2015/09/08

Significado de Êxodo 4

Significado de Êxodo 4

Significado de Êxodo 4


Êxodo 4

4.1 — Assustado com a grandiosidade da tarefa, Moisés, de forma meramente humana, começou a pensar nos problemas que teria de enfrentar.

4.2-5 — Deus fez com que a vara de Moisés — que era provavelmente um longo cajado de madeira com o bordão de pastor em uma das pontas — se transformasse em uma serpente, para assegurar-lhe Seu poder e Sua presença durante a missão a ele confiada.

4.6,7 — Novamente Deus demonstrou a Moisés Seu poder ao fazer com que a mão deste ficasse leprosa. Depois, curou-a. O termo lepra na Bíblia designa uma série de doenças de pele [não apenas a hanseníase].

4.8,9 — O terceiro sinal de que Deus havia enviado Moisés ao faraó para que este libertasse os hebreus da escravidão egípcia seria a transformação das águas do Nilo em sangue. Na verdade, esse sinal se constituiu a primeira praga que o Senhor enviou sobre o Egito (Êx 7.14-25).

4.10-12 — Em Sua grande paciência, Deus lembrou a Moisés que foi Ele que criou a sua boca, quem dotou o ser humano com a capacidade da fala e projetou a personalidade de cada indivíduo de acordo com a Sua sabedoria. Depois, o Senhor prometeu ensinar-lhe precisamente tudo o que deveria falar.

4.13,14 — Neste momento, Moisés pôde vislumbrar um pouco da ira de Deus (leia as palavras de Moisés em SI 90.11). Apesar de Moisés ainda não saber, o Senhor já havia provido assistência para ele. Deus estava enviando Arão para se encontrar com Moisés (v. 27).

4.15,16 — E ele falará por ti ao povo; e acontecerá que ele te será por boca, e tu lhe serás por Deus. Da mesma forma que Moisés era um profeta, um porta-voz, de Deus, Arão seria um profeta de Moisés (Êx 7.1). O profeta tinha apenas uma tarefa: repassar precisamente a mensagem daquele que o  enviou. Moisés seria “Deus” para Arão, porque o representaria para o irmão. Arão seria boca para Moisés; falaria o que o irmão tinha a dizer: exatamente como o Senhor revelara a Moisés.

4.17,18 — Moisés precisava da permissão de seu sogro, Jetro, para deixar o local onde vivia (para um acontecimento similar envolvendo Jacó, leia Gn 31). Moisés se tornara um membro oficial do clã de Jetro (Êx 2.16-22; 3.1). A bênção deste, vai em paz, era natural.

4.19 — As palavras disse também o Senhor a Moisés não são uma nova manifestação divina, e sim uma referência às revelações de Yahweh a Moisés (Êx 3; 4). Esta expressão pode ser traduzida como “tinha dito” (Êx 6.28; 12.1).

4.20 — Moisés levou seus filhos. Gérson, o primogênito de Moisés, é citado em Êxodo 2.22. O nome do segundo filho não é mencionado até Êxodo 18.4, após a libertação de Israel. Era Eliezer, cujo nome significa meu Deus é auxílio. Moisés também levou consigo o cajado que o Senhor usou para demonstrar Seu poder a ele (v. 2-5,17).

4.21 — Napassagem seguinte, o faraó, provavelmente Amenófis II (1447—1421 a.C.), não era somente o rei do Egito, mas um símbolo para todos aqueles que resistem a Deus, todos os inimigos do Senhor.

Eu endurecerei o seu coração. Alguns interpretam esta passagem como um indicativo de que Deus confirmaria o que o faraó já estava determinado a fazer. Nas cinco primeiras pragas, o endurecimento do coração é atribuído ao faraó (Êx 7.13,22; 8.15,19,32; 9.7). Então, na sexta, Deus endureceu mais ainda o coração do rei do Egito (Êx 9.12). Outros insistem que o Senhor determinou a resposta negativa de faraó muito antes que este endurecesse seu coração. Estes intérpretes apontam este versículo e Êxodo 9.16 ao afirmar que Deus o manteve de pé com o propósito de mostrar-lhe o Seu poder.

