2019/10/04

João 14 — Interpretação Bíblica

João 14 — Interpretação Bíblica

João 14 — Interpretação Bíblica


Jesus, o caminho para o Pai 14.1—16.33
Neste discurso de despedida, Jesus aborda vários assuntos. O ensinamento principal é o relacionamento dele com o Pai, e o relacionamento dele e do Pai com os discípulos. Como guia e auxiliar, Jesus mandará o Espírito Santo, que ficará no seu lugar e continuará o seu trabalho com os discípulos. Eles enfrentarão dificuldades, mas o Espírito fará com que eles continuem fiéis na tarefa de anunciar a mensagem de Jesus.
14.1-31 Este discurso de despedida de Jesus trata da ida de Jesus ao Pai (v. 2; vs. 4-14) e de sua volta (v. 3; vs. 15-31).
14.1 Creiam em Deus e creiam O texto original também pode ser traduzido assim: “Vocês crêem em Deus e crêem”.
14.2 Este versículo também pode ser traduzido assim: “Na casa do meu Pai há muitos quartos. Se não fosse assim, será que eu lhes diria que vou preparar um lugar para vocês?”
14.3 onde eu estiver vocês estejam também Ver Jo 17.24, n.
14.5 Tomé Jo 11.16; 20.24-29; 21.2.
14.6 Eu sou o caminho, a verdade e a vida Ver Intr. 1.6. Jesus é o caminho que leva a Deus (Ef 2.18; Hb 10.20); ele é a verdade a respeito de Deus e da sua vontade para as pessoas (Jo 1.17; 18.37; ver Jo 1.14, n.; 8.32, n.); ele é a vida, a qual ele dá àqueles que vivem unidos com Deus (ver Jo 1.4, n.; 3.16; 11.25; 17.3; 1Jo 5.20). a não ser por mim Outras declarações semelhantes aparecem em Mt 11.27; Jo 1.18; 6.46; At 4.12.
14.7 Agora que vocês me conhecem, conhecerão também Alguns manuscritos trazem “Se vocês me conhecessem, conheceriam também”.
14.8 Filipe quer uma manifestação de Deus que seja definitiva e que não deixe nenhuma dúvida. Jesus ensina que essa manifestação é dada em sua pessoa (v. 9).
14.9 Quem me vê vê também o Pai Jo 1.14,18; 12.45; Cl 1.15; Hb 1.3; 1Jo 1.1-4.
14.11 coisas que eu faço Os seus “sinais” (ver Jo 2.1-12, n.; 4.34; 5.36; 10.37-38).
14.12 e até maiores do que estas Jesus vai voltar para o Pai (Jo 7.33; 13.1; 14.28) e dará aos seus seguidores o poder do Espírito de Deus (Jo 7.39); assim eles poderão fazer maiores coisas do que Jesus fez.
14.13 pedirem em meu nome Os seguidores de Jesus, em união com ele, devem orar como ele orou e pedir as coisas que ele pediu (Jo 15.7,16; 16.23-24; 1Jo 3.22; 5.14-15).
14.15 obedeçam Ver Intr. 3.1. No v. 26, Jesus pede que obedeçam à sua mensagem. Ele quer antes de tudo que se creia nele (vs. 1,12).
14.16 Auxiliador Tradução de uma palavra grega que pode ser entendida no sentido de “conselheiro”, “defensor” (1Jo 2.1) ou “advogado”. Neste Evangelho, o Auxiliador aparece quatro vezes (vs. 16,26; 15.26; 16.7-11). Trata-se do Espírito Santo, que é chamado também de o Espírito da verdade (Jo 15.26; 16.13). Ele ficará no lugar de Jesus como guia e mestre dos discípulos. Vai ensinar (v. 26), falar a respeito de Jesus (Jo 15.26) e trazer julgamento sobre o mundo que não crê em Jesus (Jo 16.7-8).
14.17 O mundo não pode receber esse Espírito Ver Jo 15.18, n. viverá Alguns manuscritos antigos trazem “vive”.
14.18 para ficar com vocês Jesus ainda estará com os seus discípulos, mas de uma maneira diferente, isto é, por meio da presença do Espírito Santo, que é também chamado de “Espírito de Jesus” (At 16.7) e de “Espírito de Cristo” (Rm 8.9).
14.22 Judas, não o Judas Iscariotes Provavelmente, Judas, filho de Tiago (Lc 6.16; At 1.13).
14.23 viremos viver com ela Isso muda um pouco o que é dito nos vs. 2-3. Bem antes de serem levados por Jesus, para que onde eu estiver vocês estejam também (v. 3), os discípulos passam a ser morada do Pai, do Filho e do Espírito Santo. O que se espera para depois, no além, já é realidade aqui e agora.
14.26 Auxiliador Ver v. 16, n. vai enviar em meu nome Isto é, em resposta ao pedido de Jesus (vs. 16-17) e para tomar o lugar de Jesus.
14.27 É a minha paz que eu lhes dou Jesus se despede não apenas com um desejo de paz (1Sm 1.17), mas efetivamente dando a paz (Jo 20.19,21,26). Essa paz, que tinha sido prometida para o tempo da vinda do Messias (Is 52.7; Ez 37.26), não é a simples ausência de conflitos de todo tipo, mas é saúde e bem-estar físico, espiritual e moral (Nm 6.26; Sl 29.11; Lc 2.4; Jo 16.33; 20.19; 21.6).
14.28 o Pai é mais poderoso do que eu Isso precisa ser entendido à luz de Jo 10.30; 17.22. Quem fala é a Palavra que se tornou um ser humano (Jo 1.14) e é obediente àquele que o enviou (v. 31). O Pai é mais poderoso (literalmente, “maior”), porque tudo, inclusive o trabalho de Jesus, provém do Pai e é realizado por ele (v. 10).
14.30 aquele que manda neste mundo Ver Jo 12.31, n.



Nenhum comentário:

Postar um comentário