2009/06/23

Comentário de João 14:20-21

14:20 - Naquele dia sabereis,… As coisas que devíeis saber, ou os objetos docomentario biblico, evangelho de joão, novo testamento conhecimento de que

Eu [estou] no Pai;… No seu seio, em união com ele, participante da mesma natureza, perfeições, e a glória com ele, e igual a ele:

E vós em mim: Que eles estavam em união com ele, como ramos do vinhedo, e como membros pertecentes a cabeça, e como eles estavam no seu amor, escolhidos nele, justiça por meio dele, levantados nele, e sentados nos lugares celestiais com ele:
[1]

E eu em vós;... Formado nos seus corações, enquanto vivendo neles, morando neles, como templos dele, e os enchendo de toda graça e glória. O conhecimento destas coisas prometidas designa um conhecimento mais claro e distinto deles; algo deles já era conhecido, mas não tão perfeitamente como deveria ser daqui por diante; e isto não supõe que estas uniões entre o Pai e Cristo, e entre Cristo e seu povo, começará a existir então; pois como a união entre o Pai e o Filho é tão eterna quanto eles; assim a união entre Cristo e o seu povo, como ele é a cabeça e o representante deles, já estava na sua investidura com ofício de um Mediador, e os compromissos de segurança dele para eles, que era desde eternidade; e é a razão, e fundação do ser dele neles, e eles nele na chamada eficaz; nem sugere que eles começaram a ser conhecidos; só que eles serão conhecidos de uma maneira mais perfeita: o tempo quando isto será dado, é "naquele dia": significando qualquer um quando ele viveria novamente no corpo, sendo elevado dentre os mortos, quando ele devia ser declarou ser o Filho de Deus com poder, quando apareceria, que ele teve o mesmo poder com o Pai, se elevando dos mortos, e quando ele subiria como uma cabeça pública para os representar, para a justificação deles, e eles deveriam ser justificados nele; ou o dia de "Pentecostes", quando "o Espírito da verdade", que ele prometeu, deveria entrar neles em uma maneira tão extraordinária, e os conduzir no conhecimento destas coisas; ou o último dia, a manhã da ressurreição, quando, em virtude de união com Cristo, subirão os santos e "viverão" para sempre com ele, e terão um conhecimento perfeito destas várias uniões; veja João 17:21.

14:21 - Aquele que tem meus mandamentos e os guarda,… Aquele que não tem apenas uma revelação externa da Bíblia neles; mas a tem escrita em seu coração, pelo dedo do Espírito de Deus

Aquele que me ama: Outros podem falar de amor a Cristo, mas esse homem é aquele que verdadeiramente o ama; pois a sua observância dos mandamentos de Cristo é uma prova e evidência de que ele o ama, não apenas em palavras, mas em ação e em verdade: e para encorajar as almas a amar e obedecer, Cristo acrescenta:

Aquele que me ama, será amado de meu Pai;… Não que o amor seja a causa, condição, ou motivo do amor do Pai ao seu povo; nem seu amor começou porque eles começaram a amar a Cristo;
[2] mas essa expressão denota a maior manifestação do amor do Pai por tais pessoas, e mostra quão gratos são os que amam a Deus e obedecem ao Filho:

E eu o amarei;... Que deve ser entendido da mesma maneira; Cristo não começa a amar o seu o seu povo quando eles começam a amá-lo e a obedecê-lo; o amor deles e obediência origina-se do amor dele para com eles; qual amor seu é perpétuo: mas esta frase assina uma descoberta mais clara do seu amor a eles, que ultrapassa o conhecimento; e algumas marcas frescas e símbolos do seu afeto para com eles; e que é explicado na próxima cláusula:

E me manifestarei a ele;… Não de uma forma visível, ou de uma forma corpórea, assim como ele fez aos seus discípulos depois da sua ressurreição; mas de uma maneira espiritual, como quando ele se manifestou ao seu povo nas ordenanças, e em favorecer comunhão deles com ele, e eles veem assim a beleza, sua plenitude e justiça, seu poder e sua glória.


____________
Notas

[1] Cf. Efésios 2:6. N do T.
[2] Cf. 1 João 4:19. N do T.

Um comentário:

Radi Alec disse...

muito bom este estudo !!!

Postar um comentário