2009/06/26

Comentário de João 19:21-22

19:21 - Então disseram os principais sacerdotes dos Judeus a Pilatos,... Qcomentario biblico, evangelho de joão, novo testamentouem não foram apenas informados desta inscrição, mas podiam ler por si mesmos, pois eles estavam presentes na crucificação de Cristo, e escarneciam dele como alguém pendurado na árvore, e que, quando leram o título, ficaram muito ofendidos com isso, em parte porque ela estava trazendo também uma grande honra a Jesus por chamá-lo de Rei dos Judeus: e, em parte porque ele fixou em um público, e isso era como uma marca de infâmia sobre o povo deles, de que o rei de um deles devia ser crucificado: por isso eles foram a Pilatos e dirigiram-se a ele, dizendo:

Não escrevas o Rei dos Judeus: Porque eles não o reconheceram como o rei deles, que esse título parece sugerir, nem tinha ele na opinião deles qualquer direito a essa posição de rei; portanto, eles desejaram que no lugar dessas palavras ele deveria colocar as seguintes:

Mas que ele disse: Eu sou o Rei dos Judeus;… Para que ele pudesse assim ser considerado como uma pessoa sediciosa e um traidor; alguém que afirmou ter a coroa temporal e o reino de Israel, e alguém que sofreu justamente por ter tentado adquirir essa posição

19:22 - Respondeu Pilatos, o que tenho escrito, tenho escrito,... Ele parece dizer isso, como alguém irritado e descontente com eles, porque eles não consentiram em libertar Jesus, o que ele estava muito desejoso de fazer, mas eles pressionaram muito fortemente para crucificá-lo, ou ele disse isso devido a insolência deles, na forma em que ele colocou a inscrição, que era determinado ela ficasse inalterada, tal como ele tinha escrito. Isto disse ele, porque ele não poderia alterá-la depois que foi escrita, pois é dito (w) que “uma tábua do procônsul está sua sentença, sendo uma vez que lida, nem uma letra pode ser aumentada ou diminuída; mas como é recitada, assim é relacionado no instrumento da província.”

Ou se ele poderia ter alterado, ele não foi permitido por Deus fazê-lo, mas foi assim dirigido, e mais deliberadamente pela providência divina, com o que escrever, de modo a persistir, e permanecer o que ele escreveu inviolavelmente; que é o sentido de suas palavras. Dr. Lightfoot deu vários exemplos do Talmude, mostrando que esta é uma forma comum de falar com os Rabinos, e assim, as palavras significam que o que é dito dobrado é algo bom, e é irrevogável: pois uma viúva tomando qualquer um dos bens de seu falecido marido para a sua manutenção, é dito (x), מה שתפסה תפסה, “o que ela tem, ela tem”, ou seja, ela pode fazê-lo legalmente, e conservá-lo: as coisas continuam em suas mãos, e não podem ser tomadas dela, e por isso há a seguinte explicação, que “eles não a tiram dela”, e da mesma forma Maimonides (y) interpreta: assim de um homem que se obriga a oferecer uma oblação em um caminho, e ele oferece outro caminho, מה שהביא הביא, “o que ele tem oferecido, tem oferecido (z)”, o que ele tem oferecido é certo, é bom, e não deve ser rejeitado: e, novamente, entre os ritos usados por um irmão da falecida esposa, para a qual ele se recusa a se casar com ela, se uma coisa é feita antes da outra, não é importante, מה שעשוי עשוי, “o que está feito, está feito (a)”, e não é para ser desfeito, ou feito de novo de outra maneira, ele permanece firme e bom, e não se deve opôs-se: e o mesmo escritor lembra que esta é uma espécie de profecia de Pilatos, de que deve continuar assim, pois os Judeus não devem ter nenhum outro Rei Messias do que Jesus de Nazaré, nem tiveram qualquer outro, todos os que tinham vindo provaram-se falsos messias, nem eles irão ter qualquer outro, nem mesmo qualquer rei, até que eles procurem o Senhor seu Deus, e Davi seu rei, Oséias 3:5, ou seja, o filho de Davi, como eles vão fazer no último dia, quando eles forem convertidos, e quando eles o aceitarem como seu único e próprio rei, que os seus antepassados nesta altura se envergonhavam.


_____________
Notas

(w) Apulei Florid. c. 9.
(x) T. Bab. Cetubot, fol. 96. 1.
(y) Hilchot Ishot, c. 18. sect. 10.
(z) T. Bab. Menachot, fol. 3. 1.
(a) T. Bab. Yebamot, fol. 106. 2.

Nenhum comentário:

Postar um comentário