4.22,23 — A nação de Israel é o primogênito de Deus e, naturalmente, Ele é o Seu pai. No decorrer do tempo, outros — todos aqueles que acreditariam no filho do Senhor — tornar-se-iam filhos de Deus (Jo 1.12). O Senhor também tem uma filha: Sião, uma expressão carinhosa para Jerusalém (SI 87). Contudo, a nação de Israel é o Seu primeiro filho. Consequentemente, o Senhor declararia todos os primogênitos israelitas como Seus, porque Ele os salvou da décima praga: a morte de todos os primogênitos dos egípcios (Nm 3.13).

4.24 — E aconteceu no caminho, numa estalagem, que o Senhor o encontrou e o quis matar. A estalagem era um tipo rústico de hospedaria que ficava no caminho de volta de Moisés para o Egito. Ali, o Senhor o encontrou e o quis matar. O significado preciso desta passagem é obscuro. Um dos filhos de Moisés não era circuncidado, apesar da instrução que Deus dera. Talvez Moisés tivesse deixado de circuncidar um de seus filhos a fim de agradar à esposa, que era midianita (os midianitas só praticavam a circuncisão em homens antes do casamento, e não em crianças pequenas). A negligência de Moisés era um crime que merecia a morte, especialmente para um futuro líder do povo de Deus. Por esta razão, o Senhor o encontrou ou apareceu a Moisés e o quis matar. (Para mais detalhes acerca do uso do mesmo verbo hebraico, com sentido diferente, leia v. 27).

4.25.26 — Então, Zípora tomou uma pedra aguda, e circuncidou o prepúcio de seu filho, e o lançou a seus pés. Naquele tempo, a circuncisão era feita com facas de pedra afiada, e não de bronze, por causa de associações com antigas tradições que podem ser anteriores à circuncisão israelita (Gn 17). Muitos povos vizinhos dos israelitas praticavam a circuncisão, mas nenhum deles a fazia em crianças, somente Israel. E disse [ela]: Certamente me és um esposo sanguinário. Zípora disse isto possivelmente porque ficou com raiva de não poder seguir o costume midianita de só circuncidar seu filho na idade adulta, próximo ao casamento.

4.26 — Deus encontrou Moisés (v. 24). Depois, desviou-se dele.

4.27,28 — O encontro destes dois irmãos, após 40 anos, deve ter sido bastante emocionante. O verbo hebraico traduzido como encontrou-o dá a ideia de um encontro pessoal e emocionante, com um abraço apertado. Foi muito adequado o fato de os dois terem se encontrado no monte de Deus (Êx 3.1). Posteriormente, neste mesmo lugar, ambos ministrariam juntos.

4.29-31 — Quando Moisés e Arão chegaram ao Egito, reuniram todos os anciãos. Arão fez o papel de porta-voz de Moisés (v. 14-16). Não ficou muito claro se foi Arão ou Moisés quem fez os sinais diante do povo. Mas, a resposta das pessoas foi bastante receptiva. Elas acreditaram em Deus e adoraram Aquele que mandou os sinais e os mensageiros. O Senhor finalmente visitava os filhos de Israel! Aqui, a visita de Deus implicou libertação (como em Rt 1.6). Em outras passagens, o verbo hebraico paqad [visitar] implica ira e castigo (Is 10.12).

Índice: Êxodo 1 Êxodo 2 Êxodo 3 Êxodo 4 Êxodo 5 Êxodo 6 Êxodo 7 Êxodo 8 Êxodo 9 Êxodo 10 Êxodo 11 Êxodo 12 Êxodo 13 Êxodo 14 Êxodo 15 Êxodo 16 Êxodo 17 Êxodo 18 Êxodo 19 Êxodo 20 Êxodo 21 Êxodo 22 Êxodo 23 Êxodo 24 Êxodo 25 Êxodo 26 Êxodo 27 Êxodo 28 Êxodo 29 Êxodo 30 Êxodo 31 Êxodo 32 Êxodo 33 Êxodo 34 Êxodo 35 Êxodo 36 Êxodo 37 Êxodo 38 Êxodo 39 Êxodo 40

Um comentário: