o sucesso, ou de qualquer benção que seja, quer por eles mesmos ou outros:

Assim eu farei;… Ele não diz aqui que ele será um mediador entre Deus e ele, um advogado junto ao Pai por eles,[1] e que iria interceder e usar seu interesse por eles para que isso ou aquilo fosse feito; mas mostra isso uma prova de sua deidade, e um exemplo de sua Onisciência:

Para que o Pai seja glorificado no Filho. Isso pode se referir a sua petição, que pode ser feita para esse objetivo, para que o Pai possa ser glorificado, ou no Filho, em cujo nome é colocado, e por cuja causa é feita; ou a promessa de Cristo de fazer isso, não buscando a sua glória, ou pelo menos ela apenas; mas o bem de seu povo, assim como a glória do seu Pai celestial.

14:14 - Se pedirdes alguma coisa,… Essas palavras são exatamente iguais as primeiras, e tem sido pensado por alguns que elas entraram no texto por meio de uma nota marginal; embora elas pareçam ter sido repetidas por Cristo, para fortalecer e confirmar mais ainda a fé de seus discípulos sobre o assunto; de que o que quer que eles peçam...

No meu nome,… Ou por invocá-lo, ele sendo igualmente objeto de oração assim como o Pai, ou fazendo menção disso, implorando mediante os méritos de seu sangue, justiça, e sacrifício; o que quer que seja da vontade de Deus, que fosse para a sua glória e para o bem deles, ele faria para eles, bem como quando estivesse ausente deles, assim como presente a eles.

14:15 - Se me amais,... Não que Cristo duvidou do amor dos seus discípulos; mas ele discute sobre a observância deles dos seus preceitos, que aqueles que o amam, também lhe obedecem; como fazem todos os que nascem novamente, que tiveram qualquer visão espiritual dele, da sua glória, e plenitude; que acreditam nele, e receberam dele a fé; que tiveram o seu amor derramado nos seus corações, depois de terem desfrutado a comunhão com ele, e conhecerem a relação que ele tem com eles; estes o amam acima de tudo, na sinceridade das suas almas, como fizeram os seus discípulos; e visto que eles professaram amá-lo, e o amaram, como deveriam ter feito, ele os exorta, dizendo...

Guardareis os meus mandamentos: Cristo é Senhor sobre seu povo, como ele é o Criador e Redentor deles, e como ele é cabeça e marido deles, e como tal ele tem um direito para emitir mandamentos, e ordena uma consideração a estes; e este são peculiarmente seus, como distinto de outros, embora não em oposição, ou para a exclusão de outros, os mandamentos de seu Pai; como a ordem nova de amar um ao outro, e as ordenações de batismo, e a ceia do Senhor que seria observada e seria mantida, como Cristo, constantemente, os ordenou em fé, e com uma visão para a sua glória.



_____________
Notas

[1] Cf. 1 João 2:1. N do T.

Nenhum comentário:

Postar um comentário