Interpretação de Números 15

Interpretação de Números 15

Interpretação de Números 15



Números 15
A. Detalhes Cerimoniais. 15:1-41.
Instruções anteriores (Lv. 2:1-11) referentes às ofertas de manjares (cereais) não dão quantidades exatas. Temos agora uma passagem especificando proporções exatas (cons. Lv. 23:13). Antevendo o tempo quando o povo comeria do alimento de Canaã, o Senhor deu instruções para que se fizesse uma contribuição simbólica das primícias dos seus produtos (ofertas alçadas). Ele providenciou pelo perdão dos pecados de ignorância – casos em que tanto a congregação como um todo ou indivíduos pudessem ter transgredido inadvertidamente – com base nas ofertas queimadas acompanhadas com a expiação pelo sangue (vs. 22-31; cons. Lv. 4). Mas Ele também esclareceu que se um homem agisse com más intenções (atrevidamente), devia ser desligado do povo, levando a sua própria iniquidade.
Um homem foi apedrejado por desprezar o mandamento divino referente à guarda do sábado. Alguns têm tentado identificar este julgamento severo com as ideias farisaicas sobre o sábado, contra as quais Cristo se declarou. As duas situações não são as mesmas. Os fariseus acrescentaram à lei religiosa judaica regulamentos sobre o sábado que não se encontram no Velho Testamento, fornecendo escapes para si mesmos. O Senhor do Sábado ensina que a lei do sábado foi planejada para o prazer espiritual do homem e para satisfação de suas necessidades mais profundas. Em nenhum lugar a Bíblia assume uma posição leviana para com a transgressão deliberada de alguma das leis de Deus. O capítulo termina com uma declaração de valor psicológico (Nm. 15:37-41). Os israelitas deviam prender borlas feitas de fio azul nas barras ou nos cantos de suas vestes, como lembretes de que deviam guardar todos estes mandamentos (Dt. 22:12). Era “o barbante amarrado no dedo” de Israel.
5. Para cada carneiro. Observe que as quantidades de mistura de azeite e farinha e de vinho para as libações aumentavam de acordo com o tamanho do animal oferecido: a quarta parte de um him de azeite e vinho para cada cordeiro, um terço de cada com o carneiro, mais meio him com cada novilho. Isto demonstra o princípio que sublinhava todas as ofertas – um homem devia dar de acordo com a sua capacidade (Lv. 5:7-13).
7. Em aroma agradável (aquietante, repousante). A frase foi usada em 15:3, 10, 13, 14. Em Gn. 8:20, 21 somos informados que o Senhor cheirou a agradável fragrância da oferta queimada de Noé, que exerceu efeito favorável nEle. Alguns não gostam do antropomorfismo extremo deste pensamento. Mas a Bíblia está cheia de tais descrições de Deus. A expressão não é mais literal que as palavras: “Cavalgava um querubim”, ou “levado velozmente nas asas do vento” (Sl. 18:10). Baal, a divindade pagã, é chamada de “o cavaleiro das nuvens” (C.H. Gordon, Ugaritic Literature. pág. 30), como também o Senhor no Sl. 68:4.
O crítico que presume que este “antropomorfismo” é uma evidência de que a religião de Israel se encontrava em estágio primitivo, poderia também acusar um pastor moderno de idolatria, quando Ele ora pedindo que Deus “desnude o Seu braço em favor do Seu povo”. Com termos conhecidos, o homem entende o desconhecido, neste caso os sentimentos de Deus para com ele. Por meio desta expressão prática, aroma agradável, o povo de Deus sabia que seus sacrifícios agradavam-no, mais do que um perfume era suavizante e agradável às próprias pessoas.
16 A mesma lei . . . para vós outros e para o estrangeiro que mora convosco. Os estrangeiros eram bem-vindos para “morarem” com Israel, mas eram obrigados a adorar da maneira estabelecida por Deus, não como quisessem. A decadência espiritual dos povos circunvizinhos era tal que a introdução de Suas práticas religiosas prejudicaria a nação.
20. Das primícias da vossa farinha . . . um bolo. A palavra ‘arisa, traduzida pala farinha, costuma ser aceita significando “cereal não refinado”. Uma referência anterior à oferta das primícias (Lv. 23:14) menciona apenas a oferta movida de um feixe, acompanhada de uma oferta de manjares de solet, “flor de farinha”. O fato desta oferta alçada de cereal não refinado ser chamada de teruma, “uma contribuição”, indica que era para ser consumida pelos sacerdotes, enquanto a flor de farinha de Lv. 23:13 devia ser uma oferta queimada, de aroma agradável ao Senhor.
30. Fizer alguma coisa atrevidamente (afoitamente). O Israel obediente saiu do Egito “afoitamente” (Êx. 14: 8), com o punho erguido desafiando Faraó. Aqui, os pecados de um Israel arrogante atreviam-se a desafiar o Senhor (cons. Dt. 32: 27; Is. 10:32).
36. E o apedrejaram; e ele morreu, como o Senhor ordenara. Os lábios de Cristo descreveram um destino muito pior do que este daqueles cujos corações desprezaram a lei de Deus (cons. Mt. 18:9). Na verdade, este acontecimento do Velho Testamento foi uma lição misericordiosa. Embora tal julgamento não pudesse mudar o coração daquele que foi julgado, evitou que muitos israelitas obstinados desafiassem a Deus.
39. E não seguireis os desejos dos vossos corações, nem os dos vossos olhos. As borlas eram um lembrete para que não andassem segundo suas próprias más inclinações e desejos, mas a que seguissem os mandamentos bons e sadios do Senhor. 

Índice: Números 1 Números 2 Números 3 Números 4 Números 5 Números 6 Números 7 Números 8 Números 9 Números 10 Números 11 Números 12 Números 13 Números 14 Números 15 Números 16 Números 17 Números 18 Números 19 Números 20 Números 21 Números 22 Números 23 Números 24 Números 25 Números 26 Números 27 Números 28 Números 29 Números 30 Números 31 Números 32 Números 33 Números 34 Números 35 Números 36