2015/09/09

Significado de Ezequiel 39

Significado de Ezequiel 39

Significado de Ezequiel 39 


Ezequiel 39

39.1-3 — Farei cair as tuas flechas. Esta expressão descreve Deus lutando em favor de Seu povo (Ez 38.21).

39.4,5 — Nos montes de Israel, cairás [...] sobre a face do campo. A derrota seria total; não haveria lugar para onde os inimigos de Deus pudessem fugir e encontrar abrigo.

39.6,7 — Fogo vindo do Senhor geralmente diz respeito a relâmpagos (1 Rs 18.38). Há uma ênfase nos capítulos 38 e 39 sobre o propósito de Deus em demonstrar a verdade de que Ele é o SENH OR (v. 13,21,22,28;38.16,23), por isso nestes versículos o Todo-poderoso diz que as nações saberão. A batalha do Altíssimo contra Gogue evidenciaria Sua soberania e majestade.

39.8 — Eis que é vindo [...] este é o dia. A linguagem utilizada nessa seção parece bastante incomum em sua gravidade, e o resultado dos acontecimentos é anunciado com um estilo solene e convicto.

39.9,10 — Os sete anos podem ser igualados, porém não necessariamente, aos sete meses dos versículos 12 e 14. Caso seja uma bênção simbólica, o número sugere a totalidade e o encerramento da guerra. A ideia nestes versículos não é que armamentos modernos seriam usados como combustível para o fogo. A ênfase está na destruição completa operada por Deus contra os inimigos de Israel, apesar de terem soldados e armas em tão grande número que poderiam ser considerados invencíveis.

39.11 — Naquele dia se refere ao período após a derrota de Gogue. Os enterros seriam necessários por questões de higiene e para evitar profanação ritual (Lv 5.2,3;21.1;Nm6.6).A expressão oriente do mar não é clara, mas talvez o vale mencionado seja a área ao sul da Galileia, que desce em direção ao mar Morto (chamado de vale de Jezreel em Js 17.16).

39.12 — Purificar a terra. A Lei de Moisés prescrevia o sacrifício de um novilho para purificar a terra caso alguma pessoa assassinada fosse encontrada no território (Dt 21.1-9).

39.13 — Será para eles memorável. Este versículo indica que o enterro de Gogue se tornaria um dia memorativo para glorificar a Deus. Considere o trecho paralelo em 1 Coríntios 15.24-28, que fala da inauguração dos novos céus e da nova terra depois que todos os inimigos de Cristo forem derrotados.

39.14-16 — Este trecho destaca uma purificação completa (Lv 11.45). O termo Hamoná indica que haveria uma multidão de cadáveres.

39.17-20 — Um poema ou cântico é designado aos pássaros e animais carnívoros que buscariam a multidão de cadáveres (v. 14-16). Linguagem figurada ou não, este trecho descreve de maneira marcante o controle de Deus sobre a conquista futura de Israel e sua vitória contra inimigos ferozes (Ap 19.11-21). A refeição seria um sacrifício preparado pelo Senhor e servido em Sua mesa — a terra ou os montes de Israel. O prato principal seria os governantes inimigos. Os bezerros [...] engordados em Basã descrevem o poder desses homens. Os rebanhos de Basã — carneiros, cordeiros, bodes, bezerros — eram os animais mais fortes e mais importantes do Israel antigo, tratados nas ricas pastagens a leste da Galileia.

39.21,22 — Minha glória entre as nações. O conhecimento universal do Deus de Israel finalmente seria baseado no resultado da batalha descrita nos capítulos 38 e 39. Ezequiel dá sequência ao tema teológico, iniciado em Gênesis 12.3, de que o propósito derradeiro de Deus ao escolher Abraão e Sara era revelar Suas bênçãos a todas as famílias da terra. O Senhor demonstraria Sua glória tanto entre as nações como entre Seu povo escolhido, Israel.

Um comentário:

Missionária Cleide Rodrigues Cleidinha disse...

Maravilhoso estudo, aleluias a Jesus :)

Postar um comentário